Resenha - Starters

Resenha feita pela Beatriz!  
Título: Starters
Título Original: Starters
Série: Starters
1- Starters
2- Enders (2014 US)
Autora: Lissa Price
Editora: Novo Conceito
Páginas: 367
Ano: 2012
Saiba mais: Skoob
Comprar: Submarino // Saraiva

Para quem gosta de um livro rápido sem se importar com pouca explicação.

Sinopse: Seu mundo mudou para sempre. Callie perdeu os pais quando as guerras de Esporos varreu todas as pessoas entre 20 e 60 anos. Ela e seu irmão mais novo, Tyler, estão se virando, vivendo como desabrigados com seu amigo Michael e lutando contra rebeldes que os matariam por uma bolacha. A única esperança de Callie é Prime Destinations, um lugar perturbado em Berverly Hills que abriga uma misteriosa figura conhecida como o Old Man. Ele aluga adolescentes para alugar seus corpos aos Terminais — idosos que desejam ser jovens novamente. Callie, desesperada pelo dinheiro que os ajudará a sobreviver concorda em ser uma doadora. Mas o neurochip que colocam em Callie está com defeito e ela acorda na vida de sua locadora, morando em uma mansão, dirigindo seus carros e saindo com o neto de um senador. Parece quase um conto de fadas, até Callie descobrir que sua locatária pretende fazer mais do que se divertir — e que os planos de Prime Destinations são tão diabólicos que Callie nunca podia ter imaginado...

A Trama: A vida das pessoas com menos de vinte anos, como Callie, anda um inferno. O que antes era considerado sorte, ser vacinado contra os Esporos, agora virou a pior decisão que já tomaram. Tendo que sobreviver à fome nas ruas e ainda cuidar do irmão caçula doente, Callie acredita que seria melhor ter morrido junto com seus pais, até que o desespero a leva a acreditar nos rumores sobre a empresa Prime Destinations, que promete uma boa quantia em dinheiro para os jovens que assinarem um contrato e permitirem que seu corpo fique no comando de algum Ender, pessoas geralmente com mais de 100 anos que receberam o privilégio de tomar a vacina. Mas ocorre um problema com a terceira conexão de Callie, logo a última para receber o pagamento. A partir de então, ela descobre segredos macabros ligados ao chefe da Prime e ao o governo e junto com sua Ender, ou quase, Callie tenta arranjar um meio de revelar a verdade, ao mesmo tempo em que vive a vida luxuosa de sua "hospedeira". 


O ritmo do livro dá impressão que foi escrito com pressa, como se a autora quisesse terminar logo. As consequências foram detalhes que considero importantes em narrativas perdidos,  má apresentação do cenário distópico e o que era para ser o foco principal, a Guerra dos Esporos, tornou-se apenas um pré-texto para a desgraça na vida de Callie.



O Protagonista: Não sei se foi o fato de Callie ter ficado um ano sem se alimentar direito que a impedia de pensar. Sua justificativa para a maioria das atitudes que tomava era que estava pensando em Tyler, seu irmão caçula muito doente. Eu até entendo que ela decidiu se vender para sair da situação horrível em que vivia, mas depois de algo estranho acontecer, ao invés de correr atrás do prejuízo, Callie passava dias desperdiçando tempo com pessoas que mal conhecia, enquanto tinha consciência de que alguma coisa estava errada e que seu irmão e amigos corriam perigo! Porém, Callie de maneira alguma chegou a me irritar, (apenas quando formou um maldito triângulo amoroso em sua cabeça), mas haviam momentos em que eu sentia vontade de entrar no livro e acelerar os acontecimentos para ver se Callie "despertava". Além do mais, sua personalidade ficou muito vaga pela falta de aprofundamento, o que me impediu de ter uma compreensão melhor das suas ações e com isso não consegui me prender à história.


Os Personagens Secundários: Personalidades mal detalhadas, falta de descrições e aprofundamentos, vislumbres muito rápidos e superficiais. Isso pode resumir todos os outros personagens.


Começando por Tyler, o irmão doente. Aparecendo pouquíssimo, ele mais se comportou como uma criança de três e não sete anos. E mesmo que possua uma doença pulmonar, isso impede alguém de ter diálogos inteligentes ou um papel útil no livro?

Outros personagens na medida foram o amigo com quem Callie vivia, Michael, e um garoto que ela conheceu enquanto estava "no trabalho", Blake. Ambos pareciam a mesma pessoa, a única diferença é que Michael sabia o quão duras as ruas são.
A personagem que mais me agradou foi Helena, a Ender que comprou o corpo de Callie. Depois de um incidente único ter ocorrido, as duas conseguem se comunicar de uma forma peculiar. Helena tem por volta de 150 anos, e depois de um tempo percebi que ela não era a vilã de maneira alguma, mas uma vítima. Foi a única personagem que realmente pensou nos problemas e em suas soluções. 

Capa, Diagramação e Escrita: Essa capa me dá medo. Inicialmente, o que chamou minha atenção foram olhos de cores diferentes, o estilo metálico e o interior de um computador estampado nas tonalidades azul e prata. Mas enquanto eu lia, tendo que encarará-la toda vez que fechava o livro, comecei a me sentir observada! 
Achei a diagramação boa para leitura, mas talvez a letra seja um pouco pequena. Em relação à escrita da autora, eu entro em um impasse. Lissa sabe escrever muito bem, em primeira pessoa no ponto de vista de Callie, a leitura flui facilmente e ela tem sim muito potencial. Porém, em minha opinião, percebi que Lissa queria deixar os acontecimentos rápidos e emocionantes e aconteceu de o livro ficar volátil, com nada muito definido, sem explicações concretas sobre a situação do mundo apresentado ou dos personagens. Se não fosse por esses detalhes, eu teria gostado muito mais. 

Concluindo: Li o livro porque tinha curiosidade, já a bendita comparação com Jogos Vorazes não me engana mais! Não é uma leitura que recomendo por não ter me agradado, então leia por sua própria conta e risco ;D

Quotes:
Renegados correndo em direção a meu carro. Cinco deles, com correntes e canos de metal nas mãos e ódio nos olhos.

Será que a Cinderela chegara a cogitar a possibilidade de confessar a verdade para o príncipe na noite em que se divertira com o belo vestido de baile? Será que chegara a penar em dizer que, ah, por falar nisso, Príncipe, a carruagem não é minha, sou apenas uma criada suja e descalça e essa aparência não vai durar muito tempo?
Classificação: