Resenha - A Fúria do Lobo

Resenha feita pela Luh!
Título: A Fúria do Lobo
Título Original: Fair Game
Série: Alfa e Ômega
1- Lobos Não Choram (2012)
2- O Domínio do Lobo (2013)
3- A Fúria do Lobo (2013)
Autor: Patricia Briggs
Editora: Novo Século
Páginas: 280
Ano: 2013
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva // Fnac // Extra

O melhor da série.
Atenção: Essa resenha não contém spoilers de Lobos Não Choram ou A Fúria do Lobo.


Sinopse (spoilers): Dizem que os opostos se atraem. E, no caso dos lobisomens Anna Latham e Charles Cornick, se completam. Filho do líder dos lobisomens norte-americanos, Charles é um alfa dominante. Enquanto Anna, um Ômega, tem a rara capacidade de acalmar os outros de sua espécie. Agora que os lobisomens revelaram-se aos seres humanos, eles não podem dar-se ao luxo de ter publicidade negativa. Infrações que poderiam ter sido ignoradas no passado agora devem ser punidas, e a tensão de fazer o trabalho sujo do seu pai está se tornando um fardo para Charles. Charles e Anna são enviados para Boston, quando o FBI pede ajuda à alcateia no caso de uma série de assassinatos. Eles rapidamente percebem que não apenas as três últimas vítimas foram lobisomens, mas também que as outras vítimas foram todas Fae. Alguém está matando lobisomens e Fae intencionalmente. E Anna e Charles também estão na mira do assassino... 

A Trama: A Fúria do Lobo não deixa os lobisomens de lado, mas foca bastante em outras mágicas, como as bruxas e os  misteriosos fae. Na minha opinião, o segundo e terceiro livros da trilogia (que aparentemente vai virar série) são de nível semelhante, porém muito melhores que o primeiro. Essa trama, como esperado, era repleta de ação, e minha parte predileta foram os fae, porém adorei que a autora tenha mostrado também as interações dos seres sobrenaturais com os humanos.
Os problemas que me incomodaram no primeiro livro ainda estão lá, como o amor instantâneo de Charles e Anna, além de certas peculiaridades dos lobisomens, porém a trama deixa o romance de lado e foca na política e nas investigações de Charles, o que tornou mais fácil ignorar os probleminhas.


Os Protagonistas: Acabei gostando dos flertes bobinhos entre Anna e Charles, eles são fofos como casal, extremamente protetores um com o outro, e acredito que teria absolutamente amado o romance se ele não tivesse começado de maneira tão repentina. As diferenças entre a ligação de Anna e Charles e a ligação de seus "lobos" me deixaram um pouco confusa, já que a autora trata os lobos como se tivessem personalidades independentes, mas acabei me acostumando. Enquanto Charles ainda me parece um pouco superficial, Anna é uma personagem que se desenvolve cada vez mais e agora passei a gostar bastante dela como protagonista.

Os Personagens SecundáriosOs protagonistas realmente recebem todo o destaque e mal conhecemos os outros personagens, porém gostei muito de Beauclaire, um fae muito antigo e poderoso que teve minha fala predileta no livro.

Capa, Diagramação e Escrita: Adoro essa capa, combina com as outras da série e a imagem do lobo é bonita, porém esse lobo não corresponde à cor de Charles ou Anna. A fonte e as margens são pequenas, porém logo acostuma e não me incomodou.
A escrita da autora está um pouco mais envolvente. Gostei de como ela deixou apenas o essencial, fazendo com que o livro fosse curto, porém sem enrolações.

Concluindo: No início a série não me parecia muito boa, mas definitivamente melhorou conforme a trama foi se desenvolvendo e eu conheci melhor os protagonistas. Recomendo para os fãs de criaturas sobrenaturais, especialmente aqueles que não tem paciência para livros enormes. Um pequeno porém é que eu acredito que a autora poderia ter facilmente finalizado a série nesse livro, já que, nos EUA, O Domínio do Lobo foi publicado em 2009 e A Fúria do Lobo em 2012, e o próximo livro está previsto para 2015. Três anos é um tempo bem longo pra esperar por cada continuação.

Classificação: