Resenha - Irmã

Resenha feita pela Tay!  
Título: Irmã
Título Original: Sister
Livro Único.
Autor: Rosamund Lupton
Editora: Record
Páginas: 321
Ano: 2013
Saiba mais: Skoob
Comprar: Submarino // Saraiva // Fnac

Um livro surpreendente.

Sinopse: Quando Beatrice recebe uma ligação informando que sua irmã mais nova, Tess, está desaparecida, embarca no primeiro voo para Londres. Porém, ao descobrir as circunstâncias do sumiço, percebe que não conhece detalhes da vida de sua irmã e não está preparada para os fatos terríveis que precisa enfrentar. Enquanto a polícia, o próprio noivo e a mãe aceitam a perda de Tess, Beatrice se recusa a desistir e parte numa perigosa jornada para descobrir a verdade, sem se preocupar com as consequências.

A Trama: Bee recebe uma ligação de sua mãe dizendo que sua irmã, Tess, está desaparecida. Como tem uma ligação muito forte com a irmã, ela embarca para a Inglaterra, onde fica a par de tudo o que está acontecendo e até ajuda a polícia com uma simulação dos últimos rastros de Tess. Mas logo seu corpo é encontrado em um banheiro público, com várias lacerações pelos braços, levando todos a crer que Tess cometera suicídio. Bee é a única a suspeitar de um assassinato, admitindo que sua irmã nunca teria coragem de tirar a própria vida, mesmo que, após dar a luz, seu bebê tenha morrido devido à complicações. Todas as circunstâncias apontam para o suicídio, então Bee inicia uma investigação por conta própria, começando a desconfiar de tudo e de todos, tentando imaginar quem poderia ter matado sua irmã. Além disso, ela começa a desconfiar que não conhecia Tess tão bem quanto imaginava, tentando entender o que sua irmã poderia estar escondendo dela.
A história é contada como uma carta que Bee está escrevendo para Tess, depois do caso resolvido, contando como tudo aconteceu, desde o telefonema de sua mãe até a descoberta da verdade. Apesar de alguns momentos monótonos, toda a trama te instiga a continuar lendo, aos poucos dando pistas – algumas falsas – e mantendo um ritmo de mistério bem gostoso de acompanhar. Eu, particularmente, achei incrível toda a atmosfera que a autora criou, todo aquele clima frio combinando perfeitamente com a história que estava se desenrolando. É um livro surpreendente, que deixou meu coração acelerado e, a cada capítulo – a cada página virada -, com uma vontade incessante de descobrir como tudo aquilo terminaria. O final é incrível, algo que nem passou pela minha cabeça.

A Protagonista: Bee costumava ser uma mulher conservadora, tentando ficar ao máximo em sua zona de conforto. Sua irmã era sua melhor amiga e, mesmo morando longe uma da outra (Bee nos EUA e Tess na Inglaterra), elas nunca deixaram de se falar e contar segredos uma para a outra. Quando descobre que sua irmã desapareceu e, logo mais, que está morta, Bee não mede esforços para provar que Tess foi assassinada. Ela adquire uma personalidade completamente diferente da que tinha, se tornando desconfiada e interrogando – literalmente – pessoas que ela achava suspeitas. Adorei toda a sua dedicação em provar que estava certa e não desistir disso. Sim, ela foi uma melhor investigadora que a polícia, que continuou com a crença do suicídio, deixando que Bee, na maior parte do tempo, desvendasse todo o mistério sozinha. Achei que ela foi uma personagem forte e que não se deixava abalar facilmente. Foi fácil gostar dela e torcer para que tudo desse certo.

Personagens SecundáriosTemos uma lista de personagens secundários durante a história, uns mais relevantes que outros. Todd, noivo de Bee, era do tipo acomodado que não queria problemas para resolver. Sabe aquele personagem que “tanto faz”? Ele era desse tipo. A mãe de Bee é uma daquelas que acreditou piamente no suicídio da outra filha, me irritando um pouco quando ela insistia em não crer nas suspeitas de Bee. Mas nem todos os personagens são obrigados a ter o instinto investigativo da protagonista, então relevemos. Kasia era uma amiga polonesa de Tess e também está grávida. À primeira vista, Bee não gostou nenhum pouco dela por seu jeito de vestir meio vulgar e a vida que levava, mas quando a conhece melhor, não tem como não se encantar pela garota. Amável e uma boa amiga, Kasia estava ali para apoiar Bee no que precisasse. Adorei como a protagonista se tornou meio protetora em relação a ela, já que Kasia sofria maus tratos de seu namorado.

Capa, Diagramação e Escrita: Não acho que a capa seja linda, mas também não tenho nada contra. Passa perfeitamente o clima do livro – a neve não representando apenas a estação em que se passa a história, mas também a frieza do que acontece entre as páginas. Só achei a colocação das imagens (a garota e o banco) meio desconexas. A diagramação é a usual da Record, com um bom espaçamento e bom tamanho da fonte. Como sempre nas edições da editora, tem aquelas palavras cortadas, como se tivesse falhado na hora da impressão, mas nada que não dê para relevar. A escrita da Rosamund é bem gostosa de acompanhar e flui com facilidade. A maneira como ela escreveu o livro também é algo que ajuda a deixar o leitor com mais curiosidade em relação à história, já que, como Bee está escrevendo uma carta depois de tudo esclarecido, ela conta o que está havendo “agora” (ela dando seu depoimento a um policial) e o que aconteceu antes (seu período de investigação). Adorei a forma como ela levou a história e fiquei com muita vontade de ler mais alguma coisa dela.

ConcluindoIrmã foi um livro incrível, surpreendente e que me deixou de boca aberta por, em alguns momentos, ter sido tão imprevisível. Quando escolhi o livro, eu tinha uma ideia de que fosse curtir a história, mas não sabia que fosse gostar tanto de acompanhar Bee em sua busca pela verdade da morte de sua irmã. Super recomendado para quem gosta de um final surpreendente.

Quotes:
Talvez o terror e o pânico, uma vez experimentados, entranhem-se em nós, mesmo quando não há razão, deixando para trás um horror adormecido e facilmente despertado.

(...)Eu conhecia os mínimos detalhes de sua vida. Mas não conhecia o principal. Não conhecia você.
Classificação: