Resenha - Anjo da Escuridão

Resenha feita pela Maay!  
Título: Anjo da Escuridão
Título Original: Angel of the Dark
Livro Único
Autores: Sidney Sheldon e Tilly Bagshawe
Editora: Record
Páginas: 398
Ano: 2012
Saiba mais: Skoob
Comprar: Submarino // Saraiva

Tilly Bagshawe surpreende, mais uma vez, ao nos fazer esquecer que o livro não foi escrito por Sheldon.

Sinopse: Um rico negociador de artes é brutalmente assassinado em sua mansão em Hollywood Hills. No chão do quarto, uma verdadeira cena de horror: Andrew Jakes está amarrado ao corpo nu de sua jovem e bela esposa, violentamente espancada e estuprada. O detetive Danny McGuire, comovido com a tragédia da linda e vulnerável mulher, empenha-se na busca do culpado. Mas todos os seus esforços mostram-se em vão, e Angela Jakes desaparece misteriosamente depois de doar sua milionária herança. Anos depois, Danny está casado e trabalha como agente da Interpol na França quando é procurado por Matt Daley, filho do homem cruelmente assassinado. Danny não hesita em seguir as promissoras evidências que apontam para um único suspeito: uma brilhante assassina que está sempre um passo à frente de todos e que pode estar a um triz de encontrar sua nova vítima.


A Trama: O livro começa com o assassinato de Andrew Jakes em Los Angeles. Danny McGuire, o detetive encarregado do caso, acaba vendo seus esforços para descobrir o culpado irem por água abaixo quando Angela Jakes, a esposa, desaparece. Dez anos depois, Danny McGuire está trabalhando na Interpol, quando recebe a visita de Matt Daley, filho do homem brutalmente assassinado. Matt alega ter encontrado dois outros casos, na Inglaterra e na França, que seguem o mesmo padrão: diferença de idade do casal, violência sexual, corpos amarrados e uma esposa que desaparece, após doar toda a herança para instituições de caridade. 
De início, Danny tenta não se envolver, mas quando outro crime é cometido, dessa vez em Hong Kong, ele cede. Matt vai a procura de informações com a esposa violentada, enquanto Danny comanda as investigações diretamente da sede da Interpol em Lion.
Daley, no entanto, não consegue evitar que Lisa Baring, assim como as outras esposas, desapareça. Dessa forma, com evidências que levam a crer que o assassino já encontrou sua nova vítima, os dois saem pelo mundo à procura do Anjo da Morte.

Os ProtagonistasDanny McGuire é um personagem que não tem nada chamativo. Detetive, bem sucedido, casado. Um personagem comum demais para protagonista, mas ainda assim simpatizei com ele. Parece ser aquelas pessoas agradáveis de se ter por perto.
Matt Daley, pelo contrário, é entediante. Descrito como um loiro atraente, de 30 e tantos anos, da primeira cena em que aparece até o final, ele me parece um louco. Quando decide investigar o assassinato do pai, fica tão aficionado pela história, que mesmo com sua esposa pedindo o divórcio, ele não demonstra emoção nenhuma. A situação só piora quando Matt se apaixona por Lisa Baring, uma das esposas violentadas. A fixação de Matt por Lisa chega a ser cansativa, e para mim foi a pior parte da história.
Lisa Baring é a esposa de um dos homens assassinados e a melhor personagem do livro, sem dúvida alguma. Descrita como uma mulher linda e forte, é uma personagem muito bem estruturada. Tão carismática que torna-se impossível não simpatizar e torcer por ela.

Os Personagens Secundários: O livro tem vários personagens secundários, dentre os assassinados e aqueles que desaparecem no decorrer da trama, vou falar sobre os mais marcantes.
Sofia Basta, descendente de uma família real marroquina, ela é filha de uma viciada em drogas e uma menina extremamente vulnerável. Sofia foi criada em um orfanato, onde conheceu Frankie Mancini.
Frankie é descrito como um homem maravilhoso, digno das telas de Hollywood. Amigo de infância e marido de Sofia, é um homem muito misterioso.

Capa, Diagramação e Escrita: Seguindo o padrão da editora para os livros do autor, com fundo preto e outra cor de destaque (nesse caso aquele azul esverdeado ou verde azulado), a capa é simples, porém bonita.
Como em todos os livros de Sidney Sheldon, a trama é descrita em 3ª pessoa. Há um errinho de digitação (eu acho): o depoimento de umas das personagens aparece datado em 2010, quando a história está se passando em 2006. Nada que prejudique a leitura.

Concluindo: Típico de Sidney Sheldon, você acaba um capítulo e não consegue não começar o outro, tamanha a curiosidade de saber o que vai acontecer. No entanto, não é daqueles livros que vão marcar a sua vida. O final me surpreendeu um pouco, apesar de suspeitar do assassino desde o começo, a forma como foi revelado e a motivação dos crimes foram inesperados.
Se você não conhece outros livros do autor, posso indicar muitas histórias melhores. Esse seria apenas um livro para te tirar do tédio. Agora, se você é um “Sheldonmaníaco” como eu, vale à pena para matar as saudades desse brilhante escritor.

Quotes:
“Acho que a verdade é a verdade. As pessoas mentem para si mesmas, só isso. Elas veem o que querem ver.” 
Classificação:
Quer escolher a próxima resenha? É só clicar lá em cima em "Resenhas" e escolher um dos livros da lista!