Resenha - Um Herói Para Ela

Resenha feita pela
Título: Um Herói Para Ela
Livro Único.
Autora: Lu Piras
Editora: Novo Conceito
Páginas: 336
Ano: 2014
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva // Submarino // Fnac // Extra

Sinopse: Bianca sempre quis ser roteirista de cinema. Para realizar seu sonho, ela sai do Brasil para estudar na famosa New York Film Academy. Em meio às emoções da nova vida na Big Apple, um rapaz misterioso acaba salvando a vida de Bianca em duas situações diferentes. Tudo o que ela sabe é que o seu herói tem no braço uma misteriosa tatuagem. Sem pistas sobre o seu protetor, ela é convidada para um show da banda The Masquerades, cujos componentes escondem os rostos atrás de máscaras. Uma rosa branca cai sobre o seu colo, arremessada pelo vocalista. Decidida a desvendar a identidade do mascarado, Bianca invade o camarim da banda. A surpresa que a aguarda por trás daquela porta poderá mudar o seu destino. Uma história cheia de humor e romance, que fala da importância de acreditar em nossos sonhos e persegui-los.

A Trama: O sonho de Bianca sempre foi ser roteirista. Ela ama escrever, mas desistiu desse sonho por ele ser quase impraticável no Brasil. Ela trabalha em um escritório de leilões ocupando um cargo desvalorizado, mas espera um dia ser advogada, como seu pai. Cansada de ver a filha se afastar de suas ambições, Helena, mãe de Bianca, a inscreve em um curso na New York Film Academy e em Nova Iorque Bianca tem a chance de fazer o que gosta no ramo profissional e sonhar com novas possibilidades de encontrar seu príncipe encantado. Já em NY, Bianca conhece suas colegas de quarto, a também brasileira Mônica e a russa esquisita Natalya. Conhece também Paul, um bonitão filho de um importante roteirista de Los Angeles, e o misterioso italiano Salvatore, que está sempre por todo lugar, se aproximando e depois se afastando de Bianca. Dividida entre seus estudos na NYFA e seu interesse em desvendar Salvatore, Bianca pode voltar ao Brasil com um diferente impulso em sua vida profissional e sendo protagonista de sua própria história de amor. Isso se seu príncipe não for na verdade um sapo.
Um Herói Para Ela é um romance que não deixa de ser clichê, mas onde a autora explorou muitas possibilidades. Tantas, que em alguns momentos a achei exagerada nos fatos e descrições, e até mesmo surreal. Se ela tivesse deixado o livro com mais jeito de chick-lit e menos aventureiro a trama poderia ter sido melhor aproveitada.

A Protagonista: Bianca é bastante conformada com sua vida mais ou menos, do tipo conformada até demais. Ela não me conquistou, mas também não desgostei totalmente dela. A personagem tem um amadurecimento considerável durante a história, mas ainda a achei meio inconsistente.

Personagens Secundários: O Paul é um filhinho de papai daqueles bem chatos e isso fica claro ao conhecer o personagem. Bianca fica balançada pela beleza dele e pela sua obsessão por ela, mas logo percebe que não corresponde aos seus sentimentos e não o ilude. Consegui perceber qual era a do Salvatore logo de cara, e acredito que isso seja fácil pra todos os leitores. Apesar de ele fazer o papel do sedutor, o personagem não me convenceu muito, mas ainda gostei mais dele que da Bianca. A Mônica é uma fofa e simpática com a Bianca desde o momento em que elas se conhecem; já Natalya age com inveja e ignorância, mas aos poucos vai baixando a guarda com a protagonista.

Capa, Diagramação e Escrita: Gostei da capa por entregar logo o gênero e pelos tons usados. A diagramação ficou linda com ilustrações nos começos dos capítulos. Achei engraçado e contraditório a Bianca chegar a condenar alguns estereótipos de personagens femininas que a Lu Piras acaba usando nela, como se estivesse falando mal sem saber que está incluída no grupo. A escrita da autora não me conquistou, mas acredito que daria outra chance para ela se a trama me interessasse.

Concluindo: Recomendo a quem gosta de um romance para passar o tempo. Leia sem esperar demais da história.

Quotes:
Quando bateu a porta, foi como se algo dentro dela desmoronasse. A nuvem mais linda do céu se dissipou, o castelo de areia foi consumido pela onda do mar, a borracha manchou a poesia, o beijo se perdeu num sopro de vento, o herói perdeu a mocinha. Não havia o que pensar, o que dizer, o que escrever sobre um encanto que havia se quebrado.
Seu coração emudeceu. Doía. Doía pelo silêncio que não foi e jamais seria.

Se soubesse empinar pipas, Bianca talvez entendesse que é graças ao vento contrário que elas se mantêm no alto. Como roteirista, ela não precisava saber empinar pipas, mas ainda precisava entender que os eventos contrários à sua vontade eram também necessários para que as ações de sua protagonista impulsionassem o final da história.
                                  Classificação:
 
Classificação:
Classificação: