Resenha - Através do Universo

Resenha feita pela Luh!  
Título: Através do Universo
Título Original: Across the Universe
Série: Através do Universo
1- Através do Universo
2- A Million Suns (abril de 2013)
3- Shades of Earth (2013 US)
Autora: Beth Revis
Editora: Novo Século
Páginas: 408
Ano: 2012
Saiba mais: Skoob
Comprar: Extra // Ponto Frio // Fnac // Submarino

Uma distopia em uma nave espacial, tem como ser melhor?

Sinopse: Amy deixou para trás seus amigos, seu namorado, seu mundo inteiro para se juntar aos pais a bordo da nave espacial Godspeed. Para a longa viagem, ela e seus pais foram criogenicamente congelados, esperando enfim acordarem em um novo planeta: Terra-Centauri. Porém, cinquenta anos antes do previsto, a câmara criogênica de número 42 é misteriosamente desligada, e Amy se vê forçada a sair de seu profundo sono de gelo. Alguém havia tentado matá-la. Agora, Amy está presa em um novo – e pequeno – mundo, onde nada parece fazer sentido. Os 2.312 passageiros a bordo de Godspeed são liderados pelo tirânico e assustador Eldest. Elder, seu rebelde sucessor, parece ao mesmo tempo fascinado por Amy e ansioso por descobrir nele mesmo tudo o que se espera de um líder. Amy quer desesperadamente confiar em Elder, mas será que ela deve colocar seu destino nas mãos de um garoto que jamais conhecera a vida fora daquelas frias paredes de metal?

A Trama: O livro inicia com uma cena agonizante, mas muito bem descrita e envolvente, de Amy e seus pais sendo criogenicamente congelados. Logo em seguida pulamos para dezenas ou centenas de anos no futuro, já dentro da nave Godspeed, que há muitos anos perdeu contato com a Terra, mas continua funcionando normalmente na esperança de conseguir chegar ao novo planeta. 
Eu não costumo ser fã de histórias com espaçonaves e coisas do tipo, mas adorei a nave criada por Beth Revis e tudo o que está dentro dela. A construção dos cenários foi perfeita e eu tinha uma imagem clara em minha mente da nave inteira. A tecnologia avançada era original e crível, com os comunicadores wifi, tubos que pareciam elevadores super rápidos e disquetes semelhantes a tablets modernizados.
Vi algumas pessoas reclamando que o ritmo do livro é um pouco lento, mas discordo, acho que o ritmo foi ótimo para conseguirmos conhecer os personagens mais a fundo, mas sem ficar monótono. Além disso, não há muito romance, a trama foca mais no mistério e no drama de Amy, o que dá um ar diferente ao livro. Apesar de Através do Universo fazer parte de uma trilogia, o final respondeu a grande maioria das minhas perguntas e estou ansiando pela continuação, mas não me aborreci por ter que esperar por respostas. O final também foi previsível em certas partes e surpreendente em outras partes e a identidade do assassino ficou óbvia desde a metade do livro, o que tirou um pouco da graça do suspense.

Os Protagonistas: Temos dois protagonistas, Amy e Elder, e o livro é contado em primeira pessoa, com os narradores se intercalando entre os capítulos. Amy é uma garota jovem que decide deixar seus amigos e namorado para trás na Terra, para participar da missão espacial com seus pais. No primeiro capítulo é possível perceber o quanto a garota sacrifica para ficar com os pais, então fiquei muito triste quando ela é acordada antes do previsto. Amy foi minha narradora predileta, provavelmente porque conseguia me identificar com ela. A garota era corajosa e inteligente, mas podia ser um pouco teimosa às vezes.
Apesar de eu ter gostado de Elder, não sentia tanta vontade de 'torcer' por ele, o garoto parecia ter sofrido uma lavagem cerebral e era indulgente com certos comportamentos péssimos, além de se sentir tentado a tomar atitudes  erradas para agradar seu mentor.

Os Personagens Secundários: Na Godspeed todos são morenos, falam a mesma língua e não tem religião. Ainda assim, Beth Revis conseguiu tornar seus personagens únicos de tal maneira que seria impossível confundi-los, mas eu gostaria de ter notado um desenvolvimento maior em cada um.
Harley não fazia muito sentido no início, mas conseguiu me conquistar aos pouquinhos, principalmente quando conheci melhor seu passado. Eldest, o vilão, tinha um ar de ditador e gostava de controlar cada detalhe minúsculo da nave, e gostei muito de entender suas motivações no final do livro. Os outros personagens não fazem aparições significativas, a trama realmente gira em torno de Amy, Elder, Harley e Eldest.

Capa, Diagramação e Escrita: Ok, alguém por favor diga que também não tinha percebido que a capa tinha o rosto de um garoto e uma garota (se beijando ao estilo Homem-Aranha), porque eu só percebi isso depois de terminar o livro. Enfim, eu já achava a capa linda antes e gosto ainda mais dela agora.
As cenas eram tão bem escritas que às vezes parecia impossível parar de ler e as descrições davam um toque especial a cada cena. A escrita de Beth Revis é suave e flui com facilidade. A diagramação é simples, mas com o nome do narrador no topo de cada novo capítulo e notas de rodapé para as palavras mais complicadas, o que ajudou bastante.

Concluindo: Uma distopia com cenários incríveis e trama com diversas reviravoltas, os personagens ainda tem muito espaço para amadurecer e estou extremamente curiosa para ver que rumo a história tomará agora.

Quotes:
Às vezes parece que mil anos se passaram; às vezes parece que adormeci há apenas um momento. Eu me sinto na maior parte do tempo como se estivesse naquele estranho estado no qual fico meio que dormindo, meio que acordada, experimentado quando tento dormir até depois do meio-dia, quado sei que deveria levantar mas a minha mente começa a divagar, e aí então tenho a certeza de que não conseguirei voltar a dormir. Mesmo se voltar a sonhar por alguns momentos, estou acordada com os olhos fechados.
Sim. O sono criogênico é assim.
Eu não posso pensar em nada a não ser nas estrelas.
É como se um pedaço da minha alma estivesse perdido, vazio, e agora está preenchido com a luz de um milhão de estrelas.
Elas são tudo o que sonhei; elas não são nada que eu esperava.
Nunca, nunca mais serei o mesmo.
Classificação: