Resenha - Hilda e o Troll

Título: Hilda e o Troll
Título Original: Hilda and the Troll
Série: Hilda
Autor: Luke Pearson
Editora: Quadrinhos da Cia.
Páginas: 40
Ano: 2017
Saiba Mais: Skoob
Comprar: Amazon // Folha


Sinopse: Hilda adora aventuras, seja acampar numa noite chuvosa ou explorar a paisagem montanhosa nos arredores de casa. Durante uma expedição pelas colinas, ela encontra uma pedra muito suspeita: de dia, é apenas uma rocha engraçada, mas à noite se transforma num troll! Enquanto faz um desenho no caderno para registrar sua mais nova descoberta, Hilda acaba pegando no sono, e, ao acordar, o troll desapareceu. Agora, no caminho de volta para casa, Hilda terá de lidar com uma floresta assustadora, um gigante perdido, um homem de madeira misterioso e um sino tilintante. Inspirado no folclore nórdico, este quadrinho de cores vivas mistura realidade e fantasia para criarh um universo deslumbrante, de onde crianças e adultos não vão querer sair.

Resenha - A Ordem dos Clarividentes

Título: A Ordem dos Clarividentes
Título Original: The Mime Order
Série: Bone Season
1- Temporada dos Ossos (2016)
2- A Ordem dos Clarividentes (2017)
3- The Song Rising (2017 US)
Autora: Samantha Shannon
Editora: Fantástica
Páginas: 400
Saiba mais: Skoob
Comprar:  Submarino // Amazon // Americanas

Ainda melhor!
Aviso: Essa resenha não contém spoilers dos livros anteriores, exceto na sinopse.

Sinopse: Paige Mahoney escapou da colônia penal Sheol I e é a pessoa mais procurada de Londres. Ela é uma andarilha onírica, um dos tipos mais raros de videntes, que são uma realidade na Inglaterra em 2059, mas nem por isso deixam de ser marginalizados e perseguidos pela sociedade. Com a comunidade clarividente dividida por segredos obscuros e ameaçada pelos Rephaim, Paige deve seguir em frente, até que o destino de Scion, e o seu próprio, seja decidido.

A Trama: Exatamente como no primeiro livro, você pode levar um tempinho para pegar o ritmo da trama, já que é bastante informação. A Ordem dos Clarividentes inicia logo após o final de Temporada dos Ossos, inclusive recomendo que você não deixe passar muito tempo entre a leitura dos dois, para não esquecer detalhes importantes.
Esse livro focou menos em romances e até amizades para poder demonstrar melhor o que acontecia no mundo de Paige e todas as traições ocultas. Adorei o aspecto político do livro, a autora realmente se esforçou para criar uma trama complexa e interessante que consegue deixar o leitor envolvido do início ao fim. Deu para notar que há inúmeras subtramas e é fascinante a maneira como elas lentamente se revelam.
O livro ainda conta com algumas batalhas, romances, amizades e traições, seguindo o ritmo do livro anterior, porém com avanços ainda maiores na trama principal.

Resenha - Minha Mãe Fazia


Título: Minha Mãe Fazia
Autora: Ana Holanda
Editora: Bicicleta Amarela (Rocco)
Páginas: 240
Ano: 2017
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva // Amazon // Extra

Esse livro transborda amor.


Sinopse: Jornalista com passagem pelas principais redações de revistas do país, Ana Holanda sempre viu a comida não só como alimento para o corpo, mas para a alma. Afinal, quantas histórias, confidências, causos de família e momentos marcantes vivemos em torno de uma mesa posta, ao lado de familiares e amigos, ou mesmo durante o preparo das refeições, em meio à movimentação da cozinha? Em Minha mãe fazia, Ana reúne deliciosas receitas que são uma verdadeira viagem aos sabores, aromas e memórias da infância e de toda uma vida, resgatadas em crônicas igualmente saborosas. O projeto, que nasceu no Facebook e ganha agora caprichada edição em livro, reúne receitas que Ana tirou do caderno de sua mãe, exímia cozinheira, e do seu próprio. São pratos do dia a dia, bolos, doces simples, comida sem frescura ou a pretensão de ser gourmet. Nas palavras da autora “comida de mãe, que nos refaz quando a gente precisa, afaga ou acolhe quando o momento pede”. E temperadas com uma escrita afetiva que deixa o leitor com água na boca e o coração leve.

A Trama: Uma vez ouvi que "a cozinha é um refúgio e um resgate" - e essa frase, dita por uma das pessoas que mais admiro, a chef Paola Carosella, me marcou muito.
Nessas páginas, Ana Holanda conseguiu traduzir, com maestria, toda a verdade que a frase acima carrega - conseguiu nos mostrar a importância da comida nas relações que desenvolvemos, nas lembranças que carregamos e nos sentimentos que despertamos. 
Em Minha Mãe FaziaAna Holanda consegue mesclar, de forma extraordinária, crônicas nostálgicas e receitas deliciosas. 

Resenha - O Mistério dos Cavalos Alados

Título: O Mistério dos Cavalos Alados
Título Original: The Secret Horses of Briar Hill
Livro Único
Autora: Megan Shepherd
Editora: Plataforma21
Páginas: 384
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino // Americanas

Fofíssimo e surpreendentemente profundo.

Sinopse: Nosso mundo tem cores. Você só precisa saber onde procurar.
Existem cavalos alados nos espelhos do Hospital Briar Hill – esses espelhos refletem os elegantes quartos que já pertenceram a uma princesa, mas que agora são o lar de crianças doentes. Somente Emmaline pode enxergá-los. Este é o seu segredo.
Certa manhã, a menina escala o muro dos jardins abandonados do hospital e descobre algo incrível: um cavalo branco com a asa quebrada que deixou o mundo dos espelhos e invadiu a realidade.
Esse cavalo branco – uma égua chamada Lume de Luar – está se escondendo de uma força sombria e sinistra: o Corcel Negro. Para Emmaline mantê-lo longe de sua nova amiga, ela precisa rodear Lume de Luar com tesouros de tons brilhantes. Mas como a menina encontrará cor em um mundo tão cinzento?

Resenha - O Apanhador de Sonhos

Título: O apanhador de Sonhos
Título Original: DreamCatcher
Livro único.
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Páginas: 656
Ano: 2013
Saiba Mais: Skoob
Comprar: Amazon // Saraiva 

Ok... Esse vai ser difícil.

Sinopse: Criaturas alienígenas, aflição, terror. Em O Apanhador de Sonhos, todos esses ingredientes prometem ao leitor uma boa dose de calafrios, noites maldormidas, sentidos em alerta e, por via das dúvidas, uma luz acesa no corredor. Aguardado pelo grande número de fãs de Stephen King, o livro, inédito no Brasil, foi lançado em março nos EUA e logo alcançou o topo da lista dos mais vendidos do jornal New York Times. O APANHADOR DE SONHOS une, numa mesma história, terror, amizade e ficção científica. O cenário é a pacata cidade de Derry, no Maine, estado onde mora Stephen King e eleito pelo escritor para ilustrar grande parte de suas mais famosas tramas. E é lá que quatro garotos presenciam uma cena chocante: Duddits, um menino portador de síndrome de Down, é torturado por uma gangue de adolescentes. Num ato de coragem os quatro conseguem salvar a vida do indefeso menino. O que os amigos não ficam sabendo é que Duddits é um menino especial, com poderes para penetrar na mente de outras pessoas e compartilhar pensamentos e lembranças. Uma espécie de apanhador de sonhos. Em pouco mais de duas décadas, esse encontro será fundamental para salvar a vida de toda uma cidade. Uma floresta do Maine, 25 anos depois: os quatro, agora homens, mais uma vez se encontram diante de uma cena que os atormenta. Um homem aparentemente perturbado solta frases desconexas sobre luzes vindas do céu. Em meio à noite, os sussurros soam como uma terrível profecia que se concretiza. Seres alienígenas invadem a cidade de Derry, matando gente, bichos e vegetação. Assim como o apanhador de sonhos, capturam mentes. Menos a de Duddits. E ele, que tem a mesma capacidade especial dos asquerosos e malignos extraterrestres, será o único que poderá salvar a cidade dos alienígenas e, consequentemente, impedir que agentes do FBI levem a cabo o plano de dizimar toda espécie viva da região e afastando, definitivamente, a ameaça que veio do espaço.



A TramaEm uma pequena cidade situada no norte do Maine, um forte laço de amizade se forma quando quatro crianças - Beaver, Pete, Jonesy e Henry - salvam Duddits - que sofria torturas e espancamentos - de um grupo de adolescentes. Apesar da infância inesquecível o grupo se afasta conforme vai crescendo, vivendo suas vidas na não tão pacata cidade, que costuma ser lembrada pelos vários casos de desaparecimento de crianças (hum....isso soa familiar?? Pois é... Agora a parte que não importa como eu escreva não fica muito interessante). Quando chega a data do encontro anual do grupo de amigos, eles descobrem que alienígenas irão invadir a Terra, e que somente eles e principalmente Duds, poderão salvá-la.