Resenha - A Menina que Não Sabia Ler 2

Resenha feita pela Tay!
Título: A Menina Que Não Sabia Ler - Volume 2
Título Original: The Girl Who Couldn't Read

Série: A Menina que Não Sabia Ler
1- A Menina que Não Sabia Ler (2010)
2- A Menina que Não Sabia Ler - Volume 2
Autor: John Harding
Editora: LeYa
Páginas: 288
Ano: 2014
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva // Submarino // Fnac

Não recomendo que leiam a sinopse, porque contém alguns spoilers para quem não leu o livro anterior.

Essa resenha não contém spoilers de A Menina que Não Sabia Ler.
SinopseUm acidente de trem. Uma identidade trocada. Os detalhes poderão mudar o rumo dessa história... Depois de viver presa num mundo obscuro, assustador e sem palavras em 'A menina que não sabia ler', a pequena Florence viverá uma nova e misteriosa aventura onde nada é realmente o que aparenta ser e todos podem se tornar inimigos em potencial. Mas onde ela encontrará uma saída? Um aliado? O misterioso médico John Shepherd busca um recomeço para sua vida em um lugar nada promissor - uma ilha que funciona como uma clínica psiquiátrica exclusivamente para mulheres. Nesse antro de segredos e sofrimento, Shepherd tentará esquecer seus pecados devolvendo a humanidade às pacientes. A primeira em quem vai experimentar sua doutrina de cuidados, o 'tratamento moral', é uma atraente jovem pálida de cabelos escuros que não se lembra do próprio nome, fala de modo estranho e não consegue saber quando e como chegou àquele lugar. Por que afinal ela desperta tanto a curiosidade do médico? Entre pacientes mais inteligentes que as próprias enfermeiras responsáveis por elas, segredos por todos os lados e figuras assombrosas (e assombradas) percorrendo misteriosamente os corredores da clínica durante a noite, as vidas de Florence e John Shepherd estarão mais ligadas do que podemos imaginar... Arrisque-se e tente achar uma saída no labirinto claustrofóbico criado em 'A menina que não sabia ler volume 2'.

A TramaDesnecessário. É isso o que concluí com o final desse livro. Pelo menos agora o título combinou com a história, já que no livro anterior não tinha nada a ver (e o original era Florence & Giles). Com a trama desse livro, o autor poderia ter feito uma outra história sem problemas, sem precisar relacioná-la com seu livro anterior, mas como continuação, sinceramente, não achei necessidade de um livro novo. Mas vamos à trama. Acompanhamos John Shepherd, que acaba de chegar em um hospital psiquiátrico para mulheres, que fica em uma ilha, para ser o médico ajudante de Morgan, o dono do local. De cara já descobrimos que houve um acidente com o trem em que Shepherd estava e que, na verdade, essa não é sua verdadeira identidade, e sim a de um homem que morreu no acidente. Ele apenas aproveitou essa oportunidade para começar uma outra vida. Conforme o tempo passa, os mistérios ao redor de Shepherd e do hospital só aumentam, e ele conhece uma moça que aparentemente não precisava estar ali. 
Olha, eu até gostei da história e consegui me entreter em algumas partes. Sem contar que o final conseguiu me surpreender e me deixou com um sorriso no rosto, apesar de vários pontos do "mistério" que deveriam rondar a trama sejam completamente previsíveis. Mas isso não torna menos precisa a minha conclusão de que esse livro é desnecessário.

O Protagonista: A princípio não sabemos muita coisa sobre o, até então, John Shepherd. É ele quem nos narra a história, mesmo assim conseguimos extrair pouca coisa do seu verdadeiro eu, além daquilo que ele quer que nós saibamos. Descobrimos que ele é um ator e que teve uma infância problemática, e que isso acarretou tudo o que ele fez no futuro. O personagem poderia ter sido interessante, se não fosse tão contraditório. 

Personagens SecundáriosJane Pomba, como é conhecida, pois não se lembra de seu nome, está ali apenas porque perdeu a memória e fala palavras que não existem, embora isso não seja exatamente um sinal de loucura. Devido ao método de Tratamento Moral, Shepherd consegue com que ela seja sua cobaia, para que ele tente curá-la tratando-a com afeto e respeito, ao invés do modo rude como tudo acontece no hospital. Mais esperta do que aparenta ser, ela com certeza é minha personagem favorita. Morgan, o dono da clínica, é um homem que acredita fielmente nos seus ideais e tenta descartar qualquer ideia que vá contra sua experiência. Não cheguei a gostar ou desgostar do personagem, mas ele foi bem criado. 

Capa, Diagramação e EscritaEu gosto bastante da capa do livro anterior, apesar de não condizer exatamente com a história. A capa desse também não combina com a trama, e nem a imagem me agrada muito, principalmente aquele livro caindo ali, porque está muito falso (com o livro em mãos dá pra ver melhor). A diagramação do livro está bem simples, mas boa para ler. A escrita do autor não é ruim, mas acho que ele não conseguiu criar muito bem os momentos de tensão e suspense nesse livro (no anterior, eu conseguia sentir a tensão fluindo das páginas, o que não aconteceu nesse). 

Concluindo: Se você quiser ler e não tiver lido o anterior, não tem problema, nada irá atrapalhar sua leitura. Mas se você não tiver lido o anterior, mas quiser, não recomendo que comece por esse, pois tem alguns spoilers da trama. A história do livro é boa, mas, honestamente, foi uma continuação desnecessária (acho que já disse isso umas 10 vezes, haha). Foi cansativo em algumas partes e interessante em outras. As últimas páginas foram muito boas e o final dá uma noção do que acontece depois. Recomendo não recomendando, porque apesar de ter até gostado, é um livro que não precisava existir.

Quotes:
(...) era sempre mais difícil depender de outra pessoa, nunca se sabe quando ela poderá nos decepcionar.


- (...) Quem tem imaginação, senhor, nunca será prisioneiro.

Classificação: