Resenha - Reconstruindo Amelia

Resenha feita pela
Título: Reconstruindo Amelia
Título Original: Reconstructing Amelia
Livro Único.

Autor: Kimberly McCreight
Editora: Arqueiro
Páginas: 351
Ano: 2014
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva // Extra // Submarino // Fnac 

Sinopse: Kate Baron, uma bem-sucedida advogada, está no meio de uma das reuniões mais importantes de sua carreira quando recebe um telefonema. Sua filha, Amelia, foi suspensa por três dias do Grace Hall, o exclusivo colégio particular onde estuda. Como isso foi acontecer? O que sua sensata e inteligente filha de 15 anos poderia ter feito de errado para merecer a punição? Sua incredulidade, no entanto, vai aos poucos se transformando em pavor ao deparar, no caminho para o colégio, com um carro de bombeiros, uma dúzia de policiais e uma ambulância com as luzes desligadas e portas fechadas. Amelia está morta. Aparentemente incapaz de lidar com a suspensão, a garota subiu no telhado e se jogou. O atraso de Kate para chegar a Grace Hall foi tempo suficiente para o suicídio. Pelo menos essa é a versão do colégio e da polícia. Em choque, Kate tenta compreender por que Amelia decidiu pôr fim à própria vida. Por tantos anos, as duas sempre estiveram unidas para enfrentar qualquer problema. Por que aquele ato impulsivo agora? Suas convicções sobre a tragédia e a própria filha estão prestes a mudar quando, pouco tempo depois do funeral, ela recebe uma mensagem de texto no celular: Amelia não pulou. Alternando a história de Kate com registros do blog, e-mails e posts no Facebook da filha, Reconstruindo Amelia é um thriller empolgante que vai surpreender o leitor até a última página.

A Trama: Apesar de não ser uma mãe presente, Kate ama incondicionalmente sua filha. Por isso, é uma surpresa para ela que de uma hora para outra, a alegre Amelia tenha resolvido tirar a própria vida. O que ela não sabia era que assim como ela mantinha segredos da jovem, Amelia também escondia coisas de sua mãe. Não faltaram tentativas da parte de Amelia de se abrir mais, mas Kate sempre colocou o trabalho em primeiro lugar e sobrava pouco tempo para as duas compartilharem os acontecimentos de suas vidas. Kate passa o mês seguido da tragédia se culpando pelo suicídio de Amelia, até que recebe uma mensagem de um remetente misterioso, dizendo que Amelia não pulou do telhado da escola. Decidida a ir atrás da polícia para tirar suas suspeitas a limpo, Kate começa a descobrir os segredos que sua filha escondia, e o que realmente aconteceu na escola Grace Hall.

A Protagonista: Amelia tem 15 anos e é viciada em ler. Ela não se interessa por roupas da moda, por maquiagem, nem por meninos. Nos dias anteriores a sua morte, ela começou a pressionar mais sua mãe com perguntas sobre o pai, deixando Kate confusa. O que Kate não sabia era que Amelia tinha começado a receber mensagens perguntando sobre esse misterioso pai e resolveu buscar por informações.
Adorei Amelia. É impossível, ao entrar na mente da garota, não passar a torcer por ela, para que ela saia das emboscadas que acaba entrando na escola e se livre de personagens maldosos.

Personagens Secundários: Kate foi mãe jovem e não teve nenhum preparo ou planejamento. Seus pais, que já eram distantes, se distanciaram ainda mais com a decisão dela de manter a gravidez e criar um bebê sozinha. O único apoio que ela teve foi de seu ex-namorado Seth, que terminou com ela após descobrir ser gay, mas sempre manteve uma ótima relação com Kate.
Sylvia é a melhor amiga de Amelia, e mesmo ela sendo fiel e verdadeira, eu não gosto do jeito que ela trata a protagonista. Ela vive menosprezando a amiga e basta que Amelia diga algo que não a agrade para que ela comece a jogar na cara o fato dela não ter pai, ter uma mãe ausente e nunca ter namorado. Sempre odeio esse tipo de personagem. Não me saia da cabeça que essa menina é muito perturbada e isso não é coisa de adolescente.
Ben é um personagem misterioso. Só se relaciona com Amelia por mensagens e e-mails, mas acabou se tornando seu melhor amigo depois de Sylvia. Ele mora num estado diferente, mas conseguiu o contato de Amelia pela inscrição que ambos fizeram para um programa de verão em Princeton. Mesmo nunca tendo visto nem foto do rapaz, Amelia confia plenamente nele. Ele diz ser gay, é ótimo em dar conselhos e acaba sendo um melhor amigo que Sylvia, em minha opinião.

Capa, Diagramação e Escrita: Achei a capa instigante e bem montada, com as frases, o título e o nome da autora nos lugares certos. Como o livro alterna entre capítulos narrados por Kate e outros narrados por Amelia, é possível entender tudo o que aconteceu perfeitamente. Apesar de no começo eu ficar voltando ao início dos capítulos para conferir as datas e não me perder, no meio do livro eu já tinha acostumado com esse detalhe. A escrita delicada da autora conseguiu me prender e surpreender.

Concluindo: Não sei se o final me agradou ou não. Na tentativa de fugir do óbvio e surpreender mais uma vez o leitor (como ocorre por todo o livro), a autora não me convenceu como deveria. Mas essa é uma conclusão muito pessoal, e eu já vi que há leitores que aprovaram completamente o desfecho. Reconstruindo Amelia é um thriller com uma grande carga de drama, mas que prepara o leitor para se deparar com ela.
Quotes: 
Toda noite em que conseguia pegar no sono, Kate sonhava que estava caindo – do telhado de Grace Hall, da janela de seu escritório, do alto de uma escada – e despertava sobressaltada pouco antes de bater no chão. E toda manhã, ao acordar, sentia a necessidade de ir até ao terraço, onde abria uma janela e se debruçava para o lado de fora, segurando-se do batente e olhando para baixo. Mas obrigar-se a ver o que Amelia vira nos últimos segundos vida nunca seria punição suficiente. Nada jamais seria punição suficiente.

-E, Amelia… - ele me chamou. – Estou falando sério quanto a ter cuidado. Às vezes é difícil perceber a velocidade da corrente até você se ver no topo de uma cachoeira.
                                 Classificação:
 
Classificação:
Classificação: