Resenha - Fetiche

Resenha feita pela Maay!
Título: Fetiche
Título Original: Fetish
Série: Makedde Vanderwall
1- Fetiche (1999)
2- Obsessão (2003)
3- Cobiça (2004)
4- Instinto (2006)
5- Siren (2009)
6- Assassin (2012)
Autora: Tara Moss
Editora: Fundamento
Páginas: 312
Ano: 2008
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva // Submarino

Não é um livro extraordinário, mas vale pela distração. 

Sinopse: Nesta história deliciosamente perversa, o limite entre beleza e crime não passa de um tênue detalhe. Em uma frenética caçada a um sádico psicopata, uma jovem modelo formada em Psicologia Forense tenta capturar o assassino de sua melhor amiga. Mas sua ousadia vai longe demais e, sem perceber, ela pode estar correndo diretamente para as garras do serial killer. A única pessoa em que ela confia, e por quem se apaixona, o sedutor detetive Andy Flynn, parece esconder segredos perigosos. Como saber em quem acreditar quando as aparências determinam quem vive e quem pode estar condenado a uma cruel sentença de morte? Descubra Fetiche: uma história de obsessão, beleza e crimes que irá seduzi-lo.

A Trama: Primeiro, uma correção da sinopse, Makedde é estudante de Psicologia Forense, não formada. Agora, a trama.
O livro se resume basicamente à investigação que busca identificar o "Assassino do Salto Alto". Como todo livro policial, temos alguém em perigo, um assassino anônimo, a polícia envolvida e o elemento surpresa. Em outras palavras, aquela fórmula de sempre, mas que dá certo.
O inusitado, aqui, é termos uma modelo como protagonista. A autora ousou, e na minha opinião, deu certo. Mak como protagonista foi um tiro certeiro.
Agora, óbvio que algumas coisas me incomodaram, em especial o romance entre Mak e Andy. Não sei porque, mas não me convenceu, sabe? Pareceu uma coisa meio forçada. Afora isso, gostei bastante da história, para mim, como romance policial, cumpre satisfatoriamente seu papel.  

A Protagonista: Mak é uma modelo que resolve bancar a detetive quando sua melhor amiga é assassinada. A protagonista forte e bastante carismática, mas não sei... Não consegui me envolver com nenhum dos personagens.

Os Personagens Secundários: Andy é um personagem que definitivamente não me convenceu. A imagem de policial certinho e cavalheiresco não combinou em nada com a personalidade agressiva. 
Honestamente, acho que esse foi o maior erro de Tara, os personagens. Eles poderiam ter sido melhor construídos, mais consistentes, talvez. Mas repito, o papel de livro policial foi bem cumprido.

Capa, Diagramação e EscritaNão gostei nem um pouco da capa e nem da diagramação. Ambas remetem a um livro erótico, o que, definitivamente, ele não é. 
Sobre a escrita, é bem envolvente e me prendeu bastante. Acredito que o desenrolar ágil das coisas contribuiu muito para que eu não conseguisse largá-lo. E a narrativa em terceira pessoa, por sua vez, provavelmente foi a maior responsável pelo meu distanciamento com os personagens.

Concluindo: Este livro está longe de ser perfeito, diria que é uma obra mediana. Não me marcou, não ganhou meu carinho, nem nada do tipo. Mas, preciso admitir que não conseguia largar o livro e fiquei desesperada para saber o final, e isso já é um ponto fortíssimo a favor. 
Sendo o primeiro da autora, compreende-se o livro não ser perfeito, mas deu pra ver bastante potencial ali. Se ela melhorar os personagens, acredito que a qualidade da obra já suba para boa, na minha opinião. Por isso é que pretendo ler pelo menos o segundo livro antes de definir minha opinião sobre a série.


Classificação: