Resenha - Meu Nome é Memória

Resenha feita pela Maay!
Título: Meu Nome é Memória
Título Original: My Name is Memory
Livro Único.
Autora: Ann Brashares
Editora: Suma de Letras 
Páginas: 280
Ano: 2014
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva // Extra // Submarino 

Um livro com potencial imenso - infelizmente, mal aproveitado. 

Sinopse: Encontrar o amor verdadeiro nunca é fácil. Mas para Daniel, o protagonista de Meu nome é memória, isso parece ser ainda mais difícil. Ele tem um dom que por vezes assemelha-se a uma maldição: lembra-se de todas as suas vidas passadas. E em todas elas, foi apaixonado por Sophia. “Vivi mais de mil anos. Morri incontáveis vezes. Esqueço o número exato. Minha memória é uma coisa extraordinária”, escreve o protagonista. 
Inglaterra, Antioquia, Congo Belga, Constantinopla, Georgia. Todos esses lugares já presenciaram o amor do casal, porém Sophia nunca se recorda das memórias passadas. Vida após vida, através de dinastias e continentes, Daniel tenta fazê-la relembrar esse amor e conquistá-la para sempre, mesmo que ela mude de nome e aparência. 
Mas, em todas às vezes que Daniel e Sophia tiveram uma aproximação, foram separados de maneira dolorosa e fatal. No entanto, quando se reencontram em 2007, Sophia – que agora se chama Lucy – começa a lembrar do passado. Aos poucos, flashes das vidas anteriores vêm à memória, lembranças sensoriais se reavivam e ela percebe que Daniel faz parte de sua vida desde sempre. E agora, se o casal quiser passar suas próximas vidas juntos, terá que compreender e superar o inimigo desse amor.

A Trama: Em Meu Nome é Memória, ao mesmo tempo em que somos apresentados aos personagens no presente, temos relatos do que houve em suas vidas passadas. E sim, a ideia central do livro é maravilhosa e tinha tudo para dar certo. O problema é que em algum momento entre o "ter tudo" e o efetivamente "dar certo", algo deu errado. Tem algo no livro que não encaixou, e me incomodou bastante. 
Acho que um desses pontos incômodos foi o fato de que recebemos informações demais, muitas vezes sem propósito algum, as quais acabam servindo somente para tornar a história truncada e sem ritmo. Tem um fato que acontece lá pela página 50 e passei o restante da leitura esperando algo que se desdobrasse desse fato. Só esperei, foi um capítulo que não serviu para absolutamente nada. 
Outro problema que esse excesso de informações gerou, foi a falta de espaço. Quando a história passa realmente a se desenvolver, já estamos perto do final e fica tudo muito corrido. Tão corrido, que eu juro pra vocês, quando eu acabei de ler tive a certeza de que faltavam páginas no meu exemplar ou de que teria alguma continuação. Mas não, o livro realmente acaba do nada e tem um final que não faz sentido algum - tive que ler várias outras resenhas para me conformar com isso.


Os Protagonistas: Daniel foi um protagonista muito cativante. Consegui por alguns momentos me imaginar em seu lugar, lembrando de todas as vidas passadas e sem ser reconhecido por seus entes queridos, e isso fez com que o personagem ganhasse minha simpatia imediata. 
Lucy me conquistou de uma forma diferente, pela sua coragem em encarar seus medos e aceitar que o universo não era exatamente como ela acreditava ser. 
Os personagens são bem construídos e convincentes, nisso a autora acertou.

Personagens Secundários: Ben, melhor amigo de Daniel, conseguiu retratar a memória de uma forma bastante diferente daquela que conhecemos com o protagonista. Apesar de se lembrar das vidas passadas, ele se entrega a cada uma delas como se fosse a primeira. E esse aspecto do personagem me fez perceber que, apesar dos pesares, a obra traz uma mensagem bem bonita
Joaquim, por sua vez, concentra toda a maldade da história e, por isso, foi o único personagem que não me convenceu. Simplesmente não consigo acreditar que ninguém seja completamente mal e, considerando o plano geral, esse fator se desloca do restante da trama. Parece que ele foi colocado ali, depois da obra pronta, simplesmente porque era necessário um vilão.

Capa, Diagramação e Escrita: Achei essa capa linda e, apesar de não ter relação com nenhuma cena do livro, ouso dizer que ela combinou perfeitamente.
A história, no tempo presente, é narrada em terceira pessoa. Porém, nos capítulos que retratam o passado, até certo momento, o narrador é Daniel. Depois disso, o passado também é narrado em terceira pessoa. E é esse um dos fatores que me leva a dizer: meu maior problema foi com a narrativaEsse livro tinha tudo para entrar nos meus favoritos, e só não entrou por causa disso. 
Eu poderia deixar de lado todos os outros poréns - até mesmo o final sem final - e focar exclusivamente na história, que ele ainda seria favoritado. Mas uma narrativa como essa você não consegue deixar de lado. A impressão que dá é de que o livro foi finalizado às pressas e não passou por uma revisão, e então algumas informações acabaram ficando desconexas e desorganizadas. E o que mais me irritou, é que essas são coisas que a autora poderia consertar facilmente, sabem? Só faltou um pouco mais de cuidado.

Concluindo: Volto a dizer, a história desse livro e a mensagem que ele nos traz são realmente extraordinárias. A questão é que ele tem alguns defeitos que se tornam excessivamente incômodos e não tive como ignorar.
Tenho certeza de que, daqui algum tempo, eu me lembrarei dessa história com muito carinho e talvez até esqueça desses probleminhas que tive. Mas, meu papel aqui é ser sincera com vocês, então não posso deixá-los de lado. 
Se vale a pena? Vale. Não me arrependi por sequer um segundo de ter lido, realmente gostei muito da história. Mas, o livro tem defeitos sim, então estejam preparados. 
Digamos que essa é uma história maravilhosa, contada por alguém com pouca experiência - o que não é o caso, a autora é experiente, mas foi a sensação que tive.


Quotes:
Por que ele seguia em frente quando todo mundo recomeçava do zero? Por que ainda estava ali e ela sempre ia embora? Às vezes parecia que era o único sob a face da terra. Era diferente. Sempre foi. Suas tentativas de viver no mundo normal pareciam estúpidas e falsas.

Precisava se acalmar antes de prosseguir. Precisava encontrar sua coragem. Era um universo alternativo. Agora se encontrava nele e não podia voltar. Era um mundo onde era possível se lembrar de coisas que aconteceram antes de você nascer. Era um mundo onde era possível se comunicar consigo muito tempo depois de sua morte e se apaixonar por um garoto desconhecido seguidas vezes. 
Classificação: