Resenha - A Hospedeira

Resenha feita pela Maay!  
Título: A Hospedeira
Título Original: The Host
Livro Único.
Autora: Stephenie Meyer
Editora: Intrínseca
Páginas: 560
Ano: 2009
Saiba mais: Skoob
Comprar: Submarino // Saraiva

Uma viagem longa, mas que vale à pena.

Sinopse: Melanie Stryder se recusa a desaparecer. Nosso planeta foi dominado por um inimigo que não pode ser detectado. Os humanos se tornaram hospedeiros dos invasores: suas mentes são extraídas, enquanto seus corpos permanecem intactos e prosseguem suas vidas aparentemente sem alteração. A maior parte da humanidade sucumbiu a tal processo.
Quando Melanie, um dos humanos "selvagens" que ainda restam, é capturada, ela tem certeza de que será seu fim. Peregrina, a "alma" invasora designada para o corpo de Melanie, foi alertada sobre os desafios de viver dentro de um ser humano: as emoções irresistíveis, o excesso de sensações, a persistência das lembranças e das memórias vívidas. Mas há uma dificuldade que Peregrina não esperava: a antiga ocupante de seu corpo se recusa a desistir da posse de sua mente.
Peregrina investiga os pensamentos de Melanie com o objetivo de descobrir o paradeiro dos remanescentes da resistência humana. Entretanto, Melanie ocupa a mente de sua invasora com visões do homem que ama: Jared, que continua a viver escondido. Incapaz de se separar dos desejos de seu corpo, Peregrina começa a se sentir intensamente atraída por alguém a quem foi submetida por uma espécie de exposição forçada. Quando os acontecimentos fazem de Melanie e Peregrina improváveis aliadas, elas partem em uma busca incerta e perigosa do homem que ambas amam.

A Trama: A Terra foi invadida por alienígenas e os humanos se tornaram seus hospedeiros. Melanie é uma das poucas humanas que, ao longo dos anos, conseguiu fugir desse destino, até que é capturada e entregue à Peregrina, a alma invasora. Porém, Melanie se mostra irredutível e não reage da forma esperada. Enquanto Peg domina o corpo, Mel continua em posse da mente, e faz dessa a sua maior arma.
Quando uma alma Buscadora começa a ameaçá-las, as duas acabam sendo obrigadas a se tornarem aliadas. A pedido de Mel e buscando proteção, elas seguem à procura de outros humanos, que vivem refugiados em uma caverna.
A história realmente começa quando elas chegam na caverna e para chegar aí já se passaram mais de 100 páginas. Os humanos primeiro se mostram receosos com a presença de um inimigo entre eles, mas aos poucos (à exceção de alguns mais "cabeças-duras") acabam aceitando Peg como parte do grupo. Quando, então, aparecem novos desafios e o grupo conta com a ajuda de Peg para recuperar a Terra.



As ProtagonistasMelanie é uma humana de 21 anos que passou a vida fugindo, ao lado de seu irmão mais novo, Jammie, e seu namorado, Jared. Uma mulher extremamente forte e resistente, foi obrigada a amadurecer cedo para cuidar do irmão e isso fez com que desenvolvesse uma compaixão muito grande. No começo me irritei com ela, mas ao longo do livro, conforme o relacionamento entre ela e Peg foi se tornando mais forte, minha simpatia por ela foi aumentando.
Peregrina é a alma invasora que possui o corpo de Mel. Ela recebe esse nome pois já viveu em um grande número de planetas, mas nunca se apegou a nenhum, até agora. Como todas as almas, ela é naturalmente boa e tem pavor de violência. Se culpa por ter prejudicado a vida de Mel, e chega até mesmo a se oferecer em sacrifício para que a amiga possa retomar sua vida. Peg me encantou desde o início com seu jeito doce e divertido, o que pode ser devido à narração em primeira pessoa (ou não). Só sei que senti vontade de abraçá-la do início ao fim (haha).


Os Personagens Secundários: Jared, namorado de Melanie, vive refugiado ao lado de vários humanos na caverna para onde as duas seguem. Um homem que endureceu com a vida, a princípio é rude com Peg, mas quando percebe que Mel ainda habita aquele corpo, ele passa a deixar a amargura de lado e permite que o amor por Mel fale mais alto. Porém, sempre mantendo um pé atrás.
Jammie é uma graça, com apenas 14 anos, é um garoto extremamente adulto. Desenvolve um relacionamento com Peg desde a primeira vez que a encontra, não somente por ela estar no corpo de sua irmã, mas também por gostar dela própria e de suas histórias. Não se deixa levar quando os outros lhe advertem para tomar cuidado, sabe muito bem o que quer e, assim como a irmã, corre atrás disso.
Ian é o homem dos meus sonhos (haha), me apaixonei por ele, e tinha vontade de bater em Mel cada vez que ela atrapalhava seu romance com Peg. Foi um dos primeiros membros do grupo (depois de Jammie) a aceitar a alma e defendê-la quando os outros tentaram matá-la. Ian é descrito por Peg como um homem bonito, forte e extremamente amável. Quando se apaixona por Peg, se mostra muito devotado, mas em momento algum lhe falta ao respeito.


Capa, Diagramação e Escrita: Acho a capa desse livro linda (mas sou uma apaixonada por olhos, haha). A diagramação é simples, a letra é pequena e a linguagem bem simples. Cada capítulo tem como título uma palavra que o resume, o que achei bem legal e criativo. A fonte é diferente quando se refere a um pensamento/lembrança de Mel, do que a fonte utilizada no resto do livro (quando é Peg falando), o que facilita muito para que o leitor entenda a história. Acredito que sem esse recurso, eu teria ficado confusa em vários trechos. Na maior parte da história, é Peg quem narra em 1ª pessoa, o que faz com que o leitor se sinta no seu lugar e muitas vezes assuma suas emoções como suas.

Concluindo: Das 560 páginas, 300 são extremamente cansativas. Confesso que só não abandonei o livro na metade porque tenho TOC e não consigo não terminar uma leitura iniciada. Foi a segunda metade do livro que me fez não me arrepender de ter persistido e tornou o livro maravilhoso.
Com adjetivos em excesso, típico de Meyer, e viajando pelo sobrenatural, o livro é bem diferente da Saga Crepúsculo. Acho que a autora amadureceu como escritora, criando personagens mais concretos e fortes. Na minha opinião (apesar de não abandonar os adjetivos, já falei isso né? haha), a escrita melhorou bastante também. Quanto à história, é um livro que não se prende apenas ao romance bobo e (teoricamente) impossível, que se tornou cansativo ao longo dos quatro volumes da saga vampiresca. Os relacionamentos nascem de forma natural e se fortalecem ao longo do tempo, não existe aquela paixão instantânea que torna as coisas irreais. A Hospedeira explora valores éticos que tornam a leitura mais profunda, mais adulta, apesar de ainda ser voltado ao público jovem, e torna-se tão envolvente ao longo da trama que você realmente passa acreditar no que as personagens estão vivendo.
Se você não se importa com cenas paradas, leia. É um romance maduro e muito bom. Agora, se você não tem paciência, nem perca seu tempo, você não vai aguentar chegar até o final e seria uma pena abandonar esse livro pela metade. Stephenie se enrolou e inclusive se perdeu em alguns momentos, mas, mais uma vez, o livro é bom e vale à pena, só demorou pra entrar no ritmo.
Há boatos de que a autora esteja escrevendo uma continuação, porém não há confirmação. O filme está previsto para março de 2013 (uma boa alternativa para aqueles que não terão paciência para o livro).


Quotes:
Eu sabia que começaria pelo fim, e que o fim pareceria a morte a estes olhos. Eu tinha sido avisada.
Alma. Acho que é uma descrição adequada. A força invisível que guia o corpo.
- Eu gosto muito de você, Peg.
- Estou apenas começando a ver isso. Acho que devo ser um pouco lenta.
Classificação: