Resenha - O Condado de Citrus

Resenha feita pela
Título: O Condado de Citrus
Título Original: Citrus County
Livro Único.
Autor: John Brandon
Editora: Galera Record
Páginas: 288
Ano: 2014
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva // Submarino // Extra // Fnac

Sinopse: A Flórida do condado de Citrus não se parece em nada com aquelas imagens de televisão, com um clima convidativo, coqueiros e surfistas. Shelby Register, de quatorze anos, se muda para a cidade com cheiro de pântano com seu pai e irmã após a morte da mãe. Talvez a única coisa que a interesse seja o tal Toby McNurse, um delinquente sem cura que cumpre suas dezenas de detenções acumuladas. Já Toby não vê sentido na vida, nas paixões dos adultos, nas diversões dos amigos. Só sabe, em seu âmago, que está em seu destino fazer o mal. E ao observar as angelicais irmãs Register, sabe que o chamado de sua alma está prestes a ser atendido.

A Trama: Pensa em um livro sem pé nem cabeça. Quando eu li a sinopse e o trecho do livro que foi disponibilizado, me interessei porque imaginava uma leitura bem diferente, narrada de outra forma. Os personagens não são como aparentam ser, na verdade eles prometem bem mais do que chegam a cumprir.
Toby é um adolescente problemático, que cria um interesse e uma inimizade por Shelby ao mesmo tempo, e mesmo com a garota demonstrando que se interessa por ele, ele deixa o sentimento ruim que vive dentro dele falar mais alto, sequestra a irmãzinha dela, Kaley, e a mantém em cativeiro em um bunker perto de sua casa, numa tentativa de se sentir melhor. Enquanto Shelby e seu pai tem que lidar com o desaparecimento da menina, as investigações e as condolências, ela e Toby começam a viver um romance, embora o garoto não queira se abrir para ela de jeito nenhum. O livro gira em torno desse relacionamento e os segredos da vida esquisita de Toby, além da vida também esquisita de um professor deles, o sr Hibma. Não espere que ao final do livro todos mistérios sobre as personalidades dos protagonistas sejam revelados, pois eles não serão. E não, o livro não tem continuação.

Os Protagonistas: Toby vive com seu tio Neal  e nunca conheceu seus pais. Ele não gosta de ninguém e diz sentir necessidade de fazer coisas ruins. Shelby vive com seu pai e sua irmã mais nova. Juntos eles se mudaram recentemente para a Flórida, para tentarem uma vida nova depois da morte da mãe de Shelby. Shelby muda bastante de comportamento após o desaparecimento da irmã, pois ela não que que todos sintam pena dela, e porque ela quer ser mais como Toby, para se aproximar dele com mais facilidade. O sr Hibma é o professor de geografia deles, que gosta de viver isolado e se fazer de vítima. Ele não gosta de ser professor, e fica mais estressado ainda quando o intimam para liderar o time de basquete da escola, mas aceita o desafio. Não é apresentado muito da vida dele, mas ele adora reclamar dela.
O autor não se aprofundou mais em nenhum dos outros personagens.

Capa, Diagramação e Escrita: Acho essa capa muito fofa, gosto de todos tons de verde usados nela, e todos os detalhes. O livro não é separado por capítulos, mas por três partes, e parágrafos dentro dessas partes. A escrita do autor não é confusa, é a trama que ele criou mesmo. Ele foi por um caminho filosófico, poético, mas se esqueceu de trabalhar mais na trama e eu não consegui pegar o ponto disso.

Concluindo: Senti muita falta de uma explicação do motivo dos personagens serem do jeito que são e agirem da forma que agem, mas o autor nos deixa sem nenhuma justificativa. Achei um livro bem raso e sem sentido, desnecessário mesmo, mas pode ser que ele agrade a quem tenha outro gosto.


Quotes:
Ela trazia uma tristeza dentro de si e a guardava para si mesma. Escondia e acreditava nela. Shelby era como Toby - simpática com as pessoas com quem acreditava que devia ser simpática, sem ser solícita. Era bonita sem ser parecida com as outras garotas bonitas. Não tinha vergonha de ser inteligente.
                                  Classificação:
 
Classificação:
Classificação: