Resenha - Delírio

Resenha feita pela Mari
Título: Delírio  
Título Original: Delirium
Série: Delírio (#1)
Autora: Lauren Oliver
Editora: Intrínseca
Páginas: 342
Ano: 2012
Saiba mais: Skoob  // Goodreads
Comprar: Saraiva // Submarino

Sinopse: Muito tempo atrás, não se sabia que o amor é a pior de todas as doenças. Uma vez instalado na corrente sanguínea, não há como contê-lo. Agora a realidade é outra. A ciência já é capaz de erradicá-lo, e o governo obriga que todos os cidadãos sejam curados ao completar dezoito anos. Lena Haloway está entre os jovens que esperam ansiosamente esse dia. Viver sem a doença é viver sem dor: sem arrebatamento, sem euforia, com tranquilidade e segurança. Depois de curada, ela será encaminhada pelo governo para uma faculdade e um marido lhe será designado. Ela nunca mais precisará se preocupar com o passado que assombra sua família. Lena tem plena confiança de que as imposições das autoridades, como a intervenção cirúrgica, o toque de recolher e as patrulhas-surpresa pela cidade, existem para proteger as pessoas. Faltando apenas algumas semanas para o tratamento, porém, o impensado acontece: Lena se apaixona. Os sintomas são bastante conhecidos, não há como se enganar — mas, depois de experimentá-los, ela ainda escolheria a cura? Sua escolha poderia levar todos à desgraça. Ou a um futuro em que não estaria sozinha…

Lena tem aguardado ansiosamente por sua intervenção: 95 dias e estará livre do mal que destruiu sua mãe. Ela nunca se importou realmente com o amor, era só uma doença como tantas outras e quando completasse 18 anos estaria finalmente livre de todo o perigo.
"As doenças mais perigosas são aquelas que nos fazem pensar que estamos bem."
No dia em que Lena vai fazer sua avaliação, para que o sistema possa designar-lhe um marido e faculdade adequados, apesar de repassar milhões de vezes as respostas certas, ela acaba comprometendo todo seu futuro com respostas completamente diferentes das esperadas.
   "Parte de meu cérebro - a parte racional, educada, a parte eu lógica - grita Azul! Diga azul!, mas essa outra coisa dentro de mim, mais antiga, está deslizando pelas ondas sonoras, crescendo em um ruído cada vez mais alto. - Cinza - disparo."

Por sorte os Inválidos (pessoas que não passaram pela intervenção e moram na Selva) sabotam o Laboratório onde acontecem as avaliações com uma manada de bois, que iria pra um abatedouro, e a avaliação é remarcada. No meio desse tumulto aparece um garoto que pisca para Lena, mais tarde descobrimos que esse garoto é Alex, e mesmo conhecendo todos os perigos da delíria (doença do amor) a protagonista vai se envolvendo aos poucos e descobrindo que Alex e o mundo que ela conhece não passam de uma mentira.
"Você pode morrer de amor ou da falta dele."
Tenho que admitir que o primeiro terço do livro é fraco, a autora usa as primeiras 50 páginas como introdução, com Lena se apresentando e explicando o mundo 'atual'. Só quando ela conhece Alex e começa a se aventurar um pouco, indo contra o sistema, é que o livro ganha emoção. Mas apesar do começo ruim, o meio e o final compensam; O livro é distópico e segue o enredo de tantos outros do gênero, se você gosta de séries como Feios e Destino, recomendo. O que mais gostei no livro foram os pequenos trechos no início de cada capítulo, onde a autora traz pedacinhos do mundo criado por ela, como a história distorcida de Romeu e Julieta, o "Shhh" (livro de regras), e muito mais.

Classificação:
Quer escolher a próxima resenha? É só clicar lá em cima em "Resenhas" e escolher um dos livros da lista!