Mini-Resenhas #1

Como eu comentei na minha pilha, terminei três livros recentemente que eram continuações de séries e como não quero dar spoilers, resolvi falar brevemente sobre cada um ao invés de fazer resenhas completas que seriam meio repetitivas, já que minha opinião não mudou muito desde o livro anterior em cada série. Abaixo seguem as mini-resenhas de Lua de Sangue, A Casa de Hades e O Rei Fugitivo.


Lua de Sangue - Andrea Cremer
Galera Record - 2012 - 406 páginas
Nota: 44
Eu realmente adorei Sob a Luz da Lua, apesar de o livro ter seus defeitos. Lua de Sangue se passa em um cenário completamente diferente, com personagens novos e, basicamente, poucos elementos do primeiro livro permanecem, mas para compensar a autora se aprofunda na construção do mundo. É claro que continuamos com Calla, a protagonista, e apesar de ela me irritar um pouquinho às vezes, gostei da evolução da personagem. A trama passa aquela sensação de perigo iminente, mas a autora ainda conseguiu introduzir diversas cenas engraçadas que quebravam a tensão e tornaram o livo muito divertido! Senti falta dos personagens que eu já conhecia, mas adorei os novos e estou ansiosa para saber o que acontecerá com Calla.


A Casa de Hades - Rick Riordan
Intrínseca - 2013 - 496 páginas
Nota: 40
Contrariando a opinião popular, não gostei tanto de A Casa de Hades porque tive a mesma impressão de A Marca de Atena, que o autor estava criando muitas cenas desnecessárias e seguindo uma mesma "fórmula" em todos os livros. É claro que algumas cenas são importantes para o desenvolvimento dos personagens, mas outras realmente não acrescentaram nada de útil. Os personagens, entretanto, evoluíram muito e estão ótimos, são o ponto forte da série, como sempre. Por mais que eu goste dos livros do Rick, na minha opinião A Marca de Atena e A Casa de Hades poderiam ter sido reduzidos a um só livro, tornando a trama mais dinâmica. Ainda assim, pretendo ler The Blood of Olympus para saber como a série vai terminar.


O Rei Fugitivo - Jennifer A. Nielsen
Verus (Record) - 2013 - 281 páginas
Nota: 42
O Falso Príncipe foi um dos meus livros prediletos do ano passado, então é claro que as expectativas para a continuação estavam lá em cima. O Rei Fugitivo não decepcionou, especialmente pelo protagonista. Amo a maneira como Sage é extremamente egocêntrico, mas ainda admite que seus planos só dão certo porque ele tem muita sorte e não porque é "o melhor". Além disso, às vezes o garoto apanha e sofre, demonstrando a realidade que nem sempre se pode ganhar, e às vezes ele parece até gostar de se meter em problemas. A trama foi bem previsível, poucas cenas me surpreenderam, mas ainda me diverti bastante e adorei o ritmo frenético com que tudo acontecia.  O cenário e os personagens mudam completamente, Sage sendo praticamente a única constante do livro, e senti muita falta dos personagens antigos, mas acredito que voltarei a vê-los na conclusão da trilogia.