Resenha - Dividir e Conquistar

Resenha feita pela Luh!  
Título: Dividir e Conquistar
Título Original: Divide and Conquer
Série: Infinity Ring
1- Um Motim no Tempo (2013)
2- Dividir e Conquistar
3- O Alçapão (Novembro de 2013)
4- Curse of the Ancients (2013 US)
5- Cave of Wonders (2013 US)
Autor: Carrie Ryan
Editora: Seguinte (Companhia das Letras)
Páginas: 216
Ano: 2013
Saiba mais: Skoob
Comprar: Submarino // Saraiva // Extra // Fnac

Uma continuação interessante.
Atenção: A seção "Trama" contém spoilers de Um Motim no Tempo.

Sinopse: Depois de garantirem que Colombo descobrisse a América e que a Revolução Francesa fosse um sucesso, Dak, Riq e Sera viajam com o Anel do Infinito para tentar corrigir mais uma falha histórica e salvar a humanidade. O cenário agora é a Paris medieval, e centenas de navios tripulados por guerreiros vikings que estão cercando a região, prontos para exigir que a população se renda. Sem saber ao certo que caminho tomar, os três jovens acabam causando uma guerra entre os parisienses e os nórdicos invasores, e se preparam para defender a cidade. Mas a situação se complica quando Dak é capturado e forçado a lutar junto ao exército adversário. Em meio a chuvas de flechas, jatos de óleo quente e ataques de catapultas, os três viajantes só conseguirão sair vivos - e continuar sua missão de restituir a ordem do mundo - se encontrarem um aliado entre os soldados inimigos mais ferozes da história. 

A Trama: Agora responsáveis pelo Anel do Infinito, é a tarefa de Sera, Dark e Riq descobrir as fraturas no tempo e tentar consertá-las. A pista atual os leva ao ano de 885, em meio a uma batalha sangrenta em Paris. O único problema é que os jovens não fazem ideia do que precisam fazer para corrigir aquela fratura e tem que improvisar e fazer o que acreditam ser o certo. Dak acaba se metendo no meio da batalha com os vikings e o livro tem muita ação! A autora soube descrever as cenas de batalha muito bem, tornando-as dinâmicas porém bem detalhadas e criando imagens vívidas.
Um detalhe que me incomodou é que muitas pessoas da época apoiavam a SQ (os inimigos), uma quantidade realmente grande, e pareceu exagerado.

Os Protagonistas: Consegui notar a troca de autor pela personalidade de Dak. Enquanto no livro anterior ele parecia um garoto peculiar e entusiasmado, em Dividir e Conquistar, neste ele estava emburrado e inconsequente, o que não foi uma mudança muito boa. Ainda assim, a partir da batalha dos vikings ele fica um pouco melhor. Sera está mais carismática, mas não gostei nem um pouco de seu pequeno romance, ela é uma garota de doze anos! Acho que foi precoce demais. Riq não tem um papel muito importante nesse livro e, apesar de ser um dos três viajantes, parecia mais um personagem secundário.

Os Personagens Secundários: Vikings, como não amar os vikings?! Eles roubaram a cena pra mim e adorei ler mais sobre esse povo tão misterioso. Bill, por outro lado, foi um personagem bem sem-graça com personalidade simples, sem muito desenvolvimento.

Capa, Diagramação e Escrita: Apesar de a imagem não parecer tão bonita, a capa real é belíssima, adorei as cores de fundo e até compreendi o elmo. A diagramação estava ótima e não encontrei erros de revisão.
Apesar de eu preferir a escrita do James Dashner, Carrie soube escrever cenas de batalha maravilhosas e manteve o suspense por boa parte do livro. É um livro curto, mas não teve um ritmo apressado.

Concluindo: Fica óbvio ao longo do livro que ele foi escrito para um público bem jovem, mas isso não impedirá os mais velhos de aproveitarem a trama. Adoro como houve uma mistura de história real e ficção, e estou muito ansiosa para saber mais sobre os pais de Dak e os responsáveis pelas fraturas.

Classificação: