Resenha - Feita de Fumaça e Osso

Resenha feita pela Luh!  
Título: Feita de Fumaça e Osso
Título Original: Daughter of Smoke and Bone
Série: Feita de Fumaça e Osso
1- Feita de Fumaça e Osso
2- Days of Blood and Starlight (2012 US)
Autor: Laini Taylor
Editora: Intrínseca
Páginas: 384
Ano: 2012
Saiba mais: Skoob
Comprar: Submarino // Extra // Ponto Frio

O melhor livro de 2013 até o momento e uma fantasia incrível!

Sinopse: Pelos quatro cantos da Terra, marcas de mãos negras aparecem nas portas das casas, gravadas a fogo por seres alados que surgem de uma fenda no céu. Em uma loja sombria e empoeirada, o estoque de dentes de um demônio está perigosamente baixo. E, nas tumultuadas ruas de Praga, uma jovem estudante de arte está prestes a se envolver em uma guerra de outro mundo.O nome dela é Karou. Seus cadernos de desenho são repletos de monstros que podem ou não ser reais; ela desaparece e ressurge do nada, despachada em enigmáticas missões; fala diversas línguas, nem todas humanas, e seu cabelo azul nasce exatamente dessa cor. Quem ela é de verdade? Essa pergunta a persegue, e o caminho até a resposta começa no olhar abrasador de um completo estranho.

A Trama: Karou é uma garota bem diferente: ela estuda em uma escola de artes e seu cabelo é azul. Sua vida inicialmente parece ser "comum", tendo briguinhas com seu ex-namorado e passeando com a melhor amiga, até que ela revela que sua "família" é composta por um bando de quimeras - criaturas com partes do corpo humanas e partes de animais. Sua figura paterna, Brimstone, é conhecida como o "Mestre dos Desejos" por realizar os desejos das pessoas em troca de dentes.
Na trama global, a que não gira em torno de Karou, descobrimos que há anjos e demônios (os quimeras) e eles estão em guerra há centenas de anos. Apesar de ser um tema bem conhecido, ele é visto de uma maneira totalmente original, onde os anjos parecem ser criaturas frias e os demônios, por serem a família de Karou, são vistos como seres amorosos e felizes.
Laini Taylor introduz vários pequenos detalhes ao longo da narrativa que você acaba ignorando, mas depois tudo se encaixa perfeitamente. É como se a autora fosse te dando pedacinhos de um quebra cabeça e você não sabe que eles possam se unir até que ela, de uma maneira genial, lhe mostre como.
Apesar de todo o clima de tensão, ainda temos algumas cenas mais leves e até engraçadas para que você possa respirar por um instante. O cenário é bem diferente, a maior parte do livro se passa em Praga, o que explica os nomes estranhos. O final é surpreendente e muito excitante, mal posso esperar pelo segundo livro!
É claro que a história tem alguns defeitos. Certos trechos no final são um pouco longos. A autora foca no romance e ignora um pouco a trama global e isso cria leves inconsistências. Porém, nada disso torna o livro menos interessante.

A Protagonista: Karou é uma garota muito engraçada, original, inteligente e amável, com um senso de humor sarcástico e certa atração por coisas estranhas. Ela não sabe muito sobre seu passado, e sua família é composta por 4 quimeras.
Apesar de o livro ser em 3ª pessoa, a autora consegue transmitir os pensamentos e sentimentos da protagonista de uma forma tão completa que consegui conhecê-la perfeitamente.
Há um romance e eu inicialmente pensei que ele tivesse começado um pouquinho rápido demais, mas quando a garota descobre mais sobre seu passado, fica claro que o momento foi perfeito. O romance se desenvolve muito lentamente e há cenas em que você fica tão frustrado com o casal que dá vontade de atirar o livro na parede! Mas é aquela frustração boa da antecipação.

Os Personagens Secundários: Todos são maravilhosos! Não consigo escolher um personagem predileto, teria que escolher no mínimo cinco (Karou, Akiva, Zuzana, Issa e Brimstone), pois cada um me encantou de uma maneira diferente. Todos eles tem nomes complicados, mas assim que você realmente os conhece, é impossível confundi-los.
Akiva é um serafim, um anjo que vem para a Terra com uma missão. No início, ele é meio confuso e muito misterioso, e é difícil compreendê-lo até que um flashback mostra seu passado. Ele é o tipo de homem sexy e transtornado que fica tentando lutar contra seus instintos.
Brimstone é um personagem que me deu um pouco de raiva por boa parte do livro. Ele parece esconder as coisas de Karou de propósito e era capaz até de ser duro com ela. Issa, uma quimera com partes de serpente, parece ser uma mãe para a protagonista, sempre gentil e muito protetora. Zuzana, uma baixinha humana que é a melhor amiga de Karou, foi ótima para fornecer alívio cômico à trama, ela é muito engraçada!

Capa, Diagramação e Escrita: A capa é muito bonita, mas o destaque aqui vai para o título magnífico, que combina perfeitamente com o livro. O título brasileiro ficou melhor até que o original!
A diagramação é comum, com uma divisão clara dos capítulos. E não encontrei nenhum erro de revisão.
Laini é um gênio e sua escrita é belíssima, tão única que ela jamais conseguiria escrever anonimamente. Ela conseguiu me fazer entrar nas mentes do personagens e sentir tudo o que eles sentiam. Além de eu não ter palavras para descrever a construção dos cenários... Não sei como a autora tem tanta imaginação! O mundo dos demônios é enorme, detalhado e completamente inovador. Ela até criou as próprias lendas sobre a origem dos seres (veja no último quote).

Concluindo: Um livro capaz de agradar a todos, com muitas lutas, romance, comédia, seres místicos e uma protagonista interessante, Feita de Fumaça e Osso se tornou um dos meus livros favoritos e, se você ainda não leu, vá comprá-lo agora!

Quotes:
Ela foi inocente um dia, uma garotinha no covil de um demônio brincando com penas espalhadas pelo chão. Mas a inocência acabou, e ela não sabia o que fazer. Esta era sua vida: magia e vergonha e segredos e dentes e um vazio profundo e perturbador, onde alguma coisa certamente estava faltando.

Ele não era humano. Não era nem do seu mundo. Era um soldado com uma contagem de mortes nas mãos, e era inimigo de sua família. E, ainda assim, alguma coisa os ligava, mais forte do que tudo isso, algo com o poder de conduzir seu sangue e respiração como uma sinfonia, de forma que qualquer coisa que ela fizesse para lugar contra isso parecia em desacordo, uma desarmonia com seu eu.

Era uma vez, antes dos quimeras e dos serafins, um sol e duas luas. O sol era noivo de Nitid, a irmã brilhante, mas era a discreta Ellai, sempre se escondendo atrás da irmã destemida, que despertava seu desejo. Ele tramou para surpreendê-la enquanto se banhava no mar, e a possuiu. Ellai lutou, mas ele era o sol e achava que devia ter o que quisesse. Ellai o apunhalou e fugiu, e o sangue do sol voou como centelhas para a terra, onde se tornaram serafins - filhos bastardos de fogo. E, como seu pai, acreditavam que estava em seu direito querer, tomar e ter.
Quanto a Ellai, ela contou à irmão o que tinha acontecido, e Nitid chorou, e suas lágrimas caíram na terra e se tornaram quimeras, filhos do pesar.
Classificação: