Resenha - A Primavera Rebelde

Resenha feita pela Luh!
Título: A Primavera Rebelde
Título Original: Rebel Spring
Série: A Queda dos Reinos
1- A Queda dos Reinos (2013)
2- A Primavera Rebelde
3- Gathering Darknesss (2014 US)
Autor: Morgan Rhodes (pseudônimo de Michelle Rowen)
Editora: Seguinte (Companhia das Letras)
Páginas: 472
Ano: 2013
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva // Fnac // Submarino // Extra

Atenção: Essa resenha não contém spoilers de nenhum livro da série.

Sinopse: Depois que o rei Gaius de Limeros conquistou as terras de Auranos e subjugou o povo sofrido de Paelsia, passou a dominar toda a Mítica com seu punho de ferro. A rica população de Auranos parece não se importar com o novo governante, desde que seus privilégios sejam mantidos; os paelsianos, como sempre, aceitam seu destino de exploração. Mas a tranquilidade é só aparente - grupos rebeldes começam a surgir nos reinos dominados, questionando as mentiras e os métodos sangrentos do novo rei. Enquanto isso, Gaius obedece à sua mais nova conselheira e dá início à construção de uma estrada passando pelas temidas Montanhas Proibidas. Mas essa via não servirá apenas para interligar os três reinos - ela faz parte de uma busca pela magia elementar, perdida há mil anos, que conferirá ao tirano um poder supremo. O que ninguém esperava era que essa obra desencadearia uma série de eventos catastróficos, que mudarão aquelas terras para sempre e forçarão Cleo, Magnus, Lucia e Jonas a tomar decisões até então inimagináveis.

A Trama: Antes de iniciar a leitura, tive que pegar meu exemplar de A Queda dos Reinos e relembrar quem era quem, pois são tantos personagens e tramas interligadas que é fácil esquecer o que está acontecendo com cada um. A Primavera Rebelde é um livro mais sombrio que o primeiro, com muito sangue, guerras, mortes e traições. O livro tem um tom mais adulto e os personagens tem que lidar com as mais diversas situações como casamentos forçados, trabalho escravo e, é claro, a sensação de que ninguém está seguro.
Apesar de eu ter adorado as cenas de ação, senti que a trama do livro não avançou tanto quanto deveria e espero que isso mude no terceiro livro. O final foi bom, porém eu esperava um pouquinho mais.

Os Protagonistas: É difícil definir os protagonistas, pois a autora alterou seu estilo de narração, que continua em 3ª pessoa, porém agora do ponto de vista de um zilhão nove ou dez personagens. Três, entretanto, se destacaram, talvez por serem narradores no livro anterior. Não consigo gostar de Jonas, sua sede de vingança o torna um personagem muito superficial pois ele só pensa nisso, além de tomar decisões muito ruins e colocar seus amigos constantemente em perigo. Cleo está amadurecendo cada vez mais e se tornou uma personagem bem melhor nesse livro, sabendo escolher suas batalhas e aprendendo aos poucos a conquistar as pessoas certas.
Magnus, entretanto, continua sendo meu predileto. Em uma interminável batalha entre sua natureza e a maneira como foi criado, ele tenta agradar o pai o suficiente para não ser o alvo de sua ira enquanto, ao mesmo tempo, faz o possível para não se tornar um monstro como ele.

Os Personagens Secundários: São tantos personagens que é difícil se afeiçoar a qualquer um deles, o que acaba sendo bom, já que a autora parece gostar de matá-los. Gostei bastante de Lysandra, uma garota que se junta aos rebeldes e deveria ser a líder deles, já que tem ótimas ideias. Lucia, infelizmente, me irritou do início ao fim.

Capa, Diagramação e Escrita:  Eu gostava mais da primeira capa, porém essa combina muito mais com a trama, além de ser bem mais escura ao vivo. Gostei da diagramação interna, o início de cada capítulo tem um detalhe bem especial na página e a letra tem um tamanho ótimo, só encontrei alguns errinhos de revisão. Para o leitor não se perder, logo no início do livro há um mapa e uma lista com os nomes dos personagens.
A escrita da autora definitivamente melhorou, porém odiei esse novo estilo de narração, ela tentou usar o ponto de vista de personagens demais e acabou virando bagunça.

Concluindo: Muitas cenas de ação, uma quantidade surpreendente de mortes e personagens cada vez melhores. Se não fosse pela falta de evolução da trama, eu diria que a sequência superou o primeiro livro, porém ainda foi ótimo.

Classificação: