Resenha - Cidade da Meia-Noite

Resenha feita pela Luh!  
Título: Cidade da Meia-Noite
Título Original: Midnight City
Série: Saga da Terra Conquistada
1- Cidade da Meia-Noite
2- The Severed Tower (2013 US)
3- Valley of Fires (2014 US)
Autor: J. Barton Mitchell
Editora: Pensamento
Páginas: 442
Ano: 2014
Saiba mais: Skoob
Comprar: Pensamento (Editora) // Saraiva

Me ganhou na invasão alienígena.

Sinopse: A Terra é conquistada por uma raça alienígena conhecida como os Confederados. A população adulta da Terra desaparece de vista, sucumbida pela Estática - um poderoso sinal telepático irradiado pelos alienígenas, que reduz as pessoas a um estado de total servidão. Mas existe um grupo imune aos seus efeitos: as crianças e os adolescentes. Enquanto isso, Holt Hawkins, um caçador de recompensas, tem como alvo Mira Toombs, uma astuta caçadora de tesouros com a cabeça a prêmio. Não demora muito para Holt capturar sua presa, mas a forte atração que surge entre os dois não é algo com que ele contasse. A queda de uma nave dos Confederados nas proximidades do lugar onde Holt e Mira estão acampados revela uma surpresa - a única sobrevivente é uma garotinha que não se lembra de mais nada a não ser do próprio nome: Zoey. Logo eles descobrem que todo o exército alienígena está à procura de Zoey. O que ela tem de tão especial? Será que os poderes dessa garota, por mais improvável que isso possa parecer, são a chave para deter os Confederados de uma vez por todas?

A Trama: Há 8 anos, aliens invadiram o planeta e conseguiram hipnotizar todos os adultos com uma tecnologia poderosa, deixando apenas adolescentes com menos de 20 anos para cuidar do que restou. Os aliens são implacáveis e a humanidade não tem chances em uma guerra, então enconde-se da melhor maneira possível.
Holt é um caçador de recompensas que faz de tudo para sobreviver. Após dias de perseguição, ele consegue capturar a inteligente Mira, uma garota que vale uma recompensa astronômica. No início pensei que o livro seria sobre um romance entre os dois personagens, mas é muito mais sobre a invasão e os mistérios e tragédias que ela trouxe.
A Cidade da Meia-Noite é uma ficção-científica maravilhosa que me lembrou muito da série Falling Skies. Os capítulos são curtos e parecem voar, principalmente nas inúmeras cenas de ação, e amei o rumo que a história tomou. Ainda fiquei com muitas dúvidas, mas acredito que serão todas respondidas nos próximos dois volumes, e tudo leva a crer que a continuação será ainda melhor que o primeiro livro. O único defeito que encontrei na trama é que às vezes os protagonistas encontravam soluções mágicas para seus problemas e eu gostaria de ter visto um pouco mais de esforço.

Os Protagonistas: Holt é um jovem de 16 anos com sérios problemas para se expressar, ele tenta enterrar seus sentimentos e apenas seguir em frente, focando na sobrevivência. Adorei os defeitos do personagem, como seu medo das Terras Estranhas, um local onde as leis da física parecem estar distorcidas e nada é da maneira como estamos acostumados, e todos os objetos que vem de lá. No início Holt me parecia problemático demais, porém tudo fica claro conforme vamos conhecendo o passado do personagem.
Mira costumava ser uma Bucaneira, uma pessoa que aprende a combinar artefatos das Terras Estranhas para fazer "mágica" (fazer itens levitarem, ficarem invisíveis e etc). Ser uma Bucaneira era o sonho de Mira e ela amava sua profissão, até que comete um erro e acaba tendo que fugir de seu lar e abandonar sua carreira. A relação de Holt e Mira é complicada, ele é o captor da garota e ela obviamente o odeia no início, mas logo eles são forçados a conhecer um ao outro e Mira entende que Holt é muito mais complexo do que aparenta.

Os Personagens Secundários: Zoey foi minha personagem predileta. A garotinha de 8 anos acaba se juntando à Holt e Mira de uma maneira imprevisível e ela é um mistério desde o início. Zoey não lembra nada sobre seu passado, mas parece conseguir sentir exatamente o que Holt e Mira sentem. Durante o livro descobrimos bastante sobre a garota, mas eu quero saber muito mais.
O livro é dividido em duas partes e muitos personagens novos surgem na segunda parte. A maneira como eles vivem é bem interessante, mas os personagens em si não tinham nada de especial.

Capa, Diagramação e Escrita: A capa é linda e combina perfeitamente com o livro! Não sei se gostei dos personagens aparecendo, mas ficou com um ar de cena de videogame que é interessante para esse tipo de livro.
Achei a escrita do J. Barton diferente por representar Holt e Mira tão bem, o autor soube transmitir os sentimentos de ambos os personagens sem ter uma voz exclusivamente masculina ou feminina. A narrativa em 3ª pessoa é diferente das que estou acostumada, mas não deixa de ser boa.

Concluindo: Estava com medo de o livro focar demais no romance ou se tornar confuso, mas o autor soube criar uma trama fantástica e fácil de compreender. A série tem muito potencial e, contanto que o próximo livro explore um pouco mais os aliens e explique melhor o que está acontecendo, tende a ficar ainda melhor!

Classificação: