Resenha - A Descoberta das Bruxas

Resenha feita pela Luh!
Título: A Descoberta das Bruxas
Título Original: A Discovery of Witches
Série: All Souls
1- A Descoberta das Bruxas
2- Shadow of Night (2013)
3- The Lady of the Rivers (2012 US)
Autor: Deborah Harkness
Editora: Rocco
Páginas: 640
Ano: 2011
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva // Submarino // Fnac

Tinha muito potencial, porém não conseguiu aproveitá-lo.

Sinopse: A respeitada pesquisadora Diana Bishop passou a vida tentando negar a sua verdadeira identidade. Filha única de pais bruxos, ela se torna órfã aos sete anos e passa a rejeitar as suas habilidades mágicas, determinada a se parecer o máximo possível com os humanos. Quando descobre acidentalmente um misterioso manuscrito escondido há séculos, Diana traz à tona um mundo sobrenatural aterrador, com uma horda de demônios, vampiros e bruxas. A partir daí, a aventura de Diana por 1.500 anos de histórias está apenas começando.

A Trama: Conferindo algumas resenhas, principalmente dos americanos, descobri que esse é um livro "ame ou odeie" e muitos blogueiros que eu conheço o amaram, mas infelizmente eu não consegui. O que me deixou mais animada, no início, foi o fato de que haviam bruxas, porém os personagens falam muito sobre a tal magia, mas só vemos a coisa de fato nas últimas 100 páginas. A trama tinha potencial para ser maravilhosa: um mágico manuscrito antigo, mistérios, seres sobrenaturais interessantes e uma protagonista muito inteligente. Infelizmente, grande parte disso foi estragada por centenas de páginas de romance proibido entre a protagonista e um vampiro super protetor.
Diana, uma bruxa historiadora que não pratica magia, acaba acidentalmente descobrindo um manuscrito secreto muito especial e atrai a atenção de toda a comunidade sobrenatural (que inclui bruxas, vampiros e demônios). Alguns seres parecem ser mais cuidadosos e seguem a protagonista na esperança de descobrir onde está o tal manuscrito, outros são diretos e tentam abertamente enfrentá-la. Dentre tantos, um vampiro extremamente antigo resolve agir como o guarda-costas de Diana e a protege de tudo aquilo que poderia ser perigoso. Meu grande problema com esse livro é que não gostei do vampiro, Matthew, e suas atitudes absurdas. Logo no início ele invade o apartamento da protagonista quando ela está dormindo (o que, no mundo sobrenatural, parece ser uma ofensa imperdoável) e isso é só a primeira de uma interminável lista de comportamentos possessivos e inexplicáveis. O romance entre Diana e Matthew pode não ter sido instantâneo, mas ainda foi extremamente rápido e irrealista.
Por sorte, na segunda metade do livro o romance sai do foco e finalmente temos a trama cheia de ação e mistérios que eu tanto esperava. A autora soube escrever ótimas cenas e demonstrou todo o seu potencial, além de o final ter sido maravilhoso.

O Protagonista: No início eu estava gostando muito de Diana. Ela era uma mulher independente, fazia muito exercício e era dedicada ao trabalho. Porém, parece que quando ela está perto de Matthew, sua famosa inteligência desaparece e suas ações passam a não fazer muito sentido. A protagonista parecia ignorar os sábios conselhos de quaisquer pessoas que não fossem Matthew e ignorava as ações mais absurdas do vampiro (como invadir sua casa e outras coisas muito piores), além de tornar-se uma mulher passiva e insegura que só sabia seguir instruções dadas por sua 'alma gêmea'.

Os Personagens Secundários: Matthew era totalmente inconsistente! Ele parecia um homem carinhoso em uma página e um monstro sedento por sangue na página seguinte e, por essa troca frequente, acabou não convencendo em nenhum dos dois papéis.
Para compensar, eu gostei de todos os outros personagens. Minhas prediletas foram Ysabeau e Marthe, a família vampira de Matthew. Elas eram personagens incríveis, com passados muito interessantes e personalidades complexas e ricas. Conhecemos diversos personagens secundários interessantes nas últimas páginas do livro, como Sophie, que promete que Sombra da Noite, a continuação, será muito melhor.

Capa, Diagramação e Escrita: Essa capa combina muito com a trama, gostei do que a editora fez na edição nacional, adicionando um certo brilho nas linhas, mas ainda acho que é uma imagem que não chama muito a atenção em uma livraria. A fonte está minúscula, dificultando um pouco a leitura, e não gostei de como a fonte ficava gigantesca na primeira página de cada capítulo, como se para enfatizar o tamanho dela no restante do livro. Além disso, as folhas são muito finas e podemos visualizar todo o texto da página seguinte, o que também atrapalha um pouquinho.
Nunca digo isso, mas acho que uma das coisas que faltaram aqui foi um bom editor americano, pois há muitos trechos desnecessários. Eu entendo ser detalhista, mas Deborah Harkness levou isso a extremos descrevendo como Diana se veste, o que ela come, qual vinho ela bebe, como prepara seu chá, qual sua rotina para se exercitar, que posição de ioga ela faz, como ela dorme e outras tantas coisas intermináveis. Também há muita explicação detalhada sobre alquimia, DNA e história, e não digo isso de uma maneira boa. Para um livro tão extenso, muitas cenas poderiam e deveriam ter sido cortadas na edição para tornar a trama mais dinâmica.

Concluindo: A segunda metade do livro foi ótima, cheia de ação e com cenas de tirar o fôlego, mas ainda não sei se compensa o romance insuportável. Darei uma chance a Sombra da Noite, mas espero que Diana pare de agir como uma adolescente insegura e se torne a mulher independente que era no início da trama.

Quotes:
Na segunda, conheci um vampiro. Na terça, um bruxo tentou dominar a minha mente. E a quarta certamente era o dia dos demônios.

Ela é uma bruxa, dizia repetidamente para si mesmo enquanto a observava dormindo. Ela não é para você.
Quanto mais dizia isso, menos as palavras importavam.
Classificação: