Resenha - Sombra da Noite

Resenha feita pela Luh!
Título: Sombra da Noite
Título Original: Shadow of Night
Série: All Souls
1- A Descoberta das Bruxas (2011)
2- Sombra da Noite
Autor: Deborah Harkness
Editora: Rocco
Páginas: 576
Ano: 2013
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva // Submarino // Fnac // Extra

Melhor que o primeiro, mas ainda não me conquistou.
Cuidado: Essa resenha contém spoilers de A Descoberta das Bruxas.

Sinopse: A respeitada pesquisadora Diana Bishop passou a vida tentando negar a sua verdadeira identidade. Filha única de pais bruxos, ela se torna órfã aos sete anos e passa a rejeitar as suas habilidades mágicas, determinada a se parecer o máximo possível com os humanos. Quando descobre acidentalmente um misterioso manuscrito escondido há séculos, Diana traz à tona um mundo sobrenatural aterrador, com uma horda de demônios, vampiros e bruxas. A partir daí, a aventura de Diana por 1.500 anos de histórias está apenas começando.

A Trama: Vou confessar que boa parte desse livro me irritou e acho que a ideia da trama é muito boa, mas Deborah Harkness não deveria ser a autora.
A trama começa logo onde o livro anterior terminou, com Diana e Matthew voltando no tempo para 1590. As primeiras cem páginas são bem confusas, temos um cenário e personagens totalmente novos e a autora vai despejando informações sem explicar e a trama parece perdida. Uma das maiores inconsistências da trama é que apesar de Diana ser uma bruxa e uma historiadora e de Matthew ter vivido naquela época e conhecer praticamente todas as pessoas influentes de lá, eles levam quase 300 páginas para encontrar uma professora para Diana, que foi a principal razão para terem viajado ao passado. Também não gostei de como os protagonistas mudaram o rumo de vários acontecimentos em sua viagem, mas o futuro parecia não ter mudado muito. Além disso, não entendo o que eles esperavam que acontecesse quando voltassem ao futuro e a Diana de 1590 simplesmente sumisse.
Tendo dito isso e, claro, sem esquecer que a trama tem muitas outras falhas, a segunda metade do livro foi, novamente, muito melhor. Conhecemos mais sobre a magia de Diana, somos apresentados à várias outras bruxas e a Inglaterra de 1590 é encantadora! Algumas cenas são maravilhosas e me apaixonei por certos personagens, mas Matthew parece ter ficado ainda pior.

A Protagonista: Apesar de ainda tomar algumas decisões erradas e me irritar profundamente em certas cenas, Diana está melhor. Mais independente e mais parecida com a mulher fascinante que era no início do primeiro livro, gostei de como ela se recusava à aceitar ordens de Matthew, mesmo que aquilo fosse o esperado de uma esposa naquela época.

Os Personagens Secundários: A autora parece ter aproveitado seus conhecimentos para introduzir tantos personagens históricos quanto possível e Sombra da Noite tem tantos personagens que há uma lista nas últimas páginas mencionando cada um. Eu só descobri essa lista quando estava na metade do livro (não foi uma boa ideia colocá-la no fim), mas há tantos personagens que eu continuava me perdendo.
Matthew não melhorou nem um pouco, pelo contrário, a Londres de 1590 parece tê-lo tornado ainda mais possessivo e irracional. Achei interessante sua luta contra a 'ira de sangue' e adorei seu envolvimento emocional com o pai, mas na maior parte do tempo ele foi um personagem insuportável.
Meus personagens prediletos foram Gallowglass, um vampiro da família de Matthew que tornava diversas cenas engraçadas, e Philippe, o pai de Matthew, que me surpreendeu desde sua primeira aparição e foi muito diferente das minhas expectativas, mas de uma maneira boa.

Capa, Diagramação e Escrita: Gosto muito mais dessa capa que da anterior, ela é bonita e tem cores interessantes. A lombada também ficou mais interessante, porém não combina com a lombada do primeiro livro, fazendo com que pareça que eles não pertencem à mesma série. Também não há mais aquela diferença absurda na fonte da primeira página de cada capítulo, o que eu gostei. No geral, o trabalho gráfico inteiro melhorou.
Não consigo gostar da escrita de Deborah e o fato de ela ser uma historiadora não ajudou nem um pouco. Sua escrita maçante e detalhista tirou qualquer diversão que a trama poderia ter. Eu me sentia como se estivesse assistindo a uma daquelas aulas de história onde, por mais que o assunto seja legal, a voz monótona do professor e a maneira como os fatos são apresentados fazem com que você tenha que lutar contra o sono.

Concluindo: Melhorou um pouco em relação A Descoberta das Bruxas, mas ainda está longe de ser um livro bom. É uma pena que a trama tenha tanto potencial, mas não pretendo ler o terceiro (e último) livro da série.

Quotes:
 - Se você realmente me amasse teria se dado a para mim. De corpo e alma.
- Isso não é tão simples - disse Matthew com ar triste. - Desde o início lhe avisei que o relacionamento com vampiros é complicado.
- Philippe parece não achar isso.
- Então, deite-se com ele. Se você me deseja, terá que esperar.

- Nós vampiros calculamos o tempo de um jeito diferente dos sangue-quentes.
- Quanto tempo dura então o minuto de um vampiro?
- É difícil dizer - murmurou ele. - Algo entre um minuto comum e a eternidade.
Classificação: