Resenha - Branca de Neve e o Caçador

Resenha feita pela Beatriz!  
Título: Branca de Neve e o Caçador 
Título Original: Snow White and The Huntsman
Livro Único.
Autores: Lily Blake, Evan Daugherty, John Lee Hancock, Hossein Amini
Editora: Novo Conceito
Páginas: 208
Ano: 2012
Saiba mais: Skoob
Comprar: Submarino // Saraiva

Bem mais encantador que o filme e com uma deliciosa narrativa.

Sinopse (Sempre me inconformo com esse spoiler descarado na sinopse): Há dez anos, a vingativa Rainha Ravenna assassinou o rei na mesma noite em que se casara com ele. No entanto, dominar o reino tornou-se um sofrimento para a Rainha. Para salvar seus poderes, ela deve devorar um coração puro, e Branca de Neve é a única pessoa com esse coração. A fim de capturá-la, Ravenna recorre ao Caçador, o único homem que já se aventurou pela Floresta Sombria e sobreviveu. Branca de Neve será morta pelo Caçador? Ou será treinada por ele e se tornará a melhor guerreira que o reino já conheceu?

A Trama: Depois de dez anos trancada em uma torre, vendo moças serem levadas para a rainha e nunca mais regressarem, Branca de Neve encontra o melhor presente de aniversário: uma brecha para a liberdade. Seu ódio por Ravenna é correspondido em todo o reino desde a noite em que seu pai foi morto e descoroado, fazendo o exército da nova rainha, feito de estilhaços negros, espalhar sangue e terror pelos vilarejos, sem contar a morte de quase todo o ser vivo.
Depois de conseguir fugir para a tão temida Floresta Sombria, Branca "convence" o caçador Eric a ajudá-la. Ambos então começam uma jornada que exigirá muita força de vontade e lealdade enquanto fogem dos soldados e tentam sair sem cair nos truques da Floresta ou na influência que a rainha exerce em todos os lugares. O objetivo de Branca é chegar ao reino de seu amigo de infância, William, enquanto o Caçador apenas tenta esquecer a dor de perder a falecida esposa, Rose...
Confesso que a história em si é um tanto confusa, e mesmo sendo baseado no filme, o livro apresenta muitas cenas extras. Porém, a narrativa esplendorosa se atenta aos detalhes, fazendo imaginar com clareza os mais diversos cenários, e foi a responsável por aumentar a nota do livro. Mas nada é só maravilhas, o final é extremamente previsível e um tanto insatisfatório e há certas partes do livro que, no meu ponto de vista, foram mal revisadas e, mesmo que eu as relesse, continuava sem entender.


O Protagonista: Estou numa onda de livros com protagonistas neutras. Branca de Neve realmente não tinha nada de especial, (principalmente a atriz escolhida... cof). Creio que, naturalmente, ela sentia muita a falta dos pais e do convívio social, digamos assim. Mas para não dizer que a Branca não teve graça, posso acrescentar que ela possuía bravura e seguia em frente sem pensar duas vezes. Apenas achei que fizeram uma personalidade muito apagada para alguém que recebeu todos os holofotes e privilégios de ter "o sangue mais belo e o coração mais puro".

Os Personagens Secundários: Um destaque para o Caçador, meu personagem preferido (e não é por causa do Chris Hemsworth!), por ter uma personalidade muito bem definida. Depois de ter perdido a esposa para a rainha, Eric não sentia mais vontade de viver e tentava diminuir a dor mergulhando-se em bebidas. Ele teve um bom coração e superou a tentação do suposto "prêmio" que a rainha lhe ofereceu, caso capturasse Branca de Neve. William, o amigo de infância, e Finn, irmão de Ravenna, foram muito superficiais para mim. William não fez praticamente nada e Finn apenas levava moças para rainha absorver toda sua juventude.
Claro, não podia faltar a vilã bem construída, Ravenna. Desde a infância turbulenta, Ravenna nunca mais foi a mesma. Focada em sempre ser a mais bela e jovem de todas, conseguiu dominar o reino provando não ser só vaidade, mas também inteligência. Ela também possui qualidades vilânescas como egoísmo, ciúmes e ambição além do limite.

Capa, Diagramação e Escrita: A capa é muito bonita e segue o cartaz do cinema. A frente é onde reina o único colorido de todo livro, por isso não gostei muito do titulo ocupar quase metade do espaço, mas ainda ficam visíveis os clássicos corvos de Ravenna, a árvore da Floresta Proibida, os variados cogumelos e algumas poucas flores. Gostei mais dos detalhes do verso, usados também para dividir os capítulos, corvos sobrevoando caveiras com coroas.
A Novo Conceito merece parabéns pela diagramação impecável! Todos os desenhos em preto em branco foram bem feitos e detalhados, além do estilo das frases no início do livro que deixam um enorme suspense. As letras e espaçamentos possuem um ótimo tamanho, fazendo com que tudo colabore para uma boa opção de entretenimento. Talvez por possuir tantos autores há partes um pouco perdidas, afinal são opiniões diferentes trabalhando juntas, mas fora isso não tenho o que reclamar da escrita, é leve sem tantos aprofundamentos ou diálogos e o foco principal é fazer o leitor viajar nas descrições de ambientes.

Concluindo: Um livro que você lê sem pensar muito, apenas para passar o tempo, com mais uma versão moderna do clássico conto. Além disso, não chega as 200 páginas por ter iniciações de capítulos que tomam boa parte do espaço :D

Quotes:
- Saiba - gritou - que pelo mais belo sangue isso foi feito e somente pelo mais belo sangue pode ser desfeito.

A praia era coberta de grandes pedras cinzetas. Estavam dispostas em fileiras, criando um labirinto enorme, que se estendia pelo comprimento da areia.

Ouça o choro da batalha. Deixe-o gritar desde as montanhas. [...] Porque a morte é uma boca faminta. E você é a maçã.
Classificação: