Quinta das Capas #55

Na Palma da Mão


Continuando com as partes do corpo com zoom gigantesco, hoje eu escolhi as mãos! Nem todas as capas desse estilo ficam boas, eu acho muito mais difícil criar uma capa que chame a atenção com mãos que, por exemplo, olhos.

Apesar de ser simples, achei uma gracinha essa capa de The Comeback Season principalmente porque eles estão deitados na grama. Apesar de a edição da capa de Dezenove Minutos ser boa, seguindo o padrão da autora, eu odiei a imagem de fundo e a citação do jornal, então não gosto da capa. Se eu tivesse que eleger a pior capa do dia seria difícil, mas Cante Para Eu Dormir entra na disputa, porque a única coisa ali que me agradou foi a cor do fundo. As mãos parecem photoshopadas (especialmente por terem tons diferentes), o título é todo em letras minúsculas e o que é aquela frase, "O amor pode acompanhar seus pensamentos para sempre"? Agora, amei a capa de Extremamente Alto e Incrivelmente Perto pela originalidade, foi genial o que fizeram com as letras, apesar de ser um pouquinho difícil de ler o título.



Esse é um estilo de capa bem clichê, na minha opinião, já que encontrei dezenas de capas muito semelhantes ao pesquisar. Eu gosto da imagem de A Jornada, apesar de ser uma confusão de dedos, e adorei as cores escolhidas, mas acho que faltou algo especial. Já Amaryllis in Blueberry tem algo que não sei explicar o que é, mas prende a minha atenção e me faz querer comprar o livro. Talvez seja a cor, que eu amei (e não sei se é azul ou roxo). Revealers poderia ser legal se não tivesse dois problemas, o título meio cortado (qual o problema de colocar a fonte 2cm para cima?) e as mãos flutuantes, sem sequer o contorno de uma pessoa atrás. Gostei da borboleta de The Adoration of Jenna Fox e teria gostado mais se a mão da pessoa estivesse com a palma para cima, mas ainda ficou muito interessante.

Eu já tinha visto a capa de Terrível Encanto dezenas de vezes e nunca parei pra tentar entender o que é aquilo nas mãos da modelo. Essa capa poderia ter ficado ruim, mas ficou maravilhosa, com os detalhes em volta do título e o rosto borrado no fundo. A única coisa que eu mudaria em Shadowspell é aquele batom rosa, mas tirando isso a capa está maravilhosa e adorei que a modelo esteja segurando um cervo. Outro detalhe interessante é que as unhas dela estão em destaque em chamam a atenção, o que é raro. Finalmente, há partes que gosto na capa de Despertar, como o colar, a fonte do título e o rosto no fundo, e partes que poderiam melhorar, como as mãos feias da modelo e a posição estranha que o colar ficou.

Gostei muito de algumas capas, porém outras precisavam de uma reforma urgente!