Resenha - O Anjo de Hitler

Resenha feita pela Beatriz!
Título: O Anjo de Hitler
Título Original: Hitler's Angel
Livro Único.
Autor: William Osborne
Editora: Seguinte
Páginas: 272
Ano: 2013
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva // Fnac // Submarino

Mesmo mantendo um pé atrás durante toda a leitura, não me decepcionou e só me surpreendeu positivamente em coisas que eu nem esperava.

Sinopse: Leni tem catorze anos, é austríaca, judia e muito corajosa. Refugiada na Inglaterra durante a Segunda Guerra Mundial; certo dia é convocada pelo almirante MacPherson para a missão mais perigosa de sua vida... Otto é alto, bem magro, tem olhos castanhos e vive na Inglaterra - sua família foi aprisionada pelos nazistas. Ele adora se meter em confusão e é por isso que, quando o almirante sugere que ele ajude o governo inglês numa missão ultrassecreta, ele aceita na hora. Otto e Leni são enviados à Alemanha para resgatar uma garotinha chamada Angelika. Pouco se sabe sobre essa pequena órfã misteriosa em quem a Inglaterra tanto aposta como a arma secreta que colocará o ponto final naquela guerra sangrenta. Leni, Otto e Angelika enfrentam grandes desafios, descobrem segredos importantíssimos e acabam mudando os rumos deste episódio tão marcante para a história.

A Trama: Creio que o melhor do livro foi o autor ter feito uma história fictícia entrelaçada com fatos reais, como se ele introduzisse seu livro no passado. Durante a Segunda Guerra Mundial, haviam espiões para todos os lados, inclusive crianças e adolescentes. Leni e Otto são jovens refugiados na Inglaterra e ambos já têm marcas da guerra, seja por perder sua família ou viver escondido com ela. Os dois possuem uma "dívida" com o governo inglês, então são convocados para prestarem serviço no resgate de Angelika, uma menina de nove anos localizada em um convento nazista e que, por alguma razão pode ser a vitória ou ruína dos alemães. O jeito com o livro se desenrola lembra muito o de um filme, talvez pelo autor ter feito diversos roteiros, e adoraria que o livro fosse adaptado. As explicações são precisas e mesmo assim tive tempo de conhecer os personagens com calma e suas histórias, incluindo o porquê de agirem de certa maneira e é com isso que mais me importo em um livro. 

A Protagonista: Leni e Otto foram bem reais para mim. Eu pensei que implicariam e reclamariam da situação atual, mas ambos foram inteligentes o suficiente para entender que o melhor é aceitar a missão e tentar cumpri-la do modo mais eficiente e rápido possível. Adorei o jeito como o autor os encheu de bom senso na maior parte do tempo, e espiritualismo durante as aventuras e, mesmo sendo apenas personagens, tiveram muita química entre si. O mais curioso foi o fato de durante toda a trajetória apenas sabermos a identidade secreta dos protagonistas e é nas últimas linhas o autor revela seus verdadeiros nomes e isso foi a cereja do bolo para um final inesquecível.

Os Personagens Secundários: Como a história é mais voltada para os protagonistas, não há muitos personagens secundários e a maioria cumpre apenas papeis específicos. O mais importante deles é Angelika, uma menina que não conhece o mundo fora dos muros do convento onde viveu. Com o transcorrer do livro, descobrimos o segredo que os governos lutam para manter em sigilo e creio que o autor o revelou na hora certa, permitindo que mais da metade do livro seja de pura adrenalina. Fora ela, há alguns oficiais e figuras históricas, como o próprio Hitler e seus assistentes mais íntimos, com personalidades que passaram por muita pesquisa para parecerem próximas da realidade.

Capa, Diagramação e Escrita: A capa pode ser simples, mas combina perfeitamente com a história e só depois da leitura descobrimos o que há nas entrelinhas. Mas algo que me irritou profundamente foi a textura emborrachada, ou seja, ficou repleta de marcas de dedos.
Adorei o jeito como a águia nazista forma a sombra de Angelika e isso junto com o título formam uma boa pegadinha. A diagramação está ótima, com bons espaçamentos e páginas amareladas, só o tamanho da fonte que achei um pouco pequeno. As divisões de capítulo são uma graça, todos nomeados e com uma pequena ilustração dentro de um círculo. 
Achei a escrita do autor bem simples, mas sabe conquistar e envolver ao ponto de tirar o fôlego até tudo terminar, não importa como. Em 3° pessoa com direito a tours pelos personagens, reviravoltas são o que não faltam. Apesar de alguns detalhes não serem tão aprofundados como gostaria e haver algumas coisas mal explicadas no passado dos protagonistas, não tem como negar que é uma escrita agradável, mesmo sendo óbvio que foi escrito para jovens pelo linguajar fácil e acontecimentos dinâmicos.

Concluindo: Para todos os fãs de livros de guerra ou uma boa história para distrair, pois em momento algum chega a ser pesado. Um livro curto e fácil de ler, mas que deixa trechos e descrições marcados na memória. Entretanto, não fique procurando veracidade no livro, e sim aproveite as emoções que ele traz.

Quotes:
Os pulmões do garoto ardiam, lágrimas escorriam de seus olhos. Ele precisava chegar à Inglaterra. Era agora ou nunca.

Uma raposa pode até começar com vantagem, mas no final acaba sendo devorada pelos cachorros, pensou Otto.


Classificação: