Resenha - O Reino das Vozes que Não Se Calam

Resenha feita pela Tay!
Título: O Reino das Vozes que Não Se Calam 

Livro Único.
Autor: Carolina Munhóz e Sophia Abrahão
Editora: Fantástica Rocco
Páginas: 288
Ano: 2014
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva // Submarino // Fnac


Sinopse
Se você encontrasse um lugar onde todos o aceitassem... Seria capaz de abandoná-lo? Sophie se esconde de todos e de si mesma: insegura, não consegue enxergar sua beleza e talento, e sente dificuldade em se relacionar com os outros. Seu dia a dia se perde entre os caminhos tortuosos dos que convivem com a depressão e o bullying, e a jovem aos poucos vai se fechando na escuridão de seus pensamentos. Desamparada e sem coragem de lidar com seus problemas, ela acaba descobrindo um lugar mágico: um Reino onde as vozes não se calam e as criaturas encantadas se tornam reais. Um local colorido onde ela finalmente poderá se encontrar. Dividida entre a realidade e a fantasia, Sophie contará com a ajuda preciosa de um rapaz comum e uma guardiã encantada, que lhe mostrarão os segredos da alma e a farão decidir se vale a pena enfrentar seus medos ou viver em um eterno conto de fadas.

A Trama: Sophie passa por poucas e boas no colégio. É aturada pelos amigos da melhor amiga porque eles são obrigados e, além disso, não consegue se encaixar em lugar nenhum, sofrendo bullying constantemente, principalmente por sua incrível magreza. Após sua melhor amiga, Anna, a fazer passar por um vexame em uma festa, Sophie volta para casa arrasada e, quando pega no sono, descobre que viajou para outra dimensão. No Reino das vozes que não se calam (ou apenas Reino), as flores vivem cantando e fadas protegem a magia do lugar. Lá ela descobre coisas sobre si mesma e passa a pensar que aquele é o único lugar em que pode ser feliz. Enquanto isso, sua vida na Terra vai apenas decaindo, com ela começando a entrar em depressão pelos constantes abusos dos colegas de escola. Confiante, ela decide ir de uma vez por todas para o Reino, mas para isso terá de passar por três testes designados por uma velha bruxa: o teste dos Amantes, o teste do Louco e o teste da Morte. A história é bem fofa e mágica, como um conto de fadas moderno. Algumas coisinhas na trama não me agradaram, mas conforme você for lendo, é impossível não torcer para que a protagonista mude seu estilo de vida e passe a amar mais as pessoas ao seu redor. 

A Protagonista: Sophie conseguia me tirar do sério às vezes. Tudo bem que ela sofria bulliyng na escola, se sentia mal o tempo todo por causa disso e tentava se esconder ao máximo, mas achei meio forçado da parte dela quando ela conhece pessoas legais e mesmo assim continua tentando se deixar pra baixo. Isso me incomodou de mais na personalidade dela, não reconhecer quando as coisas estavam começando a ficar boas e legais em sua vida, com pessoas que realmente se preocupavam com ela. E sua obsessão instantânea pelo Reino também não me agradou. Certo que aquele era um lugar para onde ela poria fugir de sua realidade, mas para mim ela aceitou as coisas fácil de mais. Claro que ela não apenas me irritou, eu consegui gostar da personagem, principalmente nos momentos que ela se deixava envolver pelas pessoas ao seu redor e se deixava ser feliz com elas. Apesar do Reino ser um lugar colorido, mágico, maravilhoso e etc., eu sempre torci para que ela achasse alguma forma de conseguir conviver com as "pessoas de verdade" ao seu redor.

Personagens Secundários: Léo é um fofo capaz de fazer qualquer um colocar um sorriso no rosto, e quando ele tem isso como missão, aí sim que dá certo. Ele toca em uma banda e não se importa nem um pouco sobre o que as pessoas falam por aí sobre Sophie. Gostei de como ele foi um porto seguro para ela, mesmo ela tentando evitá-lo para conseguir ir facilmente para o Reino. Mônica também é um amor, mas eu queria que ela tivesse um desenvolvimento melhor na trama. Anna era a melhor amiga de Sophie, mas perdeu a amizade dela quando a fez passar vergonha na frente de praticamente toda a escola numa festa. Não gostei dela, porque era claramente artificial, mas conseguiu demonstrar um pouco de personalidade no final. Os pais de Sophie me irritaram um pouco, mas era claro que eles queriam apenas o bem para sua única filha. E, claro, os seres do Reino, que também não foram muito desenvolvidos, mas são todos bondosos e felizes.

Capa, Diagramação e Escrita: Essa capa é muito linda! Porém eu adoro todas as capas da Marina Ávila (capista), que faz um trabalho incrível. Só acho que poderia ter mantido aquela parte branca do título na cor creme. Gosto de como a capa já passa a sensação de que o livro é mágico. A diagramação também está muito bonita e fofa, com bom tamanho de fonte. Como nunca li outra coisa da Carolina Munhóz, não sei dizer o que ali é dela e o que é da Sophia, mas eu gostei da escrita, é bem atual e consegue prender a atenção do leitor com sua maneira fluida. Algumas coisinhas na narrativa me incomodaram um pouco, mas isso varia de leitor para leitor.

ConcluindoNão virou favorito nem nada, mas se alguém que ler esse livro estiver passando pelas mesmas coisas que a protagonista, com certeza irá se identificar e ganhar uma lição de vida. Para mim, a magia do livro mesmo está no desenvolvimento da protagonista, em como ela passou a se ver no final da história. Tem um romance fofo e personagens bem legais, sem contar que eu adorei a trilha sonora e as bandas citadas (AC/DC, Nirvana, Beatles, Pink Floyd... <3). Aliás, no final do livro tem uma playlist com todas as músicas. Recomendo para quem gosta de uma fantasia mais fofinha e de livros com histórias mais reais, porque esse aqui possui os dois.

Quotes:
(...) Se em suas fantasias era mais querida do que no mundo real, ansiava por uma nova madrugada e um novo sono.


Léo não se arrependia de ter chamado a garota triste para vê-lo tocar. Desde a primeira vez que a vira, sabia que ela era como um passarinho com asas quebradas.
Não queria consertá-las.
Mas gostaria de tentar encorajá-la a se curar e voar.


- A pessoa que mais a condena é você mesma, alteza.

Classificação: