Resenha - Ascensão

Título: Ascensão
Título Original: Elevation
Livro Único.
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Páginas: 124
Ano: 2019
Saiba Mais: Skoob / Goodreads
Comprar: Amazon 

Sinopse: Uma história fascinante, curiosa e comovente sobre um homem cujo misterioso problema ajuda os habitantes de Castle Rock a superar as diferenças e se tornar uma comunidade.
Scott Carey tem muito em que pensar ― o projeto enorme que pegou no trabalho; o casal lésbico que mora na casa ao lado e o cachorro delas, que insiste em fazer as necessidades no seu quintal; e a súbita e inexplicável perda de peso das últimas semanas.
Apesar de não querer ser estudado e examinado, Scott decide compartilhar a questão com seu velho amigo, o dr. Bob Ellis. Afinal, apesar dos números decrescentes na balança, sua aparência continua a mesma ― além disso, seu peso não varia quando está nu ou usando roupas pesadas, quando está de mãos vazias ou carrega algo no colo.
Não importa o que ele faça ou coma, Scott está cada vez mais leve ― embora não mais magro ―, e conforme seu peso se aproxima de zero, ele sabe que logo nada vai prendê-lo ao chão.
Scott não quer se preocupar com o que vem pela frente; ele ainda tem tempo para resolver todas as suas questões antes do Dia Zero, e por que não começar pelas mais difíceis? Por exemplo, encarando o preconceito que suas vizinhas têm sofrido da comunidade ― e dele ― e fazendo o possível para ajudar.
Amizades improváveis, a maratona anual da cidade e a misteriosa condição de Scott são a fórmula para grandes transformações. Incrivelmente alegre e profundamente triste, Ascensão é um verdadeiro antídoto para nossa cultura intolerante.

A TramaNessa novela, o protagonista Scott Carey descobre que está perdendo peso todos os dias, mas isso não faz com que seu corpo grandalhão mude nenhum pouco. Além disso, ele está tendo problemas com os cachorros das vizinhas, que parecem estar fazendo as necessidades no seu quintal. Enquanto perde cada dia mais peso e tenta entender as vizinhas - lésbicas e casadas -, Scott começa a se questionar o que acontecerá quando ele chegar ao peso zero. Ascensão é uma história bem despretensiosa do King, mas eu amei lê-la! Não acho que seja memorável, mas trás algumas questões importantes, que o autor pode ter até concluído de forma "simplista", porém combinando com o restante do tom da trama. Se tratando de uma novela, é uma leitura rápida, que dá pra fazer em uma sentada só.

Resenha - A Pequena Sereia e o Reino das Ilusões

Título: A Pequena Sereia e o Reino das Ilusões
Título Original: The Surface Breaks
Autor: Louise O'Neill
Editora: Darkside
Páginas: 224
Ano: 2019
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino // Saraiva 


Sinopse: 
Esqueça as histórias sobre sereias que você conhece. Esta é uma história diferente — e necessária. E tudo começa no fundo do mar. Com uma garota chamada Gaia, que sonha em ser livre de seu pai controlador, fugir de um casamento arranjado e descobrir o que realmente aconteceu à sua mãe desaparecida. Em seu aniversário de quinze anos, quando finalmente sobe à superfície para conhecer o mundo de cima, Gaia avista um rapaz em um naufrágio e se convence de que precisa conhecê-lo. Mas do que ela precisa abrir mão para transformar seu sonho em realidade? E será que vale a pena? A Pequena Sereia e o Reino das Ilusões chega para trazer um pouco mais de contos de fadas para a linha DarkLove, da DarkSide® Books. Mas não do jeito que você espera; aqui, a história original de Hans Christian Andersen — e também suas versões coloridas e afáveis em desenhos animados — é reimaginada através de lentes feministas e ambientada em um mundo aquático em que mulheres são silenciadas diariamente — um mundo que não difere tanto assim da sociedade em que vivemos. No reino de ilusões comandado pelo Rei dos Mares, as sereias não recebem educação, não têm direito de fala, devem se encaixar em um padrão de beleza impossível e sempre sorrir. É neste cenário que a autora irlandesa Louise O’Neill apresenta uma história sobre empoderamento e força feminina. Com narrativa e olhar afiados, a autora ainda desenvolve aspectos do conto original que passaram batido, como o relacionamento de Gaia com as irmãs e as camadas complexas da Bruxa do Mar. A Pequena Sereia e o Reino das Ilusões, que chega ao mundo acima da superfície da água com o padrão de qualidade que virou marca registrada da DarkSide® Books, mostra como, em um reino comandado pelo patriarcado, ter uma voz é arriscado. Mas também como querer usá-la é uma atitude extremamente poderosa e valiosa. Ainda mais em tempos tão sombrios.

A Trama Baseado no clássico da Pequena Sereia, a narrativa segue a vida de Gaia, princesa do mar que se apaixona por um humano e que está disposta a traçar um longo caminho tortuoso para conquistar seu grande amor. Um toque de atualidade traz bastante feminismo e críticas sociais para a narrativa clássica com várias referências ao machismo e sobre como a sociedade atual enxerga as mulheres.

Resenha - O Aprendiz de Assasino

Título: O Aprendiz de Assasino
Título Original: Assassin's Apprentice
Série: A Saga do Assassino # 1
1- A O aprendiz de Assasino
2- (1996 US)
3- (1997 US)
Autora: Robin Hobb
Editora: Suma de Letras
Ano: 2019
Páginas: 376
Saiba mais: Skoob\Goodreads
Comprar: Amazon


Sinopse: Com personagens cativantes, tramas políticas complexas e lutas cheias de magia e reviravoltas, O Aprendiz de Assassino é tudo o que um fã do gênero pode esperar de uma ótima fantasia épica. Fitz tem seis anos de idade quando seu avô o joga aos pés de um guarda real e anuncia que a partir de então o pai deve cuidar do bastardo que produziu ― e o pai de Fitz é ninguém menos que Chilvary Farseer, o príncipe herdeiro dos Seis Ducados. Excluído pela realeza, mas importante demais para ser abandonado, Fitz é criado à sombra da corte, protegido pelo mestre dos estábulos e crescendo em meio aos criados e plebeus da Cidade de Torre do Cervo. No entanto, um bastardo real é uma peça perigosa, e o rei Shrewd não demora a convocá-lo. Carregando no sangue a magia ancestral do Talento e uma habilidade ainda mais instintiva de se comunicar com os animais, Fitz passa a ser treinado para se tornar um assassino a serviço do rei. Quando saqueadores selvagens começam a atacar as regiões costeiras dos Seis Ducados, Fitz recebe sua primeira missão. Embora alguns o vejam como uma ameaça, o jovem bastardo vai provar que pode ser a chave para a sobrevivência do reino.

“Exatamente como um livro de fantasia deve ser. A obra de Hobb é um diamante em meio a falsos brilhantes.” ― George R.R. Martin


Trama: Aos seis anos, Fitz é entregue por seu avó materno aos cuidados de um entreposto do exército onde residia temporariamente seu tio, o segundo príncipe dos Seis Ducados. Ele é taxado de bastardo e levado para a Torre do Cervo - residência da realeza. Criado pelo homem de confiança de seu pai, Fitz cresce entre os empregados da Torre, depois de alguns anos, seu avô, o Rei, se recorda de sua existência e o apadrinha, contanto que ele lhe jure fidelidade. A partir daí, Fitz inicia seus estudos sobre os costumes da realeza durante o dia e como se tornar um exímio assassino durante a noite. Apostando em um realismo palpável, mesmo que ambientada em um mundo de fantasia, a trama preza por detalhes narrativos, não de forma descritiva como Stephen King costuma fazer, por exemplo, mas buscando esmiuçar as experiências dos personagens. Apesar de ter me causado estranheza, a apresentação minuciosa dos fatos enreda uma absorção notável durante a leitura.

Resenha - Wild Cards - O Começo

Título: O Wild Cards - O Começo                      Titulo Original:Assassin's Apprentice
Série: A Saga do Assassino # 1
1- A O aprendiz de Assasino
2- (1996 US)
3- (1997 US)
Autora: George R. R. Martin
Editora: Suma de Letras
Ano: 2019
Páginas: 480
Saiba mais: Skoob\Goodreads
Comprar: Amazon


Sinopse: "Wild Cards explora todas as qualidades dos quadrinhos clássicos e da ficção, e acrescenta uma dose de lógica e realismo. É incrível." – The Guardian

Um vírus alienígena atinge a Terra logo após o fim da Segunda Guerra Mundial, dotando algumas pessoas de poderes incríveis ou deformidades abomináveis, e transformando para sempre o rumo da história. Aqueles abençoados com superpoderes físicos ou mentais são chamados de ases, enquanto as pessoas afligidas com habilidades ou características bizarras são denominadas curingas. Alguns usam seus poderes a serviço da humanidade. Outros, para os próprios interesses. Nesse novo mundo, a humanidade busca recuperar seu equilíbrio – e enquanto ases viram heróis nacionais e estrelas de cinema, os curingas são marginalizados e relegados à miséria. No entanto, nem todo ás usa seu poder para o bem, e no Bairro dos Curingas os ânimos estão esquentando – e uma revolta parece prestes a explodir. Wild Cards: O começo é o primeiro livro da Tríade Original, e dá início à série Wild Cards editada por George R.R. Martin, o consagrado autor de A guerra dos tronos. Capítulo a capítulo, um time de grandes nomes da ficção fantástica apresenta personagens complexos e interessantes, e constrói a trama inesquecível de um mundo ao mesmo tempo tão parecido e tão diferente do nosso.


Trama: Tudo começa com o conclusão da Segunda Guerra Mundial, uma nave alienígena pousa na Terra carregando uma arma biológica. O vírus descrito como Carta Selvagem é liberado na troposfera, próxima à cidade de  Nova York, matando uma numerosa parcela da população. Os sobreviventes sofreram diversas mutações, 9% da população de infectados desenvolveu deformidades ou  anomalias, denominados como "Curingas", e um ínfima parcela desenvolveu características especiais (fantásticas) e ganharam a alcunha de "Ases". Confrontos são gerados no mundo todo acerca da relação dos humanos e dos mutantes, principalmente quando os "Curingas" são preteridos aos "Ases", os primeiros sendo tratados como pragas, enquanto os "Ases" eram recrutados como heróis. Fiquei muito empolgada com a sinopse, porque amo ficção científica. De fato se trata de uma trama original e bem retratada, mas talvez tenha faltado a capacidade de cativar.

Resenha - Daisy Jones & the Six

Título: Daisy Jones & the Six: uma história de amor e música
Título Original: Daisy Jones & the Six
Autora: Taylor Jenkins Reid
Editora: Paralela
Páginas: 360
Ano: 2019
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino // Saraiva 


Sinopse: 
Embalado pelo melhor do rock'n'roll, um romance inesquecível sobre uma banda dos anos 1970, sua apaixonante vocalista e o amor à música. Da autora de Em Outra Vida, Talvez?. Todo mundo conhece Daisy Jones & The Six. Nos anos setenta, dominavam as paradas de sucesso, faziam shows para plateias lotadas e conquistavam milhões de fãs. Eram a voz de uma geração, e Daisy, a inspiração de toda garota descolada. Mas no dia 12 de julho de 1979, no último show da turnê Aurora, eles se separaram. E ninguém nunca soube por quê. Até agora. Esta é história de uma menina de Los Angeles que sonhava em ser uma estrela do rock e de uma banda que também almejava seu lugar ao sol. E de tudo o que aconteceu — o sexo, as drogas, os conflitos e os dramas — quando um produtor apostou (certo!) que juntos poderiam se tornar lendas da música. Neste romance inesquecível narrado a partir de entrevistas, Taylor Jenkins Reid reconstitui a trajetória de uma banda fictícia com a intensidade presente nos melhores backstages do rock'n'roll.

A Trama Sexo, drogas e rock'n'roll - essa é a proposta de Daisy Jones & the Six. Uma trama inteiramente focada em desenvolvimento de personagem, o livro conta  a história de como os sete integrantes de uma das maiores bandas fictícias dos anos 1970 se conheceram, gravaram o primeiro álbum e estouraram na mídia. Contada apenas por entrevistas, como um documentário dos integrantes e pessoas próximas da banda, a narrativa segue os exorbitantes altos e desastrosos baixos de um grupo de pessoas que só queria aproveitar o melhor do que o rock'n'roll os proporcionaria.