Resenha - O Iluminado

Resenha feita pela Tay!
Título: O Iluminado
Título Original: The Shining
Série: O Iluminado
1- O Iluminado
2- Doctor Sleep (2013 US)
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Páginas: 463
Ano: 2012
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva (ebook) // Submarino // Extra

Eu realmente queria ter gostado. Juro!

SinopseDanny Torrance não é um menino comum. É capaz de ouvir pensamentos e transportar-se no tempo. Danny é iluminado. Será uma maldição ou uma bênção? A resposta pode estar guardada na imponência assustadora do hotel Overlook.
Em O iluminado, quando Jack Torrance consegue o emprego de zelador no velho hotel, todos os problemas da família parecem estar solucionados. Não mais o desemprego e as noites de bebedeiras. Não mais o sofrimento da esposa, Wendy. Tranquilidade e ar puro para o pequeno Danny livrar-se das convulsões que assustam a família.
Só que o Overlook não é um hotel comum. O tempo esqueceu-se de enterrar velhos ódios e de cicatrizar antigas feridas, e espíritos malignos ainda residem nos corredores. O hotel é uma chaga aberta de ressentimento e desejo de vingança. É uma sentença de morte. E somente os poderes de Danny podem fazer frente à disseminação do mal.


A Trama: Quando Jack Torrance recebe uma proposta de emprego do seu amigo Al Shockley, ele não hesita em aceitar, já que está precisando de um desde que foi demitido do colégio em que dava aulas. O Overlook era um imponente hotel com muita história pra contar. Jack e sua família teriam que tomar conta dele durante todo o inverno, quando o hotel não recebe mais hóspedes e os funcionários vão atrás de um lugar mais quente. Durante as nevascas, o acesso ao hotel seria praticamente impossível, mantendo-os isolados por muito tempo. Mas como todo hotel tem seus fantasmas, logo eles começam a atormentar a vida dos Torrance, principalmente de Jack (que era um alcoólatra e parou de beber a pouco tempo) e Danny, o garotinho iluminado. A história vai nos sendo contada de maneira lenta, em quase 100 páginas eles nem haviam chegado ao hotel ainda, e essa enrolação do início foi me fazendo ficar cansada do livro aos poucos. E quando eles finalmente chegam ao Overlook, é mais um bocado de enrolação, algumas partes que deveriam ser de acelerar o coração (o que não aconteceu), depois mais enrolação, até que nas últimas 100 páginas o livro parece que realmente ficará bom. Pelo menos realmente fica, mas até lá ele já tinha me desiludido. Acredito que esse possa ser o livro mais assustador da vida de muita gente, mas eu, particularmente, não me assustei em momento nenhum. No máximo senti um pouquinho de tensão nessas últimas 100 páginas que eu falei. 

Os Protagonistas: Jack foi demitido da escola após bater em um aluno. Após um quase acidente de carro, ele resolveu cortar o álcool de sua vida. Desde o início, vemos que ele era mais propenso à insanidade, por isso o "hotel" se aproveita dessa sua vontade louca de beber, que aparecia vez ou outra. 
Danny era iluminado, um garotinho especial. Ele conseguia ver o que as pessoas estavam pensando, tinha vislumbres de possíveis previsões do futuro e podia se comunicar mentalmente com outros iluminados. Ele foi o primeiro a pensar que ir para o Overlook era má ideia, já que Tony, um amigo que ficava em sua cabeça, jogava imagens grotescas em sua mente para mantê-lo afastado do hotel. Tinha cinco anos e mal sabia ler, mas uma palavra mostrada por Tony o deixou bem receoso: redrum. Apesar da pouca idade, sabia mais do que um menino comum, por causa de sua iluminação. 

Personagens Secundários: Wendy faria de tudo para proteger o filho, mesmo que isso significasse ficar o mais longe possível de Jack (devido a acidentes do passado). Eu gostei dela por ter conseguido se manter forte, mesmo quando a coisa tinha ficado preta. Hallorann era o cozinheiro do hotel e iluminado, como Danny. Ficou impressionado com o poder de iluminação do garoto e disse que ele poderia chamá-lo sempre que fosse preciso. Apesar de não passarmos muito tempo com ele, simpatizei muito com o personagem. E, claro, não posso me esquecer de que o Overlook em si é um personagem importante, mas não posso dizer muito sobre ele sem dar spoilers, mas digo que esse é um hotel que eu não faço a mínima questão de colocar meus pezinhos. 
Num geral, todos os personagens são bem construídos e trabalhados. O Stephen sabe criar personagens críveis e que têm histórias, então é fácil acreditar neles. Ponto positivo!

Capa, Diagramação e Escrita: Eu adoro essa capa, e ela fica melhor ainda quando você descobre o significado com a trama (e o que há atrás dessa porta é algo que pode dar medo àqueles mais fracos quanto a histórias de terror). A diagramação está ótima, com tamanho da fonte bom para a leitura. Só encontrei alguns erros de revisão durante o livro, mas nada que atrapalhe a leitura. Stephen King abusou das descrições nesse livro, e acho que essa foi uma das coisas que mais me incomodou. Quando ele falava sobre determinado assunto, ao invés de seguir a história adiante, ele gastava algumas páginas contando aquele historinha, e isso me cansou muito. Alguns desses devaneios são importantes para a trama, mas outros são completamente irrelevantes, acho que poderiam ter sido cortados na edição final para tornar o livro mais dinâmico. Não sei se é porque já estou acostumada a histórias de terror ou o quê, mas eu não me assustei com esse livro, e como isso deveria ser o objetivo da história, mais um ponto que não me agradou. A narrativa do Stephen continua ótima, mas devido ao texto que não funcionou muito bem para mim, foi um pouco mais arrastada.

Concluindo: Não é um livro ruim, mas contradizendo o que muitas pessoas dizem, não foi o melhor do Stephen que eu li (judge me u.u). Acho que se não tivesse o elemento sobrenatural e apenas aquela coisa de loucura humana, psicopatia e etc., o livro teria funcionado melhor para mim (e, claro, tirado aquelas partes desnecessárias que eu falei). Tem um momento que o Jack está lendo alguns artigos de jornais, que são transcritos para o leitor, e aquelas informações são simplesmente desnecessárias. Confesso que pulei a maioria desses artigos. Num todo, o livro foi uma montanha-russa, com seus altos e baixos. Ele não me impressionou, não me marcou e não me deixou com medo. Acreditem, é bem difícil pra mim dar uma nota baixa para um livro dele, mas como eu me comprometi a dar minha sincera opinião sempre, tive que fazer isso. I'm so sorry, Steph :"(

Sobre o filme: Já tem bastante tempo que eu vi o filme, mas eu não gostei dele, também achei o terror fraco. A atuação do Jack Nicholson é um dos pontos fortes do longa, porque ele foi incrível no papel. Agora a de Shelley Duvall (Wendy), não me agradou (como a maioria das pessoas). E, pelo o que eu me lembro, várias coisas foram mudadas na adaptação. Mas algum dia pretendo assistir novamente o filme, assim como reler o livro, para ver se continuo com a mesma opinião.

Quotes
(...) Todo hotel tem seus fantasmas? O Overlook tinha uma assembleia inteira deles. (...)


Naquele instante, ajoelhado ali, tudo ficou claro para ele. O Overlook não estava afetando apenas Danny. Estava afetando-o também. Não era Danny o elo fraco, era ele. Ele era o vulnerável, aquele que podia ser dobrado e torcido até que alguma coisa se partisse. 


Este lugar desumano, cria monstros humanos.

Classificação: