Resenha - Cadê Você, Bernadette?


Resenha feita pela Maay!  
Título: Cadê Você Bernadette?
Título Original: Where'd You Go, Bernadette?
Livro Único.
Autora: Maria Semple
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 376
Ano: 2013
Saiba mais: Skoob
Comprar: Cia dos Livros // Submarino // Saraiva
Assista ao booktrailer!

Um dos melhores livros do ano (e eu nem sou fã de comédias)!!

Aviso: Gente, antes de qualquer coisa: não leiam a sinopse! Eu sou o tipo de pessoa que, antes de começar a ler um livro, sempre lê a última página. E ainda assim, me incomodou a quantidade de spoilers que a sinopse solta. Sem brincadeira, há coisas aí que acontecem após a página 300 (e o livro tem 376).

A Trama: A história é super dinâmica e a autora vai revelando as coisas aos poucos. Há trechos que, sem mentira, me fizeram gargalhar. E isso vindo de uma pessoa com humor bem chato seletivo.
Durante a leitura tive por diversas vezes a impressão de estar lendo o roteiro de um seriado norte americano, fato que é claro, só me fez amar ainda mais o livro.
Sim, eu sei que estou fugindo de falar sobre a trama, mas realmente acho que seria mais legal se eu tivesse descoberto as coisas aos poucos.

A Protagonista: Bernadette é o máximo! Aquele tipo de pessoa com humor ácido e sem "papas na língua". De verdade, eu amei a personagem. Seu pânico de ser obrigada a se relacionar com outras pessoas, seu desprezo pelas outras mães da Galer Street e por Seattle, seus fantasmas do passado... e também a maneira carinhosa e doce de ela lidar com a filha.
A personagem é super caricata, tal como quase todos os outros personagens. Mas ainda assim, absolutamente tudo nela me conquistou.

Personagens SecundáriosMe linchem, mas achei Bee chatinha. Admito que eu até gostei da personagem, mas próximo ao final ela me irritou demais. Há um ponto do livro em que ela adota um comportamento extremamente infantil para a menina super madura que conhecemos até então - e foi aí que perdi a paciência.
Quanto ao marido de Bernadette, Elgin, esse eu não gostei mesmo! Ele é daqueles nerds metidos a engraçados, sabe? Mas tá... eu não gostei dele, na verdade, devido ao seu comportamento em relação à esposa. O que é meio óbvio, já que adorei a protagonista.

Capa, Diagramação e Escrita: A capa lembra bastante a versão norte-americana e achei que combinou perfeitamente, já que quando Bernadette saía em público, ela sempre usava echarpe e óculos escuros.
O livro é composto por vários emails, cartas e bilhetes trocados entre os personagens. Além disso, é complementado por alguns comentários de Bee, narrados em primeira pessoa. Achei essa técnica ótima, afinal, a principal reclamação das pessoas sobre a narrativa epistolar é que ela deixa alguns buracos. Aqui, a autora soube preenche-los de forma sutil sem tirar o ritmo da história.
O livro não é dividido em capítulos. Há sete partes, e dentro dessas partes uma divisão pelos dias. Pode parecer estranho falando assim, mas essa estrutura fez todo o sentido dentro do contexto.

ConcluindoDepois de um drama tão pesado como Eu, Anna, esse livro caiu como uma luva. Não entrou para os meus favoritos, porque esse não é um gênero do qual sou muito fã. Mas com toda a certeza, quando me pedirem indicação de uma comédia, minha resposta será Cadê você Bernadette.
A única reclamação que tenho é que o livro perde um pouco do ritmo nas duas últimas partes, quando a narrativa epistolar é substituída por uma descrição mais longa de Bee e uma carta imensa de Bernadette.
Fora isso, o livro é ótimo e todo mundo deveria ler, com certeza ao final você se sentirá bem mais leve e alegre.

Quotes:
Pessoas como você precisam criar. Se você não criar, Bernadette, vai se tornar uma ameaça para a sociedade.
Classificação: