Resenha - Unison

Resenha feita pela Mari!  
Título: Unison
Título Original: Unison Spark
Livro Único
Autora: Andy Marino
Editora: Jangada
Páginas: 265
Ano: 2012
Saiba mais: Skoob
Comprar: Extra // Saraiva

Um livro um pouco complicado, mas perfeito para os que gostam de uma ação inteligente.

Sinopse: Para participar da Unison, a rede social que conhece você melhor do que você mesmo, é necessário pagar para se ter um login. Vivendo na miserável Pequena Saigon, Mistletoe, uma garota de 15 anos de idade, sonha com o login que a levaria ao “mundo melhor” da Unison. Esses dois mundos colidem quando Ambrose Truax, o herdeiro do império Unison, é encontrado perambulando pelas perigosas ruas da Pequena Saigon e Mistletoe o salva de suspeitos homens uniformizados. Eles logo descobrem que compartilham sonhos estranhamente parecidos, sugerindo um passado em comum que poderá revelar uma perturbadora realidade sobre suas origens. Juntos, eles começam a desvendar o mistério sobre suas identidades e descobrem que eles são apenas peões em um jogo maior: a criação da Unison 3.0, um novo e sinistro tipo de rede social que pode redefinir completamente o que se entende por realidade.

A Trama: Anna, mais conhecida como Mistletoe, é uma garota pobre que cresceu na subcúpula (o equivalente a favela nos dias de hoje) e nunca pôde aproveitar as revoluções da Era Unison: Uma rede social em que os usuários conseguem 'entrar' em um novo mundo, lá você pode ser quem quiser, fazer milhões de amigos, curtir festas sem que seu corpo saia da segurança de sua  casa.
A menina nunca conheceu os pais, foi criada por seu tutor Jiri e sua 'tia' Dita, até certo dia quando Jiri recebe uma ligação misteriosa e tem que sair às presas de casa. A protagonista o segue e assiste enquanto ele é assassinado por um policial, ela tenta interferir e consegue resgatar um garoto que ela nunca havia visto, mas que é o motivo da morte de Jiri.
O garoto se chama Ambrose e é o filho mais novo de Martin Traux, criador e dono do império Unison. Mistletoe e Ambrose descobrem que tem mais em comum do que pensavam, agora eles querem saber de onde vieram e o que Martin está tramando com a nova versão da Unison.

O ProtagonistaNo início a única protagonista é Anna, mas quando conhecemos Ambrose ele se torna um segundo protagonista e a história começa a ser contada alternadamente entre os dois. A menina é determinada, teve uma criação humilde e é o tipo de pessoa que tem poucos amigos, mas que faria tudo por eles. Ela não tem medo de se aventurar, tem apenas 15 anos mas foge do tipo "garota bobinha que acredita em tudo o que dizem". 
Ambrose no começo parece só mais um riquinho mimado que se importa unicamente com seu nariz, mas quando ele vai parar na pequena Saigon, cidade da Mistletoe, mostra que é muito mais que um rostinho bonito, está disposto a abandonar o luxo para conseguir respostas.

Os Personagens Secundários: Ao contrário da maioria dos livros, esse tem poucos personagens secundários que não ganham muito espaço durante a trama. Jiri é um homem misterioso que tem uma loja de conserto de eletrônicos antigos, ele cuida de Mistletoe desde bebê e dá uma scooter pra ela nomeada de Nelson, mas não chegamos a conhecer muito do homem devido à sua morte no começo da história.
Tia Dita é uma mulher carinhosa que ajudava Mistletoe como se fosse sua mãe. Sliv (meu personagem favorito) é um bom amigo da garota e talvez até futuro namorado, é fofo e muito bom com tecnologia, ajuda ela nos momentos mais difíceis.
Martin Traux (como citado acima) é criador e dono da rede Unison, sempre tramando alguma coisa, vive (literalmente) no Unison, ninguém sabe a real localização de seu corpo. Ele é distante e misterioso, mas no começo engana muita gente com o sorriso amigável.

Capa, Diagramação e Escrita: Eu não sou muito fã das capas que trazem o protagonista, como essa traz a Mistletoe, pois te impede de criar uma imagem própria, mas tenho que admitir que tanto a capa quanto a sinopse me deixaram muito curiosa a respeito do livro. A história é toda narrada em terceira pessoa com narrador onisciente (que tudo sabe), a letra tem um tamanho bom pra leitura e não reparei em nenhum erro de digitação, sem palavras complicadas, mas algumas gírias como Ma Buh que depois de algum tempo fui entender que equivale ao "mas bah" dos gaúchos.

Concluindo: Uma leitura meio complicada, tive que reler alguns pedaços e prestar muita atenção durante toda a história, não foi meu livro preferido devido a complexidade, levei uma semana pra ler, mas para os que gostam de uma ação inteligente talvez valha a pena a leitura.

Quotes:
- Primeiro inventaram o aço plástico. Então os prédios começaram a chegar até as nuvens. Ninguém com grana para viver no alto queria ficar na parte baixa. Daí os andares de baixo ficaram pra gente como eu e Jiri, mas depois de um tempo gente como você decidiu que era muito perigoso ter ricos e pobres no mesmo prédio. Evacuaram os primeiros 30 andares e encheram tudo com vigas extras de suporte de aço plástico para ninguém voltar. No fim todos ficaram assim. A gente construiu casas subindo encostadas nos prédios de vocês, e aí vocês instalaram a cúpula. Foi tudo um enorme toma lá da cá.
Classificação:
Quer escolher a próxima resenha? É só clicar lá em cima em "Resenhas" e escolher um dos livros da lista!