Resenha - Estudos sobre Veneno

Resenha feita pela Luh!  
Título: Estudos sobre Veneno
Título Original: Poison Study
Série: As Lendas de Yelena Zaltana (#1)
Autora: Maria V. Snyder
Editora: Harlequin
Páginas: 416
Ano: 2011
Saiba mais: Skoob
Comprar: Submarino // Saraiva

Uma trama muito original com personagens cativantes.

Sinopse: Prestes a ser enforcada, Yelena é agraciada com uma prorrogação extraordinária para sua pena. Ela aceita se tornar provadora de comida e morrer no lugar do Comandante de Ixia. Mas Valek, o chefe da segurança, não deixa brecha para fuga e a envenena com Pó de Borboleta. Somente se apresentando diariamente para ele, Yelena poderá tomar o antídoto. Enquanto tenta encontrar um meio de escapar, rebeldes planejam sitiar Ixia, e Yelena desenvolve poderes mágicos. Sua vida é ameaçada e ela precisa escolher de novo...

A Trama: Yelena é uma garota de 19 anos que foi sentenciada à morte. O início do livro tem cenas um pouquinho fortes, que eu definitivamente não recomendaria para crianças, mas a trama vai direto ao ponto e, em pouquíssimas páginas, a protagonista recebe uma oferta de "emprego": ser a nova provadora de comida do Comandante, a maior autoridade do reino. Eu nunca tinha lido nada parecido, gostei muito da ideia da autora, ser uma provadora de comida significa que Yelena pode morrer a qualquer instante e isso deixou a história ainda mais emocionante.
O ritmo do livro não é muito rápido, mas a história não se arrasta e eu gostei de ter um pouco de tempo para me acostumar com os personagens e entender tudo o que estava acontecendo. O final toma um rumo previsível e o livro foca bastante nos sentimentos de Yelena (então não vemos muita ação), mas a história me prendeu do início ao fim.


O ProtagonistaÉ fácil gostar da protagonista desde o início, ela é uma garota inteligente, esforçada e muito corajosa, sem aquele traço de teimosia e egoísmo que muitas vezes observo em personagens desse tipo. Como a história começa abruptamente, sem contar absolutamente nada do passado de Yelena, a autora em diversos momentos "pausa" a trama para contar um pouco sobre o que aconteceu com a protagonista e ajudar o leitor a entender os sentimentos e ações dela. Eu gostei muito disso, porque é possível se conectar ainda mais com a personagem, especialmente considerando seu passado trágico.

Os Personagens Secundários: Vou admitir que a maioria dos personagens do livro é um pouco "superficial", eles parecem estar ali apenas para cumprir seu papel na história e eu senti falta de algo mais profundo. Mas foi impossível prestar muita atenção em tais personagens, porque eu só tinha olhos para Valek. O chefe da segurança do castelo e a pessoa que mais lida com Yelena, ele se tornou meu personagem predileto. É claro que no início eu não gostava muito dele, sendo que ele parecia ser o "chefe cruel" da protagonista, mas aos poucos a personalidade e as convicções de Valek foram se revelando e ele mostrou ter de sobra o que faltou nos outros: personalidade. Valek tem ideais pelos quais ele luta, linhas que se recusa a ultrapassar e sentimentos que tenta, em vão, ignorar. Eu poderia passar o dia aqui falando do personagem, mas o importante é que foi ele quem me conquistou.

Capa, Diagramação e Escrita: De todas as 4 capas que Poison Study tem (nas versões americanas), essa é uma das que menos gosto. As cores são muito escuras e, por isso, é difícil entender a imagem. Gostei do nome, que ficou uma tradução semelhante ao original, e as duas fontes diferentes usadas no título deram um contraste legal. A escrita da Maria é bastante comum, mas ela toma o cuidado de descrever bem os ambientes e personagens e o livro é escrito em 1ª pessoa, então eu gostei.

Concluindo: A trama não é carregada de ação e os personagens não são muito bem desenvolvidos, mas o livro conseguiu me prender e a história me emocionou. Gostei muito de Yelena e Valek e estou ansiosa para saber o que acontecerá agora.

Quotes:
Ele abriu um arquivo em sua mesa e conferiu as páginas. "Yelena, hoje pode ser seu dia de sorte," ele disse.
Se Valek descobrisse minha magia, eu morreria. Se eu não encontrasse uma maneira de ir para Sitia, eu morreria. Se alguém envenenasse a comida do Comandante, eu morreria. Se Brazel construísse sua fábrica e quisesse vingar seu filho, eu morreria. Morta, morta, morta e morta. Morte por Pó de Borboleta estava começando a parecer algo bom. Era o único cenário em que eu poderia escolher quando, onde e como eu morreria.
Classificação:
Quer escolher a próxima resenha? É só clicar lá em cima em "Resenhas" e escolher um dos livros da lista!