Resenha - A Garota Que Perseguiu a Lua

Resenha feita pela Luh!
Título:  A Garota Que Perseguiu a Lua
Título Original: The Girl Who Chased the Moon
Livro Único.
Autor: Sarah Addison Allen
Editora: Planeta
Páginas: 256
Ano: 2014
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva // Submarino // Extra


Sinopse: Como você pode achar seu caminho? Seguindo as nuvens ou a lua? Emily Benedict foi para Mullaby após a morte de sua mãe. Ao chegar à cidade e conhecer seu avô ela percebe que os mistérios do lugar nunca são resolvidos: eles são uma forma de vida. Existem quartos cujo papel de parede muda de acordo com o seu humor, luzes estranhas aparecem no quintal à noite e Julia Winterson, a vizinha, consegue cozinhar a esperança em forma de bolos. Emily percebe que sua mãe esteve envolvida no maior mistério da cidade, e conta com a ajuda de Julia para desvendá-lo. Em Mullaby nada é o que parece.

A Trama: A Garota Que Perseguiu a Lua conta duas histórias na pequena cidade de Mullaby. A primeira é de Emily, uma adolescente que acabou de perder a mãe e se muda para o lugar onde a mãe cresceu, na esperança de sentir-se mais próxima dela. A segunda é a de Julia, uma mulher madura que era apaixonada pelo belo Sawyer, mas se mudou de Mullaby há muito tempo e nunca planejou voltar, só está ali por dois anos porque precisa.
Enquanto eu amei a trama de Julia, a de Emily não despertou emoção alguma. Há um enorme mistério durante todo o livro sobre algo terrível que a mãe de Emily fez há anos, temos que esperar até quase o final para saber o que é e a revelação foi muito decepcionante. O elemento fantasioso do livro não é ruim, certas partes da mágica eram fofas e interessantes, porém me pareceu desnecessário.

Os Protagonistas: Julia é uma mulher bem fechada e não se esforça muito para criar laços em Mullaby, já que pretende sair da cidade em breve. Ela tinha problemas sérios com a família e uma auto-estima baixa, o que resultou em diversas más decisões. Porém, Julia soube dar a volta por cima. Gostei da personagem por ser realista, inteligente e muito esforçada, apesar de sua grande teimosia.
Emily não parecia ter muita personalidade. Exceto por sua insistência em conhecer Win e pela vontade de conhecer o passado da mãe, a garota não fazia nada que não fosse influenciada a fazer. Não consegui gostar da protagonista por sua falta de opinião.

Os Personagens Secundários: Adorei Sawyer, um homem que já cometeu muitos erros e agora tenta viver com eles. Ele era torturado e ao mesmo tempo alegre, uma combinação interessante. Vance, o avô de Emily, também era bem interessante, apesar de não falar muito. Infelizmente achei a maioria dos personagens bem superficial, especialmente Win, o garoto que tem uma quedinha por Emily.

Capa, Diagramação e Escrita: A editora definitivamente merece parabéns! A diagramação é maravilhosa, com o início de cada capítulo com as linhas curvas, adorei. A capa também é muito bonita e combina com a trama, mas o que mais gostei é o título, perfeito para esse livro.
A escrita da Sarah Addison Allen é maravilhosa, especialmente as descrições, e entendo porque ela é uma autora tão adorada. Ela era capaz de fazer você visualizar os locais de uma maneira incrível, dava até para sentir o cheiro.

ConcluindoO livro poderia ter sido muito melhor se não focasse tanto na "grande revelação". A simples jornada dos personagens foi ótima, porém aquele suspense todo tirou o foco de onde deveria estar e me decepcionou. Não é um livro ruim, porém eu esperava muito mais de uma autora que recebe tantos elogios.


Classificação: