Resenha - Belle Époque

Resenha feita pela Luh!
Título: Belle Époque
Título Original: Belle Epoque
Livro Único
Autor: Elizabeth Ross
Editora: Record (Verus)
Páginas: 294
Ano: 2014
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva // Submarino

Paris, oh Paris.

Sinopse: Na Paris da Belle Époque, tudo está à venda — inclusive a beleza. Quando Maude Pichon foge de casa, na provinciana Bretanha, e vai para Paris, seus sonhos românticos evaporam tão rápido quanto suas economias. Desesperada para arrumar um emprego, ela responde a um estranho anúncio de jornal — a Agência Durandeau está em busca de jovens pouco atraentes a fim de fornecer a suas clientes um serviço singular: uma moça sem graça contratada para acompanhar as damas da sociedade e fazê-las parecer mais belas.
A condessa Dubern precisa de uma acompanhante para Isabelle, sua voluntariosa filha, e Maude é considerada o adorno perfeito para tornar a moça mais bonita. Isabelle nem desconfia de que sua nova “amiga” foi contratada pela mãe, e a mera presença de Maude entre a aristocracia depende de que consiga guardar esse segredo. No entanto, quanto mais ela conhece e se afeiçoa a Isabelle — uma jovem determinada a desafiar as expectativas da sociedade e a estudar ciências na universidade —, mais sua lealdade é posta à prova. E, enquanto a farsa persistir, Maude terá muito a perder.

A Trama: O cenário, Paris na era vitoriana, é capaz de conquistar qualquer um, e eu suspirava a cada menção de bailes, vestidos de festa e banquetes luxuosos. No início estranhei bastante a originalidade da trama, a protagonista - Maude - é contratada como repoussoir, uma  pessoa cuja principal função é ser "feia" para embelezar aqueles que estão à sua volta. Nunca ouvi falar de uma profissão do tipo e acredito que seja fruto da imaginação da autora, o que tornou a trama mais interessante. Por outro lado, a menção constante dos defeitos da protagonista e sua própria falta de auto-estima tiraram o ar alegre que o livro tenta passar, e a trama seguiu um rumo bem previsível.

A Protagonista: Maude era uma contradição ambulante. A jovem conseguia ser cética e bem realista, enfrentando suas dificuldades da melhor forma possível, porém também se permitia sonhar com uma vida melhor. Ela trabalhava na agência de repoussoirs, mas não se considerava uma daquelas mulheres. Maude conseguia me divertir às vezes, e gostei bastante dela como protagonista, porém acredito que a personalidade dela poderia ter sido um pouquinho mais desenvolvida, às vezes a personagem parecia muito superficial.

Os Personagens SecundáriosInfelizmente não foram muitos os personagens que me conquistaram. Isabelle e sua mãe eram envolventes e interagiam muito bem, apesar das personalidades opostas, e eu compreendia as motivações de ambas. As colegas de Maude na agência tinham seus momentos, porém não conseguiram me conquistar. O único personagem que realmente não gostei foi Paul,  um músico boêmio que, na minha opinião, era bem chatinho e desnecessário na trama.

Capa, Diagramação e Escrita: Amei demais essa capa, foi o que me deu vontade de pegar o livro. A diagramação interna também está ótima, com muitos detalhes bonitos, especialmente no início dos capítulos.
A escrita da Elizabeth tem seus altos e baixos. Acredito que ela não saiba trabalhar muito bem seus personagens, pois a maioria parecia ter potencial para mais, porém suas descrições eram belíssimas, especialmente dos cenários luxuosos, e há diálogos em francês!!

Concluindo: É um livro que definitivamente não vai entrar para os meus prediletos, principalmente porque a trama tinha algumas cenas entediantes (envolvendo Paul), porém foi muito legal para passar o tempo e eu adorei o cenário e a ideia da autora. Recomendo para quem gosta de Paris e todo o seu luxo, principalmente se estiver cansado de séries.


Classificação: