Resenha - Enquanto Eu Te Esquecia


Resenha feita pela !
Título: Enquanto Eu Te Esquecia
Título Original: Love Water Memory
Livro Único.
Autor: Jennie Shortridge
Editora: Única
Páginas: 384
Ano: 2014
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva // Fnac // Extra // Submarino

Sinopse: Lucie Walker não se lembra de quem é ou como foi parar nas águas geladas da Baía de São Francisco. Encaminhada para uma clínica psiquiátrica, ela aguarda até que um homem chega afirmando ser seu noivo. Entretanto, com seu retorno para casa, essa mulher sem memória vai tomando conhecimento de sua personalidade antes do acidente, da pessoa controladora, fria e sem vida que era, e dos segredos da infância e da família, assim como da situação do noivado e dos mistérios que podem ter provocado o acidente.
Será que ela quer isso de volta? Será que essa nova Lucie conseguirá manter o amor por Grady, ou a oportunidade de recomeçar será sua salvação? Intenso, franco e incrivelmente emocionante, Enquanto eu te esquecia é um livro delicado, que nos questiona sobre a maneira que vivemos e nos lembra que sempre temos uma nova chance de ser feliz.

A Trama: O livro começa com Lucie, desorientada, se dando conta de que está num lugar amplo, com água na altura dos joelhos e uma equipe de natação tentando chamar sua atenção. Porém ela não faz ideia de quem seja ou do que faz naquele lugar. Grady, seu noivo, vai busca-la no hospital psiquiátrico com esperanças de que, mostrando a ela como era sua vida, sua memória retorne, mas não é bem assim que as coisas funcionam.
A nova Lucie é uma mulher que gosta das coisas mais simples, dispensa toda maquiagem e produtos de beleza que a antiga Lucie era viciada em usar, gosta de roupas coloridas e ama doces. Apesar de ter esses sentidos, ela não sabe porque gosta disso ou porque gostava daquilo. Sua mente está totalmente em branco e sua determinação é descobrir o que a motivou a fugir poucas semanas antes de seu casamento, que seria no mesmo dia de seu quadragésimo aniversário. Tendo só um parente vivo, uma tia que Grady afirma que Lucie nunca quis se aproximar nem falar sobre, ela pode fazer descobertas não muito agradáveis.

A Protagonista: Lucie se impressiona ao descobrir como era fria e antipática antes da amnésia, típica rica que só quer gastar e ver os outros por cima. Mas conforme descobrimos o que aconteceu no passado dela, entendemos junto da Lucie o motivo de seu antigo comportamento. A nova Lucie é tão doce que eu me encantei e torci pela melhora dela logo de cara. Na verdade, essa perda de memória serviu para resolver questões de tempos atrás, já que ela está chegando aos 40 anos de idade e está na hora de encarar seus problemas. Lucie não se dava bem com a família de Grady, nem com os vizinhos e não tinha amigos, mas sem a camada de indiferença que ela vestia por cima da boa pessoa que realmente é, ela quer consertar os erros de seu antigo estilo de vida.

Personagens SecundáriosGrady é filho de uma irlandesa com um índio americano, tem seis irmãs e é descrito como moreno, alto e charmoso. Me chateei pela passividade dele algumas vezes, mas era só lembrar da situação do cara - ser noivo de uma mulher que de repente perde a memória e começa a agir de forma diferente - para perdoá-lo e compreender que nem todo mundo está preparado para saber o que fazer numa situação dessas. Pelo ponto de vista dele, podemos perceber que Lucie sempre foi a mesma, e ele conseguiu ver além de toda superficialidade dela quando se apaixonou.
Hellen é a tia de Lucie, que mora sozinha e tenta se sustentar como pode, já que não há mais ninguém que olhe por ela. Como a antiga Lucie não se relacionava com sua tia, e falava dela como se fosse má pessoa, duvidei se poderia confiar ou não na senhorinha, mas conforme a história é sendo contada, conhecemos melhor da vida dela e o porquê do ressentimento de sua sobrinha.

Capa, Diagramação e Escrita: A imagem da capa nacional me agradou mais que a original, que dá a impressão do livro ser sombrio e sobrenatural (coisa que ele não é), pois tem tudo a ver com a trama, mas o começo do título em minúsculo e a última palavra começando em maiúsculo não me desceu. Não entendi porque fizeram isso. E na lombada, com as palavras uma ao lado da outra, fica mais esquisito ainda.
Alguns capítulos são narrados no ponto de vista da Lucie, outros no de Grady e outros no de Hellen. Gosto quando isso é usado como foi aqui, para que nós conhecêssemos melhor os personagens (que nem a pobre da Lucie conhecia mais) sem haver repetição de cenas demasiadamente. A leitura flui bem e os capítulos são bem distribuídos.

Concluindo: Enquanto Eu Te Esquecia nos faz lembrar que há certas coisas que não podem ser jogadas de lado como se não importassem, tudo o que acontece em nossa vida nos serve de experiência para o futuro, e Lucie vivia sufocada pelo seu passado. Torci por ela e pelo Grady e gostei do final em aberto que a autora deixou, apesar de preferir que ela tivesse desenvolvido mais a história do filho do Grady que ele nunca conheceu. Mesmo com pequenas insatisfações, recomendo muito a leitura, principalmente para quem gosta de personagens mais maduros.
Quotes: 
“Quantos anos eu tenho?”, ela perguntou, então, os dedos subindo até a testa. Ela era a mesma, exatamente a mesma, ainda que o cabelo não estivesse arrumado, não usasse maquiagem, sardas à vista. Tinha emagrecido; suas roupas já não se ajustavam ao corpo, mas, mesmo assim, ela parecia ser ela mesma, só que não era.

Grady sempre fora um homem honesto, extremamente honesto, mas nunca tinha recebido um passe tão livre em uma segunda chance. Não mentiria. Só seria eletivo sobre o que contar a ela, não apenas a seu favor. Nem pensar, Lucie tinha ficado insana antes de ir embora.


                                  Classificação:
   

Classificação:
Classificação: