Resenha - Eu Sou Proibida

Resenha feita pela Maay!
Título: Eu Sou Proibida
Título Original: I am Forbidden
Livro Único.
Autora: Anouk Markovits
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 264
Ano: 2014
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva // Extra // Fnac // Submarino

Infelizmente, o livro não funcionou para mim.

Sinopse: Na Transilvânia, em 1939, o pequeno Josef Liechtenstein presencia o assassinato de sua família pela Guarda de Ferro Romena e é salvo por uma empregada gentia, que o cria como se fosse seu filho. Passados mais cinco anos, Josef salva Mila quando os pais da menina são mortos, e a ajuda a chegar à casa de Zalman Stern, um líder da comunidade Satmar que a partir de então a cria como irmã de sua filha mais velha, Atara. À medida que as duas amadurecem, a fé de Mila se intensifica, ao passo que sua irmã descobre um mundo de livros e aprendizagem que não consegue ignorar. Com a ascensão do comunismo na Europa Central, a família muda-se para Paris, onde Zalman tenta criar seus filhos, mantendo-os reclusos da cidade. As escolhas acabam levando as irmãs para caminhos opostos. Partindo da zona rural da Europa Central pouco antes da Segunda Guerra, passando por Paris e chegando a Williamsburg, no Brooklyn dos dias de hoje, Eu sou proibida dá vida a quatro gerações de uma família chassídica. Uma trama aliciante e arrebatadora que revela o que acontece quando amor resoluto, fé inquebrantável e séculos de tradição entram em conflito.

A Trama: Já adianto que essa não é uma leitura fácil, e não se enganem pelas poucas páginas. O livro é denso, pesado, cheio de informações e, meu maior problema, palavras em outro idioma.
Meu problema com essas palavras não traduzidas foi o seguinte: a editora optou por colocar um glossário ao final, com a tradução das palavras. Porém, a cada dez palavras ao menos uma é em outro idioma, e nem todas estão nesse glossário. Além de que não há nenhuma indicação de quais estão ou não.
Acho que seria muito simples resolver esse problema e quem sabe até tornar a leitura mais prazerosa: notas de rodapé. Honestamente, não entendi porque a editora resolveu complicar.
Enfim, sobre a trama, acompanhamos as várias gerações de uma família chassídica - judeus ortodoxos, tendo um maior destaque para a história de Mila e Atara
Arrisco dizer, ainda, que a obra foi um pouco auto-biográfica, uma vez que a própria autora abandonou a tradição quando chegou aos Estados Unidos, para onde foi a fim de se casar com um homem que sequer conhecer (mas ela fugiu antes de conhecê-lo, para os curiosos).

Os Personagens: Não conheço muito sobre a tradição chassídica, mas pela descrição e comportamento dos personagens, eles parecem bem reais. Acredito que a autora foi bem fiel aos costumes ao criar sua obra.
E esse é um ponto muito importante da obra toda: o costume. Mais do que contar a história de Mila e Atara, de Josef e Zalman, Eu Sou Proibida conta a história da comunidade chassídica, com seus pontos positivos e negativos. E admito, é uma cultura muito interessante e completamente diferente da nossa, apenas não é o que eu esperava do livro.

Capa, Diagramação e Escrita: A capa passa uma impressão um pouco errada sobre o livro, apesar de bonita. Você olha essa capa e espera qualquer outra coisa, menos uma história sobre religião, sobre um povo que tem costume totalmente diferente dos nossos.
E é isso o que a escrita da autora nos traz. De forma dura, pesada e em alguns momentos até mesmo melancólica, Anouk Markovits é bem objetiva ao nos mostrar aquilo que deseja. Ela não perde tempo, vamos dizer assim, e foca exatamente naquilo que pretende mostrar. 

Concluindo: O livro não é para qualquer um. Não é uma simples história de ficção, é mais um "estudo antropológico". Indicaria sem dúvida alguma para aquelas pessoas que querem conhecer um pouco mais sobre essa cultura. Para quem busca distração através dos livros, não vai funcionar - assim como não funcionou para mim.
Agora, sou obrigada a reconhecer: o livro é ótimo para quem quer adquirir conhecimento. Eu não gostei, não me agradou, não era o que eu procurava. Mas essa é simplesmente a minha opinião pessoal. Não posso negar todo o valor dessa obra embasada na minha opinião.



Classificação: