Resenha - Dezenove Minutos

Resenha feita pela Luh!  
Título: Dezenove Minutos
Título Original: Nineteen Minutes
Livro Único.
Autor: Jodi Picoult
Editora: Verus (Record)
Páginas: 545
Ano: 2013
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva // Americanas // Submarino

Um livro interessante com um tema intenso.

Sinopse: Sterling é uma cidadezinha comum do interior, onde nada acontece – até o dia em que a quietude é abalada por um terrível ato de violência. Peter, um adolescente socialmente isolado que há anos sofre bullying, um dia leva uma arma para a escola e abre fogo contra os colegas, matando dez pessoas. Narrações do passado revelam como as constantes provocações dos outros alunos levaram Peter a se isolar, buscando refúgio em jogos violentos de computador. Josie, filha da juíza responsável pelo caso e que já foi a melhor amiga de Peter, deveria ser a testemunha mais valiosa de acusação, mas não consegue se lembrar do que aconteceu bem diante de seus olhos – ou será que consegue? Conforme o julgamento avança, rupturas entre os adolescentes da escola e a comunidade adulta começam a se revelar, destruindo famílias e as amizades mais íntimas.

A Trama: Dezenove Minutos é difícil de avaliar por lidar de forma tão aberta com os sentimentos das pessoas. O livro conta a história de Peter Houghton, um garoto que sofreu bullying pela maior parte de sua vida, até que um dia levou armas para a escola e matou diversos alunos. A trama alterna entre o presente, onde Peter acaba de matar os alunos e será preso e julgado, e diversos pontos do passado que explicam o que levou o garoto à isso.
O livro foi desnecessariamente longo, com diversos trechos que apenas reforçavam mensagens que eu já havia compreendido há tempos, tornando esses trechos um pouco entediantes. Por outro lado, a história de Peter é triste e envolvente e, no final do livro, eu senti que alguns dos valentões daquela escola definitivamente mereciam morrer.
O ponto ruim de Dezenove Minutos, e talvez eu esteja equivocada aqui, foi o comportamento ridículo e irrealista dos funcionários da escola. Em uma certa ocasião pouco antes dos assassinatos, acontece um evento onde um dos valentões, Drew, claramente submete Peter à humilhação na frente da maioria dos alunos e Drew não parece ter sofrido punição alguma. Honestamente, eu estava secretamente desejando que Peter tivesse atirado no diretor.

O Protagonista: Peter é um garoto fechado e, mesmo após o término do livro, continua sendo misterioso. Delicado e inteligente, Peter sofreu com o preconceito dos colegas desde que era uma criança e senti muita compaixão pela situação do garoto. Algumas das cenas conseguem despertar sentimentos fortes no leitor, principalmente ao lembrar que esse tipo de coisa realmente acontece em alguns lugares. Infelizmente, ainda fiquei com algumas perguntas sobre o protagonista, já que o livro é narrado em terceira pessoa e jamais realmente vemos o ponto de vista dele sobre o tiroteio.

Os Personagens Secundários: O livro segue diversos personagens secundários importantes para a trama, alguns recebem tanto espaço quanto o protagonista. Lacy, a amável mãe de Peter que sofre muito pensando que seu filho ficou assim por culpa dela, foi uma personagem simpática. Josie, a antiga melhor amiga de Peter que entrou para o time dos populares e passou a também humilhar o amigo, foi a personagem que mais despertou minha raiva. Josie tentava se fazer de coitadinha, dizendo que sentia pena de Peter, mas participava da zombaria sempre que sentia que sua popularidade estava em jogo. A personagem era tão hipócrita que me deu nojo.

Capa, Diagramação e Escrita: Não adoro a imagem da capa, entretanto também não a odeio, só acho que não chama a atenção. A diagramação é boa, com a letra em um tamanho ideal para não ser pequena demais e não aumentar a grossura do livro.
A escrita da Jodi é diferente do que eu esperava. Ela é muito descritiva, porém ao mesmo tempo não transmite muito bem os sentimentos dos personagens. Ainda assim, ela conseguiu despertar emoções fortes em mim, principalmente o ódio pelos valentões da escola (e por Josie).

Concluindo: Apesar de ter alguns defeitos, Dezenove Minutos é um livro repleto de drama e suspense, com personagens bem-construídos e uma trama interessante. Recomendo para quem quer conhecer a perspectiva de uma vítima de bullying.

Quotes:
 - Todo mundo quer que o filho cresça e vá para Harvard ou se torne o quarterback dos Patriots. Ninguém olha pro bebê e pensa: Ah, espero que meu filho cresça e se torne uma aberração. Espero que vá para a escola todos os dias e reze para não chamar a atenção de ninguém. Mas sabe de uma coisa? Tem crianças crescendo assim todos os dias.

Classificação: