Resenha - Verão Cruel

Resenha feita pela Maay!
Título: Verão Cruel
Título Original: Cruel Summer
Livro Único.
Autor: Alyson Noël
Editora: Novo Século
Páginas: 184
Ano: 2014
Saiba mais: Skoob
Comprar: Submarino // Saraiva // Extra // Fnac

Com certeza absoluta, a minha última experiência com a autora.

Sinopse: Colby Cavendish, uma ex-nerd, decide mudar radicalmente sua própria imagem. Está ansiosa por participar de festas descoladas com a turma da praia e, se tudo der certo, ficar com o cara mais gostoso da escola, Levi Bonham. Mas seus planos vão por água abaixo quando seus pais a mandam passar férias forçadas na Grécia com sua tia. Presa em uma ilha sem shoppings e sem sinal de celular, ela teme ser rapidamente esquecida por seus amigos. Mas eis que conhece Yanni, um deus grego, e tudo muda. Colby acaba confusa e tudo indica que aquele sentimento será mais que uma simples paixonite de verão.

A Trama: Vou resumir esse livro de maneira bem sincera. Colby reclama, reclama, reclama, viaja para Tinos, reclama que odeia o lugar, reclama que quer ir para casa, e reclama mais um pouco sobre tudo. Conhece um cara legal, para de reclamar, estraga tudo e reclama ainda mais do que antes. E quando chega perto de ir embora, adivinhem o que ela faz?! Reclama que quer ficar em Tinos!!! 
Pronto, acabou o livro. 

A Protagonista: Eu sinceramente acho que nunca, em toda minha vida de leitora, eu odiei t-a-n-t-o um personagem, como odiei esse. Pensem em uma pessoa insuportável - é a protagonista. 
Ela não vê o lado bom em nada, se vitimiza o tempo inteiro, se acha o centro do mundo, e por aí vai. De coração, eu sofri para acabar a leitura, porque ela é simplesmente intragávelE uma observação final. Essa história de que a Colby era nerd e acaba de se tornar popular, sério, que coisa mas sem motivo algum. Não influencia em absolutamente nada. 

Personagens Secundários: Existem diversos personagens secundários na história e eu criei uma simpatia imensa por todos eles, porque olha, aturar aquela menina mimada não é fácil.
O grande problema foi que, devido à narrativa epistolar, nós os conhecemos apenas sob o ponto de vista da protagonista. E olha que surpresa: ela não acha ninguém bom o suficiente!
Gostaria mesmo de ter conhecido melhor os personagens, principalmente Tally, a tia de Colby, e Natalie sua louca melhor amiga.

Capa, Diagramação e Escrita: Agora a parte boa - sim, tem uma. A Novo Século fez um trabalho lindo com a capa e a diagramação do livro. A capa é super simples, mas combinou perfeitamente com as praias descritas ao longo da trama. E a diagramação facilita muito a leitura, devido ao jogo de fontes que eles fizeram. 
Agora, a narrativa epistolar - que foi a razão de eu pedir o livro -, aqui, foi um tiro no pé. Acho que teria sido mais interessante se a autora tivesse incluido as respostas das pessoas às cartas e e-mails da protagonista, para diversificar um pouco os pontos de vista.

Concluindo: Eu já conhecia algumas obras da autora, e confesso que elas não tinham me conquistado. Porém, como tinham uma premissa bem diferente dessa, resolvi dar uma nova chance. Agora acabou. As histórias até tem potencial, sabe. O grande problema é que Alyson não tem o dom de criar personagens suportáveis carismáticos, e então a leitura acaba se arrastando.
Enfim, é um livro que não é para mim. Mas se você conseguir o milagre de ignorar as reclamações da protagonista, a história até que se torna leve e quase divertida.

Quotes:
A vida é uma constante mudança, Colby. Nossa tarefa é fazer os ajustes necessários para continuarmos bem.

Classificação: