Resenha - A Corrida de Escorpião

Resenha feita pela Luh!  
Título: A Corrida de Escorpião
Título Original: The Scorpio Races
Livro Único.
Autora: Maggie Stiefvater
Editora: Verus
Páginas: 378
Ano: 2012
Saiba mais: Skoob
Comprar: Submarino // Saraiva

Um dos melhores livros que eu li esse ano, vai entrar para a minha lista de favoritos e recomendo-o a todos!
A resenha vai sim ficar enorme, mas espero que vocês leiam tudo, porque eu preciso que vocês entendam como esse livro é ótimo.

Sinopse: A cada novembro, os cavalos d'água emergem do oceano e galopam na areia sob os penhascos de Thisby. E, a cada novembro, os homens capturam esses cavalos para uma corrida eletrizante e mortal. Alguns cavaleiros sobrevivem. Outros, não. Aos 19 anos, Sean Kendrick já foi quatro vezes campeão. Ele é um jovem de poucas palavras e, se tem medos, guarda-os bem escondidos, onde ninguém possa vê-los. Puck Connolly é uma novata nas Corridas de Escorpião. Ela nunca quis participar da competição, mas o destino não lhe deu muita escolha. Sean e Puck vão competir neste ano, e ambos têm mais a ganhar - ou a perder - do que jamais pensaram. Mas apenas um deles pode vencer.
(A tradução brasileira errou um pouquinho na sinopse, os cavalos surgem e são capturados em outubro e apenas a corrida é em novembro)

A Trama: A história começa com Puck vendo o primeiro cavalo d'água a surgir do mar naquele ano. Ninguém sabe porque eles só aparecem naquela ilha ou porque ficam enlouquecidos em outubro, mas o fato é que durante todo o mês, os cavalos sanguinários saem do mar, ensandecidos e famintos, e aterrorizam a ilha. Algum homem muito maluco teve a ideia de capturar e morrer tentando treinar um desses animais para uma corrida e agora todos os anos é a mesma coisa. O prêmio para o vencedor parece ser bem alto (apesar de não sabermos ao certo seu valor) e muitos turistas corajosos viajam até a ilha para apreciar o assassinato evento.

A trama inteira se passa no mês de outubro e acompanha a preparação dos dois protagonistas para o tão esperado dia. Os cavalos d'água fornecem toda a ação necessária na história e eu adorei cada página do livro. Há um pouco de romance, apesar de ele ficar em segundo plano, mas é do tipo bom: que se desenvolve bem lentamente e você só tem um gostinho dele de vez em quando e fica querendo sempre mais.
A única coisa que me incomodou foi que os moradores da ilha se acidentavam e alguns até morriam e logo tudo estava de volta ao normal, como se aquilo fosse uma coisa comum. Mas, pensando bem, talvez seja mesmo comum em uma cidade com cavalos malvados.
O final foi um pouco diferente do que eu esperava, mas vou admitir que eu não sabia bem pelo que ansiar. Primeiro eu queria que algum dos protagonistas morresse, porque o dilema deles parecia não ter solução, depois eu ficava desesperada com a ideia e já estava literalmente quase rezando pra isso não acontecer. Conforme eu lia as últimas páginas, juro, tudo o que conseguia pensar era "Não mate ninguém, não mate ninguém". Não vou contar se o final foi feliz ou triste para não estragar, só direi que foi satisfatório e emocionante.

O Protagonista: 15 páginas, contadas do ponto de vista da Puck, foram tudo o que eu precisei para me apaixonar pela personagem (apesar de seu apelido horrível). Ela é o modelo perfeito de como uma heroína deve ser: corajosa, decidida, inteligente, vulnerável e muito protetora das coisas que ama. Eu passei o livro inteiro acreditando que a garota não tinha chances na corrida e acabaria machucada (ou pior), mas isso me fez admirá-la e torcer ainda mais por ela. Ambos os protagonistas são órfãos  cada um de uma maneira diferente, e a vida difícil contribuiu para seu amadurecimento precoce. Sean frequentemente parecia ser um homem adulto, com suas decisões cuidadosamente calculadas, e eu gostei muito de vê-lo perdendo um pouco o controle perto de Puck.

Os Personagens Secundários: Todos os personagens foram muito bem escritos, cada um tinha seu passado (mesmo que a autora não o contasse em detalhes), suas motivações, crenças e peculiaridades. George Holly foi meu predileto, com seu jeitinho misterioso e divertido, mas não posso deixar de mencionar Mutt, que foi um antagonista perfeito, sendo "mal" mas tendo motivos plausíveis para isso. Malvern e Peg também foram formidáveis e a única pessoa que realmente não parece ter feito diferença no livro foi Finn, um dos irmãos de Puck, mas todos os outros me encantaram.

Capa, Diagramação e Escrita: A escrita da Maggie, não vou mentir, é uma das melhores que eu já li. Ela tem o dom de fazer você se sentir como se estivesse vivendo uma história, não apenas lendo-a. A tradução está muito boa e eu encontrei alguns errinhos de revisão, mas nada demais. A diagramação ficou bonita, com a letra em tamanho ideal. No início de cada capítulo há um cavalinho, juntamente com um número e o nome do narrador atual.
Gostei da capa, apesar de não ser uma das minhas favoritas. A imagem é bem simples, mas a capa é toda metalizada e o nome da autora e o título são em alto relevo :D

Concluindo: Pretendo ler esse livro outra vez, porque sinto que uma vez não é o suficiente. Preciso de mais de Puck e Sean, mais do romance silencioso, mais dos cavalos d'água e de todos os personagens.
A Corrida do Escorpião entrou para os meus favoritos sem dúvida alguma e Maggie Stiefvater é uma autora excelente, espero que todos tenham a oportunidade de ler esse livro maravilhoso.

Quotes:
Hoje é o primeiro dia de novembro, portanto alguém vai morrer. 
Esta ilha é astuciosa e cheia de segredos. Não faço a menor ideia de seus planos para mim. 
- Não serei seu ponto fraco, Sean Kendrick.
Agora ele me olha. Diz, muito suavemente:
- É tarde para isso, Puck.
Classificação:
Quer escolher a próxima resenha? É só clicar lá em cima em "Resenhas" e escolher um dos livros da lista!