Resenha - A Queda

Resenha feita pela !
Título: A Queda
Título Original: The Drop
Série: Harry Bosch
1- The Black Echo (1992 US) (...)
12- Echo Park (2008)
13- O Mirante (2008)
14- Nove Dragões (2011)
15- A Queda (...)
19 - The Burning Room (2014 US)
Nota: os livros da série não precisam ser lidos em ordem. Os volumes 3 a 11 foram lançados pelo Grupo Record e os volumes 12, 13, 14 e 15 pela Suma de Letras.
Autor: Michael Connelly
Editora: Suma de Letras
Páginas: 311
Ano: 2014
Saiba mais: Skoob
Comprar: Submarino // Saraiva // Extra

Sinopse: A três anos da aposentaria, a carreira do detetive Harry Bosch no Departamento de Polícia de Los Angeles está perto do fim. Numa manhã, ele recebe dois novos crimes para solucionar, junto com seu parceiro David Chu. No primeiro, uma prova de DNA, encontrada no pescoço de uma vítima de um crime cometido há vinte anos, indica que o criminoso era uma criança de apenas oito anos. As evidências levam Bosch a se perguntar se o caso apontaria para uma criança assassina ou se houve uma falha do laboratório de análises criminais. O segundo crime investigado não é menos instigante: um delito que tem, certamente, caráter político. O filho do vereador Irvin Irving – um antigo inimigo de Bosch – pulou ou foi empurrado da janela de um hotel de luxo. O mais surpreendente é que foi o próprio Irving quem solicitou ao Departamento de Polícia que a investigação fosse conduzida por Bosch. 

A Trama: Harry Bosch é um experiente detetive, apaixonado pelo que faz, que se encontra perto da indesejada aposentadoria. Sua área de trabalho no Departamento de Polícia de Los Angeles no momento é a de casos Abertos/Não Resolvidos, onde reavaliam provas de crimes antigos que não foram solucionados. No mesmo dia em que ele fica sabendo que terá apenas mais trinta e nove meses de exercício, Bosch recebe um caso curioso de investigação da morte de uma jovem de dezenove anos onde o único apontado na cena do crime e, portanto, único suspeito, é um menino de 8 anos que nos dias de hoje tem passagem pela polícia por pedofilia. Como se isso já não bastasse, o vereador Irvin Irving, desafeto do detetive, o escolhe para investigar a morte do seu filho George, que foi dada como suicídio, mas com razões desconhecidas. Harry fica dividido entre as duas investigações e seu profissionalismo esbarra em seus conceitos de honestidade, mas eu gostei da forma de trabalho dele, de como ele segue as pistas e vai pelo lado da imparcialidade sem ter medo de seguir seu estilo de atuação.

O Protagonista: Como esse não é o livro em que Harry estreia como protagonista, posso ter perdido algumas informações sobre sua vida e personalidade e por isso não me apeguei muito a ele. Apesar de tê-lo achado frio em algumas situações, esse é um perfil comum de pessoas que trabalham com atrocidades o tempo todo. Harry mora com sua filha adolescente, com a qual ele tem uma relação de companheirismo e cuidado muito bacana.

Personagens SecundáriosDavid Chu, parceiro de Harry, fica em segundo plano durante as investigações, mas não deixa de ser um personagem ativo e interessante. O vereador Irvin me deixou com uma pulga atrás da orelha do princípio ao fim, afinal de contas, político é político em qualquer lugar. Aliás, a influência política é um tema bem colocado na trama. Os policiais do livro, em sua maioria, são espertos e integrados no trabalho.

Capa, Diagramação e Escrita:  Gostei de cara da harmonia entre as cores da capa. A silhueta do homem tem a ver com a história, podendo ser interpretada como a figura de algum dos personagens masculinos, como o Harry Bosch ou os envolvidos nos dois crimes tratados. A diagramação é simples, folhas amarelas, fonte num bom tamanho e capítulos com tamanho suficiente para não serem cansativos.
Essa foi minha primeira experiência com Michael Connelly, autor bem recomendado entre fãs do gênero policial. O livro não está entre os melhores que eu li no tema, mas também não foi uma leitura desperdiçada. Senti falta de algumas informações, e o desfecho não me satisfez por completo, mas Connelly demonstra muita firmeza no que escreve, o que me deixou aberta a novas experiências com o autor.

ConcluindoAchei um romance policial mediano, sem grandes surpresas e com alguns furos a respeito da vida do protagonista, talvez por ser uma série. Apesar disso, recomendo, e espero ter melhores experiências com o autor no futuro.

Quotes:
Quando Bosch saiu sob a luz do dia outra vez, viu vários homens sentados em cadeiras, num círculo. Uma sessão de aconselhamento e reabilitação. Ele nunca pusera muita fé na ideia de reabilitar predadores sexuais. Achava que não havia cura, a não ser a castração – cirúrgica, de preferência a química. Mas era suficientemente inteligente para guardar esses pensamentos para si, dependendo da companhia com quem estivesse.

- Harry, você me conhece, puxa vida. Por que está agindo desse jeito?
- Desse jeito como? Como se eu estivesse de saco cheio da intrusão política no meu caso? Vou dizer uma coisa, tenho outro caso em andamento – uma garota de dezenove anos estuprada e deixada morta nas pedras da Marina. Os caranguejos se alimentaram do cadáver dela. É engraçado, mas ninguém na câmara de vereadores me procurou por causa disso.

Classificação: