Resenha - O Histórico Infame de Frankie Landau-Banks

Resenha feita pela Maay!  
Título: O Histórico Infame de Frankie Landau-Banks
Título Original: The Disreputable History of Frankie Landau-Banks
Livro Único.
Autor: E. Lockhart
Editora: Seguinte
Páginas: 344
Ano: 2013
Saiba mais: Skoob
Comprar: Fnac // Saraiva // Extra

Um livro que cumpre o que promete.

Sinopse: Aos catorze anos, Frankie Landau-Banks era uma menina comum. Gostava de ler, participava do Clube de Debates e era a princesinha da família. Mas nas férias de verão ela se transforma: de repente surge uma garota cheia de curvas, com uma beleza inusitada. E essa transformação física vem acompanhada de uma mudança de atitude: Frankie já não aceita um “não” como resposta. Principalmente quando esse “não” significa que ela não pode participar da sociedade secreta da qual seu namorado faz parte, só porque é menina.
Usando todas as suas habilidades (e alguns conhecimentos adquiridos nas aulas), Frankie criará artimanhas para provar que pode ser ainda mais genial que os membros da Leal Ordem dos Bassês. E a escola logo se tornará palco de pegadinhas até então inimagináveis.

A Trama: Imerso em uma aura de ironia e mergulhado no mar do politicamente incorreto, O histórico infame de Frankie Landau-Banks nos mostra que um livro pode, ao mesmo tempo, levantar questões sociais e divertir o leitor.
As "malcriações" de Frankie são hilárias, porém, ao mesmo tempo, buscam a igualdade de gêneros, a aceitação da diversidade religiosa, um melhor cardápio para o refeitório do colégio. Além disso, a autora aproveita para satirizar aquele tipo de pessoa que prefere fingir que não vê o que acontece ao seu redor, sabe? 
A obra é genial! Afinal, vamos concordar, a gente até se envolve em questões sociais, mas textos sobre isso são absurdamente tediosos. E. Lockhart consegue fazer disso um tema interessante que, de bônus, ainda rende boas gargalhadas.
Resumindo: é uma leitura deliciosa, mas que não vai te marcar, nem nada do tipo. Fica naquele limiar da neutralidade.

A Protagonista: Frankie é uma menina precoce e revolucionária demais para sua idade, com ideais bem definidos e uma coragem admirável ao lutar por eles. 
Entretanto, tudo isso não tira dela a essência que qualquer menina de 15 anos tem. Aquela vontade de ser respeitada misturada com uma necessidade de ser protegida. O desejo de ser vista como igual ao mesmo tempo em que busca ser diferente dos demais. 
Ela me encantou e acredito que vá encantar, também, as meninas de 15 anos que lerem seu "histórico infame", assim como as de 11, as de 31, 47... É um livro infanto-juvenil, sim, mas com toda a certeza irá conquistar todas as faixas etárias.

Personagens SecundáriosDos personagens secundários, preciso dizer que gostaria de ter conhecido melhor Trish e Artie, mas entendo que o livro é curto e dar um maior destaque aos outros personagens faria a história perder seu ritmo. 
Enfim, dos que conhecemos bem, ainda não consegui definir minha opinião sobre Alfa. Adorei o personagem no começo, odiei ele no meio, e simpatizei com ele no final. Uma incógnita. Matthew, por sua vez, ganhou minha antipatia de primeira, e assim permaneceu por todas as páginas. Odeio pessoas muito literais e odeio quem se acha superior aos outros. Simples.

Capa, Diagramação e Escrita: Achei a capa um pouco poluída, mas nada que incomodasse muito. A diagramação, no entanto, é ótima, simplesmente amei os bassês no começo de cada capítulo.
Narrado em terceira pessoa, o livro conta com uma escrita bastante dinâmica, que permite uma leitura fácil e fluída. Gostei bastante, mas isso já ficou claro. Minha única ressalva, aqui, é que a partir de dado momento as coisas começam a acontecer rápido demais. Acho que se a introdução da história tivesse menos páginas, o restante poderia ser melhor distribuído. Mas isso é só um detalhe e não influenciou em nada na minha opinião geral sobre a trama.

ConcluindoEu tive um mês conturbado em novembro, e depois de acabar Perdão, Leonard Peacock, fiquei semanas sem conseguir ler uma página sequer. Até tentei, mas não conseguia focar e, com isso, comecei a ler dois livros que acabei "abandonando" (entre aspas mesmo, ainda vou pegar eles pra ler).
Então, recebi O histórico infame de Frankie Landau-Banks. E, apesar de, como eu disse, levantar questões sociais, a leitura é bem dinâmica. Não é um livro cansativo e que te faça pensar a cada página. Ele simplesmente flui bem, é leve sem ser fútil, e era exatamente o que eu precisava nesse momento. 

Ps: A autora entrega exatamente aquilo a que se propõe. E, se eu fosse avaliar o livro única e exclusivamente sobre esse ponto, a nota seria 50Porém, minhas notas seguem minha ordem de preferência entre os livros que resenho...


Quotes:
- Segredos são mais poderosos quando as pessoas sabem que você os tem - disse o Sr. Sutton. - Conte a eles um pedacinho do seu segredo, mas mantenha o resto bem guardado. 

Então eu fui um monstro, ela pensou. Mas pelo menos não fui a irmãzinha de alguém, a namorada de alguém, uma aluna qualquer do segundo ano, uma garota qualquer – alguém cuja as opiniões não importavam.

Classificação: