Quinta das Capas #59

Sem Pessoas


Quase todas as capas atualmente tem pessoas ou partes de pessoas, no mínimo uma silhueta. Então quis escolher algumas lindas para mostrar que uma modelo bonitinha não é necessária para uma capa que chama a atenção! E encontrei tantas imagens legais que o post foi dividido em duas partes, a segunda vocês podem conferir quinta da semana que vem.

Achei hilário aquele bigode no espelho em Os Diários de Nick Twisp, vou confessar que fiquei com vontade de ler o livro só pela capa, nem sequer vi a sinopse ainda, mas parece ser super legal. Aquele caminho enrolado de O Projeto Rosie também é muito divertido e fico imaginando se tem ligação com o desenvolvimento da trama, além de a fonte do título ser linda. Não sei explicar o que é, mas algo na capa de The Eternity Cure consegue me prender. Gosto de como ela é simples e ao mesmo tempo elaborada, com os galhos posicionados milimetricamente e o padrão lindo no fundo azul.



Pela frase na capa de Revivente, já percebi que os relógios combinam com a trama, mas o mais interessante aqui foram as cores escolhidas é muito difícil ver esse esquema de cores numa capa, mas aqui harmonizou perfeitamente. Refúgio me dá um pouquinho de medo, fico imaginando um rosto ou uma mão aparecendo naquela janela, e há uma sombra bem leve no chão. Só não me agradou muito o título com aquele efeito borrado. Há detalhes que gosto e detalhes que achei desnecessários em Todos os Meus Amigos São Super-Heróis. As cores ficaram ótimas, a fonte do título é maravilhosa, porém aquele efeito estranho na parte bege da capa, como se as pontas tivessem sido rasgadas de forma irregular, ficou me incomodando.

Então, Conheci Minha Irmã foi eleita a capa mais bonita do dia. Amei a maçaneta desenhada, as folhas que dão um ar de diário, as fontes e até aquela árvore de branco. A capa está simplesmente perfeita! Fogo já apareceu aqui no blog algumas vezes, e só agora reparei que tem um pedacinho de rosto lá em cima, mas o que chama mesmo a atenção são as cores - uma mistura interessante - e a arma no fundo. Além disso, a versão impressa tem uma fonte dourada brilhando no título que é linda. Por fim, o único defeito de O Palácio de Inverno é o título todo em minúsculas, porém o cenário no fundo é muito interessante.

Aguardem, semana que vem tem mais!