Resenha - O Atlas Esmeralda

Resenha feita pela Beatriz!  
Título: O Atlas Esmeralda
Título Original: The Esmerald Atlas
Série: Os Livros do Princípio
1- O Atlas Esmeralda
2- The Fire Chronicle (2012 US)
3- Sem previsão
Autor: John Stephens
Editora: Suma das Letras
Páginas: 295
Ano: 2011
Saiba mais: Skoob
Comprar: Submarino // Saraiva

Fantasia. Mágica. Guerra. Mortes. Mistérios. Há combinação melhor?

Sinopse: Há dez anos, numa noite de inverno, os irmãos Kate, Michael e Emma foram tirados de suas camas às pressas, perseguidos por criaturas estranhas e levados para longe de seus pais, os quais nunca mais viram. Desde então, os três passaram todo esse tempo vivendo em vários orfanatos sem saber o que de fato aconteceu naquela noite. Kate, a mais velha, é a única que tem lembranças dos pais, a quem jurou proteger seus irmãos a todo custo até que a família estivesse reunida novamente; Michael, o do meio, adora o mundo dos livros e histórias de magia e é sempre alvo de implicância dos garotos mais velhos; e Emma, a mais nova, é uma verdadeira encrenqueira, mas de grande coração. Quando chegam a uma mansão abandonada, os irmãos encontram um atlas encantado que os faz viajar no tempo e os leva para uma terra habitada por gigantes, anões, lobos famintos, crianças prisioneiras e uma condessa que é a fonte de todo o Mal. Assim, as crianças que apenas buscavam o paradeiro de seus pais acabam tendo que salvar o mundo.

A Trama: Muito bem elaborada, conhecemos os segredos do passado dos irmãos P. Desde o dia em que foram levados dos pais por um motivo desconhecido, Kate tem apenas uma lembrança da mãe, a promessa de proteger os irmãos, e Michael guarda um único objeto pertencente ao pai, um livro sobre anões. Passando de orfanato em orfanato, com Emma criando brigas em cada um, eles são levados a Cambridge Falls, o último lugar que ainda poderia aceitá-los, mas só tem um problema, três na verdade: eles descobrem que são as únicas crianças lá, o lugar fica no alto de uma montanha e a empregada é mal humorada. 

Até que um dia, depois de ouvir histórias sinistras sobre aquele lugar (principalmente de lobos que caçam qualquer um que estiver à deriva à noite e que no passado já existiram outras crianças), Kate junto com seus irmãos descobrem um livro capaz de, com uma fotografia ou até menos que isso, transportá-los para o local onde foi tirada. Mas e se algo acabar dando errado, quais serão as consequências quando retornarem ao futuro e, mais importante, vão conseguir voltar inteiros? Ao longo da história, percebemos que um dos três irmãos tem uma profunda ligação com o Atlas, o que me faz crer que há Livros do Princípio para cada um. Será esse o motivo para serem privados de uma vida normal? 


Os Protagonistas: A história gira entorno dos três irmãos sem sobrenome, Kate, Michael e Emma. No começo, eu achei as personalidades deles um tanto  forçadas, pois Kate só pensava em proteger os irmãos, Michael em anões e Emma em brigar. Mas com o passar do livro, o amadurecimento e as escolhas feitas por eles, percebemos os defeitos e virtudes de cada um, além dos que todos tem em comum, como a coragem e o desejo de saber qual seu verdadeiro sobrenome, o legado de sua família.

Os Personagens Secundários: Eu amei cada personagem! Tenho que começar por Gabriel, o meu preferido. Ele era um gigante e apareceu de forma inusitada na história, disposto a fazer de tudo para proteger e lutar junto com os irmãos, mesmo que para isso tenha de ser o diferente em todo seu povoado e arriscar sua própria vida para um futuro mais justo. Geralmente deixo o antagonista para o final, mas vou falar dela agora. A Condessa, (sim, esse é seu nome), uma vilã incrível e determinada a ter seu objetivo: os três Livros do Princípio nas suas mãos custe o custar, mesmo que tenha de escravizar um vilarejo inteiro, tomar as crianças à força dos pais para seu palácio e matar uma a uma até conseguir o que quer. A única parte que achei confusa foi tentar entender para quem ela trabalhava, pois ele parecia ser o todo poderoso, mas ainda não sei direito quem é e se era completamente mal. 

Dr. Pym, era hilário. Ele apresentou o Atlas aos irmãos, e aparentava ser um simples professor velho, mas depois nas viagens ao passado, descobrimos que ele era um forte mago e eu me divertia com as mudanças de tempo atrapalhando sua compreensão sobre o que aconteceu/iria acontecer/estava acontecendo, deixando a Kate louca da vida em ter que explicar tudo de novo! Não posso esquecer os anões, (adivinhem como Michael ficou), pois foram grandes aliados na luta contra a Condessa, principalmente o sujo e bravo rei que achava ser dono do Atlas, Hamish.

Capa, Diagramação e Escrita: Essa é oficialmente uma das capas mais lindas que eu já vi! Como pega a frente inteira do livro, o desenho ficou perfeito: a cachoeira, o castelo/orfanato aos fundos, os "gritões”, (soldados da Condessa) à espreita na floresta, a cabeça de um lobo bem na margem, os irmãos correndo sobre pedras no precipício... Amei cada detalhe. E o que é esse dourado nas letras! Faz um contraste perfeito como um grande final. E eu ainda não falei do verso do livro. Os desenhos passam a sensação de estarmos dentro do Atlas e os tons de verde combinaram incrivelmente.
Posso reclamar só um pouquinho do tamanho da letra, pois mesmo sendo o padrão da editora eu achei pequena, mas os começos de capítulos são lindos, cada um com seu título, número indicativo e um desenho. Não posso mentir, a escrita do autor é soberba. Em terceira pessoa, conseguiu me prender na narrativa de um jeito impressionante. As descrições dos lugares e detalhes são minuciosas, sendo que eu me sentia realmente na história e o autor deixou claro com os detalhes que sua imaginação não tem limites para criar momentos mágicos!

Concluindo: Acho que deu para perceber que eu gostei muito do livro! Ele abre uma nova porta para "Literatura Fantástica", pois eu achei original, (sem os clichês vampiro-anjo-lobisomem, mas também sem exageros de feitiçaria, bruxas, magos...), uma dose perfeita de aventuras. Já o coloquei na lista de releitura! Entrou sem demora para minha lista de favoritos e recomendo a todos que querem experimentar algo diferente. 

Quotes:
Os olhos eram amarelos, com finas pupilas verticais, como as de um gato. A criatura tinha o cheiro de quem ficara enterrado num pântano durante séculos antes de ser retirado. Ela ergueu a espada e apontou na direção de onde havia vindo.

Os olhos eram amarelos, com finas pupilas verticais, como as de um gato. A criatura tinha o cheiro de quem ficara enterrado num pântano durante séculos antes de ser retirado. Ela ergueu a espada e apontou na direção de onde havia vindo.
Classificação: