Resenha - Divergente

Resenha feita pela Luh
Título: Divergente
Título Original: Divergent
Série: Divergente
1- Divergente
2- Insurgente (2013)
Autora: Veronica Roth
Editora: Rocco
Páginas: 504
Ano: 2012
Saiba mais: Skoob
Comprar: Submarino // Saraiva

Sem dúvida um dos melhores livros do ano, essa é a melhor distopia que eu já li. Sim, é melhor que Jogos Vorazes, e se você leu Divergente e ainda não acha isso, espere só até ler Insurgente!

Sinopse: Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto. A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é. E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive. 

As Facções: Para tentar auxiliar um pouco a compreensão de vocês, vou explicar algumas coisas sobre as facções.


Audácia: Audácia é um sinônimo de coragem, mas também de ousadia, e é possível encontrar ambas as características nos membros dessa facção. Eles são os responsáveis por vigiar os muros que protegem a cidade e, caso sejam um dos melhores de sua "turma", podem conseguir empregos no governo.


Amizade: Os membros da Amizade são pacíficos, não acreditam em violência e não tem um líder - todas as decisões necessárias são discutidas em grupo. Seus membros aparentam estar sempre felizes e são extremamente otimistas. São responsáveis pela agricultura e é na Amizade que encontramos os únicos artistas.


Abnegação: Acreditam que o bem comum é mais importante que o bem próprio, se esforçam muito para ajudar a comunidade e evitam chamar a atenção. Por serem muito altruístas, ficaram encarregados da política e são eles que tomam a maioria das decisões que influenciem em todas as facções.

Erudição: Valorizam o conhecimento acima de todas as outras coisas. Os membros dessa facção costumam se tornar professores ou cientistas e mantém registros cuidadosos de tudo o que descobrem.
São calmos e evitam conflitos.


Franqueza: Conhecidos por jamais mentir, os membros da Franqueza acreditam que educação é mentir disfarçadamente. Por sua principal característica, eles se encarregaram de aplicar as leis na sociedade.
Seus principais "inimigos" são a Amizade, que é a favor de enganar para manter a paz.

A Trama: Divergente segue a história de Beatrice Prior, uma garota de dezesseis anos que está prestes a tomar uma decisão que afetará sua vida inteira.
No universo criado por Veronica Roth a humanidade se destruiu ao ponto em que restaram poucos e estes se dividiram em cinco facções, baseadas em seus ideais. Eu vou admitir que talvez este mundo distópico não seja o mais perfeito que eu já vi, mas ele é consistente e faz sentidoAs primeiras 100 páginas do livro não tem tanta ação, a autora preferiu explorar os sentimentos de Beatrice e introduzir o leitor ao mundo "atual".
Mas, após tal introdução, Beatrice precisa escolher em qual facção viverá para o resto de sua vida e é a partir daí que o livro fica absolutamente incrível.

A trama é emocionante, arrebatadora e tem um ritmo frenético, certas partes me fizeram perder completamente a noção do tempo. As facções são fascinantes e eu adorei aprender tudo sobre elas e seus membros, Veronica brincou um pouco com psicologia e a maneira como o ser humano não consegue se encaixar em uma característica só. O livro é repleto de reviravoltas e o final poderia ser um pouco melhor - muitas perguntas ficaram no ar - mas ainda fiquei morrendo de vontade de ler a continuação.

Os ProtagonistasVou admitir que nas primeiras páginas o medo que  Beatrice sentia de ser egoísta me irritou um pouquinho, apesar de ser compreensível considerando que ela cresceu na "Abnegação", onde egoísmo era considerado o pior dos defeitos. Assim que a protagonista escolhe sua facção tudo muda, inclusive minha opinião sobre ela. Beatrice é forte, corajosa, inteligente, altruísta, verdadeira e é muito bom poder ver a personagem se desenvolvendo lentamente. 
Quatro pode não parecer muito importante no início, mas ele é fundamental para o desenvolvimento da trama. Fiquei um bom tempo tentando compreender suas ações e ele me irritou bastante em algumas partes, mas assim que algumas coisas se explicam fica claro que ele tenta ao máximo proteger os novos membros de sua facção, principalmente Beatrice. Quatro é um personagem absolutamente envolvente, misterioso e ele se tornou meu personagem predileto. 

Os Personagens Secundários: Os amigos da protagonista.. não quero dar spoilers, mas digamos que eles nem sempre são bons amigos. Foi péssimo vê-los invejando a garota e sendo extremamente egoístas, apesar de ser preciso lembrar que são todos apenas crianças de dezesseis anos. Os pais de Beatrice não me agradaram muito no início mas, como todos os outros personagens, fui gostando deles aos pouquinhos até me prenderem completamente.

Capa, Diagramação e Escrita: A capa é maravilhosa, gostei da frase que aparece no topo ("Uma escolha pode te transformar") e a cidade ao fundo, mas eu acho que o símbolo entrega um pouquinho da trama. A escrita da Veronica é um dos melhores pontos do livro, ela conseguiu me prender e transmitir perfeitamente os sentimentos da protagonista.

Concluindo: O que não falta nessa distopia é ação! Se você está procurando por uma leitura emocionante que fará seu coração bater mais forte, Divergente é leitura obrigatória. E se você já leu o livro e não se convenceu (o que eu acho muito difícil), recomendo que leia o segundo, fica melhor ainda!
Classificação: