Resenha - Layla

Título: Layla

Título Original: Layla
Autor: Colleen Hoover
Editora: Galera Record
Páginas: 368
Ano: 2020 (Edição: 2021)
Saiba Mais: Skoob / Goodreads
Comprar:
 Amazon

Sinopse: Após Layla sofrer um acidente que deixou sequelas neurológicas graves, seu namorado resolve levá-la para uma viagem romântica para a pousada onde eles se conheceram. Mas acontecimentos inexplicáveis fazem ambos suspeitarem de uma presença sobrenatural. 

Quando Leeds conhece Layla, ele está convencido de que passará o resto de sua vida com ela. Ela é espontânea, divertida, e a vida ao seu lado é fácil e tranquila. Até que um ataque inesperado faz com que Layla precise lutar por sua vida. Após semanas no hospital, Layla se recupera fisicamente, mas as cicatrizes mentais e emocionais alteraram significativamente a essência e personalidade da mulher por quem Leeds se apaixonou. Com o objetivo de colocar o relacionamento dos dois de volta nos trilhos e tentar fazer com que os dois voltem a ser o que eram antes da tragédia, Leeds leva Layla para a pousada onde se conheceram, na esperança de que o lugar desperte em Layla os vívidos sentimentos de antes, no início da relação dos dois. Mas, assim que chegam ao lugar, situações bizarras começam a acontecer, uma após a outra, e o comportamento de Layla sofre uma mudança ainda mais drástica. Confuso e sentindo-se cada vez mais solitário, Leeds passa a investigar o porquê dos eventos e, sem que realmente perceba, se vê, de repente, obcecado. Sentindo-se a cada dia mais distante e apático com relação a Layla, Leeds encontra consolo em Willow – outra hóspede da pousada onde estão instalados. Os dois estabelecem uma rápida e intensa conexão, e Leeds começa a perceber, atônito, que prefere a companhia da mulher à de Layla, fazendo o possível – e impossível – para encontrá-la, evitando deixar Layla tomar ciência do que acontece ao seu redor. No entanto, à medida que sua curiosidade por Willow cresce, aumentam também os riscos à segurança e bem-estar de Layla. Rapidamente, Leeds percebe que precisa fazer uma escolha, depressa. No entanto, uma decisão errada pode prejudicar a todos.

TramaComo a sinopse já resume bem a história sem dar spoilers, vou focar somente em falar o que eu achei do livro em si. Fiquei muito intrigada no início sobre como a história iria proceder, porque é tudo meio confuso, mas aos poucos a trama que a Colleen Hoover criou foi ficando mais clara e o suspense foi ficando mais presente. Pra mim, essa poderia ter sido uma história muito boa caso a autora não tivesse focado tanto em romance. Eu sei que escrever romance é a marca registrada dela, mas em muitos momentos desse livro aqui, isso mais atrapalhou do que ajudou, porque acabou tornando muitas coisas da história em acontecimentos ridículos e que não faziam sentido se o protagonista tivesse o mínimo de escrúpulo. Mesmo achando a maior parte da história péssima e mal construída/desenvolvida, ainda assim consegui me divertir com o livro (apesar de passar MUITA raiva também), porque a partir de um momento eu só desliguei um pouco o reloginho do senso e me deixei levar pra ver onde aquilo tudo ia terminar.

Resenha - Crooked Kingdom

Título: Crooked Kingdom - Vingança e Redenção

Título Original: Crooked Kingdom
Série: Six of Crows
1- Six of Crows (2015)
2- Crooked Kingdom (2016)
3- Sem título
Autor: Leigh Bardugo
Editora: Gutenberg
Páginas: 376
Ano: 2015 (Edição: 2016)
Saiba Mais: Skoob / Goodreads
Comprar:
 Amazon

Essa resenha NÃO CONTÉM SPOILERS desse livro ou do anterior.

Sinopse: Confiar na pessoa errada pode custar a sua vida. Após se safarem milagrosamente de um ousado e perigoso assalto na notória Corte do Gelo, Kaz Brekker e sua equipe se sentem invencíveis. Mas o destino está prestes a dar uma perigosa guinada e, em vez de dividir uma vultosa recompensa, os seis comparsas terão que se munir de forças, de armas e de seus talentos para lutar pelas próprias vidas. Traídos e devastados pelo sequestro de um valioso membro da equipe, o Clube do Corvo agora conta com poucos recursos e aliados, e quase nenhuma esperança. Enquanto isso, forças descomunalmente poderosas se abatem sobre Ketterdam para desenterrar os segredos mais sombrios da potente droga conhecida como jurda parem, ao passo que antigos rivais e novos inimigos surgem para desafiar a perspicácia de Kaz e testar a frágil lealdade de seus parceiros. Agora, todos terão de enfrentar seus próprios demônios, e será preciso muito mais do que sorte para sobreviver à guerra que está se armando nas ruas obscuras e tortuosas desse implacável submundo – uma batalha por vingança e redenção que decidirá o futuro do mundo Grisha.

TramaSeguindo diretamente o plot do final de Six of Crows, o segundo livro da dulogia (possível trilogia) começa de forma frenética e prendendo a atenção de quem já tinha amado e surtado com o primeiro livro. Como eu já tinha estabelecido uma conexão forte com a trama e os personagens antes, foi muito fácil ficar imersa em Crooked Kingdom, principalmente sabendo o que estava em jogo. Eu gostei, principalmente, do livro não se focar só em um objetivo, porque tem várias coisas acontecendo ao mesmo tempo, e fiquei feliz por um certo plot não demorar tanto assim para ser resolvido. Gostei muito do ritmo da história, sinceramente achei tudo perfeito do início ao fim, trazendo uma carga emocional grande também - chorei duas vezes no final por motivos distintos.

Resenha - Salem

Título: Salem

Título Original: 'Salem's Lot
Livro Único.
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Páginas: 464
Ano: 1975 (Edição: 2013)
Saiba Mais: Skoob / Goodreads
Comprar:
 Amazon

Sinopse: Ambientado na cidadezinha de Jerusalem's Lot, na Nova Inglaterra, o romance conta a história de três forasteiros. Ben Mears, um escritor que viveu alguns anos na cidade quando criança e está disposto a acertar contas com o próprio passado; Mark Petrie, um menino obcecado por monstros e filmes de terror; e o Senhor Barlow, uma figura misteriosa que decide abrir uma loja na cidade.
Após a chegada desses forasteiros, fatos inexplicáveis vêm perturbar a rotina provinciana de Jerusalem's Lot: uma criança é encontrada morta; habitantes começam a desaparecer sem deixar vestígios ou sucumbem a uma estranha doença. A morte passa a envolver a pequena cidade com seu toque maléfico e Ben e Mark são obrigados a escolher o único caminho que resta aos sobreviventes da praga: fugir.
Mas isso não será tão simples, os destinos de Ben, Mark, Barlow e Jerusalem's Lot estão agora para sempre interligados. E é chegada a hora do inevitável acerto de contas.

TramaSalem é o segundo livro publicado por Stephen King, e aqui ele já demonstrou o que viria a ser uma de suas marcas registradas: sua capacidade de ser bem prolixo. O livro começa já deixando o leitor intrigado por relatar os desaparecimentos da cidade de Jerusalem's Lot e outras regiões vizinhas, e depois vamos acompanhar como isso aconteceu. É uma história de vampiros clássicos, mas acredito que o autor conseguiu dar seu toque ao criar a ambientação e os personagens. A trama demora a engatar e o desenvolvimento de tudo é bem lento, mas acabou sendo uma história interessante no final das contas.

Resenha - O Impulso

Título: O Impulso

Título Original: The Push
Livro Único.
Autor: Ashley Audrain
Editora: Paralela
Páginas: 328
Ano: 2021
Saiba Mais: Skoob / Goodreads
Comprar:
 Amazon

Sinopse: O que você faria se seus filhos não fossem quem você esperava? O impulso é o romance mais viciante do ano, uma leitura que irá questionar tudo o que assumimos sobre maternidade, sobre aquilo que devemos aos nossos filhos e sobre o que acontece quando deixamos de acreditar em mulheres cujas histórias são incômodas.

Blythe Connor está decidida a ser a mãe perfeita, calorosa e acolhedora que nunca teve. Porém, no começo exaustivo da maternidade, ela descobre que sua filha Violet não se comporta como a maioria das crianças. Ou ela estaria imaginando? Seu marido Fox está certo de que é tudo fruto do cansaço e que essa é apenas uma fase difícil.
Conforme seus medos são ignorados, Blythe começa a duvidar da própria sanidade. Mas quando nasce Sam, o segundo filho do casal, a experiência de Blythe é completamente diferente, e até Violet parece se dar bem com o irmãozinho. Bem no momento em que a vida parecia estar finalmente se ajustando, um grave acidente faz tudo sair dos trilhos, e Blythe é obrigada a confrontar a verdade.
Neste eletrizante romance de estreia, Ashley Audrain escreve com maestria sobre o que os laços de família escondem e os dilemas invisíveis da maternidade, nos convidando a refletir: até onde precisamos ir para questionar aquilo em que acreditamos?

TramaAo mesmo tempo que é instigante e tenso, O Impulso me decepcionou um pouco em certo nível. De certa forma, eu esperava algo um pouco diferente do livro quando comecei a ler, principalmente pelas recomendações dizendo que era um thriller para surtar, mas o que eu recebi na história não me satisfez nesse aspecto. A trama traz, sim, um aspecto de suspense bem interessante, mas eu fui para esse livro esperando um thriller que fizesse minha cabeça explodir, e ele não é bem isso. Mesmo assim, ele tem seu ponto forte, porque todas as reflexões que a autora traz sobre maternidade (principalmente maternidade compulsória) foram bem abordadas ao longo do livro e são ótimas para debate.

Resenha - Six of Crows

Título: Six of Crows - Sangue e Mentiras

Título Original: Six of crows
Série: Six of Crows
1- Six of Crows (2015)
2- Crooked Kingdom (2016)
3- Sem título
Autor: Leigh Bardugo
Editora: Gutenberg
Páginas: 376
Ano: 2015 (Edição: 2016)
Saiba Mais: Skoob / Goodreads
Comprar:
 Amazon

Sinopse: Ketterdam, capital de Kerch, um lugar agitado onde tudo pode ser conseguido pelo preço certo. Nas ruas e nos becos que fervilham de traições, mercadorias ilegais e assuntos escusos entre gangues, ninguém é melhor negociador que Kaz Brekker, a trapaça em pessoa e o dono do Clube do Corvo. Por isso, Kaz é contratado para liderar um assalto improvável e evitar que uma terrível droga caia em mãos erradas, o que poderia instaurar um caos devastador. Apenas dois desfechos são possíveis para esse roubo: uma morte dolorosa ou uma fortuna muito maior que todos os seus sonhos de riqueza. Apostando a própria vida, o dono do Clube do Corvo monta a sua equipe de elite para a missão: a espiã conhecida como Espectro; um fugitivo perito em explosivos e com um misterioso passado de privilégios; um atirador viciado em jogos de azar; uma grisha sangradora que está muito longe de casa; e um prisioneiro que quer se vingar do amor de sua vida. O destino do mundo está nas mãos de seis foras da lei – isso se eles sobreviverem uns aos outros.

TramaCom a história se passando dois anos depois do final da Trilogia Sombra e Ossos, Six of Crows nos fará acompanhar seis personagens bem distintos em uma aventura por dinheiro, cada um com suas motivações e utilizando de suas habilidades para conseguir o que querem. Eu consegui notar desde o começo o quanto a autora se aprimorou para conseguir contar a história com uma trama e personagens mais complexos do que na trilogia original. Esse é um livro que dá pra ser lido sem ter lido a Trilogia Sombra e Ossos, mas tendo lido ela primeiro você tem muito mais contexto do mundo, do sistema de magia e dos povos, porque isso não é muito explicado aqui. Eu fiquei muito envolvida com a história, mas achei que certas coisas foram conseguidas de uma forma muito fácil. Claro que tinha vários desafios e complicações no caminho, mas senti que a autora facilitou um pouco em certos momentos.