Resenha - A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista

Resenha feita pela Maay!  
Título: A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista
Título Original: The Statistical Probability of Love at First Sight
Livro Único.
Autor: Jennifer E. Smith
Editora: Galera Record
Páginas: 224
Ano: 2013
Saiba mais: Skoob
Comprar: Ponto Frio // Submarino // Saraiva

Sabe quando você vai viajar e quer algo para te distrair durante aquelas horas intermináveis? A Probabilidade nome imenso Estatística do Amor à Primeira Vista é perfeito para isso!

Sinopse: Com uma certa atmosfera de "Um dia", mas voltado para o público jovem adulto, A probabilidade estatística do amor à primeira vista é uma história romântica, capaz de conquistar fãs de todas as idades. Quem imaginaria que quatro minutos poderiam mudar a vida de alguém? Mas é exatamente o que acontece com Hadley. Presa no aeroporto em Nova York, esperando outro voo depois de perder o seu, ela conhece Oliver. Um britânico fofo, que se senta a seu lado na viagem para Londres. Enquanto conversam sobre tudo, eles provam que o tempo é, sim, muito, muito relativo. Passada em apenas 24 horas, a história de Oliver e Hadley mostra que o amor, diferentemente das bagagens, jamais se extravia.

A TramaPara quem acredita em destino, esse é o livro certo. Quatro minutos fazem com que Hadley perca o voo que a levará para a Inglaterra. Por causa desses quatro minutos, ela terá que ficar mais de três horas esperando dentro do aeroporto e pode acabar se atrasando para o casamento de seu pai. 
Se não fossem os acontecimentos daquela manhã, ela poderia ter chego no horário, pego o voo e nada disso teria acontecido. Mas ela se atrasou, e esses quatro minutos também fazem com que ela conheça Oliver, um britânico com sotaque sexy, lindo e gostoso super fofo. E devido à mudança de voos, Oliver também está na poltrona ao seu lado.
Eles poderiam ter apenas uma daquelas conversas de avião, em que você conta sua vida para um estranho e depois cada um vai para seu lado, para sua vida, sem nunca mais se encontrarem. Mas pode ser, também, que esses poucos minutos mudem a vida de ambos...
Vale por um porém aqui: por mais que o foco seja o romance entre os protagonistas, a relação de Hadley com o pai também recebe bastante destaque e essa foi uma das partes que mais gostei.
A trama é super tranquila e clichê, mas ainda assim é muito agradável e uma delícia de ler.

Os Protagonistas: Hadley é uma boa pessoa, porém ela está incrivelmente magoada com o pai. Acho que esse é o ponto de maior destaque na personagem. O problema, para ela, não é ele ter se separado de sua mãe. Foi, na verdade, que ele tenha colocado todo um oceano de distância entre eles. Com a mudança do pai, a  vida de Hadley mudou, e agora ela não sabe mais onde se encaixa na vida daquele que sempre foi tão importante para ela.
Oliver, mesmo sendo um desconhecido, ajuda Hadley com a situação desde o começo. Com suas conversas, ele vai ajudando a garota a compreender os motivos do pai e, aos poucos, até mesmo perdoá-lo. E Oliver é... (suspiros aqui). Gente, eu tenho uma queda tão grande por sotaque britânico que foi só Hadley dizer que o garoto tinha sotaque para eu me apaixonar.

Personagens Secundários: Ah, eu adorei Charlotte! De uma maneira estranha, ela foi minha personagem favorita. Mesmo com pouco destaque, mesmo com Hadley a odiando, mesmo que ela seja realmente apresentada pra lá da metade do livro. Gostei de Charlotte desde a primeira menção ao seu nome. Não me perguntem o porquê disso, eu não sei! Acho que talvez isso se deva ao meu histórico com madrastas. Então, eu adorei essa também.
O pai de Hadley me comoveu. Não tem outra palavra para descrever isso. Realmente achei comovente as tentativas dele em se relacionar com Hadley, sem nunca desistir da filha, mesmo que ela tentasse com todas as forças afastá-lo. Esse cara ama a filha de um jeito que não sei como descrever. E o relacionamento dele com Charlotte tornou, de uma vez por todas, impossível não gostar de ambos.

Capa, Diagramação e Escrita: A capa! Eu adoro capa em tons pastéis, acho que faz um carinho nos olhos (eu sei, eu e minhas estranhezas). Além disso, mesmo não retratando perfeitamente a roupa de ambos, ela combina com o livro. Dá uma ideia de informalidade formal, de liberdade e juventude. Gostei bastante. O livro é pequeno e a fonte é um pouco maior do que o normal, daqueles livros que você lê 100 páginas super rápido e sem nem sentir.
A narrativa é em terceira pessoa e os capítulos são divididos pela hora. Essa ideia das horas foi uma coisa que adorei, facilita para que o leitor entenda em que parte da história está, afinal, o livro se passa em apenas 24h.
A escrita de Jennifer é bem tranquila e tem uma delicadeza que só me fez amar ainda mais a obra. Não tem nada muito marcante, mas tem qualidade  - o que é uma grande coisa, vamos concordar. 

ConcluindoNa minha opinião, o livro irá agradar várias idades. Aos pré-adolescentes que sonham em ficar um pouco mais velhos, aos adolescentes que irão se identificar com os sentimentos dos personagens, e àqueles que acabaram de entrar na vida adulta e sentem falta de quando as responsabilidades eram poucas. E por que não? Aos mais velhos, que sentem falta dos "bons tempos" de juventude, também.
Apesar de curta, a história é muito bem escrita e as coisas acontecem no tempo certo. É triste que o livro acabe tão rápido, mas mesmo assim sentimos que não faltou nada. Não é daqueles livros em que tudo acontece tão rápido, que você chega a ficar sem fôlego, sabe? Sem fôlego mesmo você só fica quando fala o nome inteiro. Piada idiota, mas eu precisava comentar isso. Que nome imenso é esse?! Ok, combina com o livro, mas gente... 
Enfim... Mesmo assim eu amei. Não tenho do que reclamar. É gostoso de ler, faz o tempo passar rápido, e esse é o motivo de eu achar ele perfeito para uma viagem. Sabe quando a viagem parece durar uma eternidade e temos a impressão de que nunca chegaremos ao nosso destino? Então.
Claro que não é uma história que mudou minha vida e nem entrou para os meus favoritos. Mas, com certeza, é um livro que vou indicar para muitas pessoas.


Quotes:
Talvez os atrasos no decorrer do dia sejam apenas detalhes, mas, se não fosse por eles, teria sido por causa de alguma outra coisa.

- Nem todo mundo fica 52 anos juntos, e se ficam, não faz a mínima diferença se você faz uma promessa na frente de todo mundo. O importante é que você teve uma pessoa ao seu lado o tempo todo. Até mesmo quando tudo está dando errado.
Ele ri. 
- Casamento: para quando tudo der errado. 

— O amor é a coisa mais estranha e sem lógica do mundo.
Classificação: