Resenha - Paralelos

Resenha feita pela Luh!  
Título: Paralelos
Livro Único.
Autor: Leonardo Alkmim
Editora: Geração
Páginas: 432
Ano: 2013
Saiba mais: Skoob
Comprar: Extra // Saraiva // Submarino

Física demais para mim.

Sinopse: Em um terrível acidente rodoviário, Alexandre morre, mas seu irmão gêmeo Vítor, surpreendentemente, sobrevive. No entanto, ao despertar numa dimensão paralela, autossuficiente e resguardada por instâncias elementares, como o Horizonte de Energia, o Conselho, Deus e os anjos, Alexandre descobre que deveria ter sido salvo e Vítor morrido, equívoco que coloca em risco rodo o funcionamento do cosmos. Embora em dimensões diferentes, os gêmeos precisarão lutar para restaurar o equilíbrio do Universo. Uma aventura fantástica, surpreendente e rica em seus detalhes mais sutis, que arrebata o leitor com todas as suas surpresas e revelações a cada capítulo, além de conquistá-lo com seus personagens ora cativantes, ora assustadores, porém sempre muito interessantes e bem construídos.

A Trama: Esse livro foi muito diferente do que eu esperava. Ao invés de ação, mortes e um ritmo frenético, o livro traz muitas discussões existenciais, uma conversa incessante sobre átomos e transições de fase e personagens complicados.
No mundo de Paralelos existe uma segunda dimensão, quase como um céu (exceto que não há bem ou mal lá), onde "almas" continuam após deixarem seus corpos físicos. Essas almas podem existir em lugares especiais ou vagar pelo mundo humano sem serem vistas pelos "vivos", elas possuem diferentes níveis ou cargos e podem receber missões. A trama começa quando os gêmeos Alexandre e Vitor sofrem um acidente de ônibus e apenas Vitor sobrevive, porém o contrário deveria ter acontecido. A partir desse momento, Alexandre começa a descobrir o mundo após a morte e as "almas" tentam decidir como reagir ao erro catastrófico.
O meu problema com a trama foi que eu parecia estar constantemente em uma aula de física. E estou falando daquelas aulas chatas em que você tinha que se segurar para não dormir. Eu até gosto de física, mas 400 páginas de explicações sobre transcender, partículas, vibrações de onda e energia não são bem o que eu espero ao pegar um livro de ficção científica. Além disso, há longas reflexões filosóficas sobre a origem de Deus e da fé, a inteligência, a consciência e até os antigos deuses gregos.
Não estou dizendo que o livro é ruim, a trama é muito bem trabalhada e há cenas interessantes, apenas não é o meu tipo de livro.

O ProtagonistaNão gostei nem um pouco de Alexandre no início, principalmente por ele já começar ficando com a namorada do irmão. Entretanto, o personagem vai melhorando conforme o avanço da trama, apesar de ser difícil julgar sua personalidade por ele não estar em uma situação normal.

Os Personagens Secundários: Há inúmeros personagens secundários, porém poucos são importantes para a trama. Quem mais me agradou foi Quenom, uma das almas responsáveis por direcionar as pessoas vivas para o caminho que deve ser tomado. Apesar de teoricamente ser um "ser superior", Quenom tinha defeitos bem humanos e foi fácil gostar dele.
Quanto aos outros personagens, vários são complexos e pareciam promissores, mas tive a impressão de não ter realmente conhecido nenhum deles tanto quanto gostaria. Os mais interessantes são os humanos, como Gílson, um grande amigo da mãe dos gêmeos, e Ana Beatriz, uma repórter que estava cobrindo a tragédia.

Capa, Diagramação e Escrita: A capa é muito bonita, traz aquele ar de mistério e ficção científica que transmite bem a ideia do livro, e gostei do detalhe das pequenas linhas que parecem ligar alguns pontos. Quanto à diagramação interna, achei a letra um pouquinho pequena, porém nada que atrapalhe a leitura, e o início de cada capítulo tem um símbolo bem original.
A escrita do autor definitivamente não me conquistou e foi meu maior problema. Cheguei a conferir se ele não era um físico, pela quantidade de explicações que encontrei no seu livro. Além disso, o narrador mudava constantemente, me deixando ainda mais perdida, alternando entre 3ª e 1ª pessoa e seguindo vários pontos de vista. A linguagem também mudava drasticamente, com uma linguagem mais formal nos trechos em 3ª pessoa e gírias e palavrões em 1ª.

Concluindo: A trama é interessante e o livro aborda alguns assuntos que me fizeram refletir, mas no geral é um livro denso e complicado que me deixou entediada com toda a linguagem científica. Recomendo para quem gosta de física e filosofia, mas se você procura algo com mais ação para preencher as horas vagas, continue procurando.


Classificação: