Resenha - Ligeiramente Casados

Resenha feita pela
Título: Ligeiramente Casados
Título Original: Slightly Married
Série: Os Bedwyn
1- Ligeiramente Casados (2014)
2- Ligeiramente Maliciosos (2015)
3- Slightly Scandalous (2003 US)
4- Slightly Tempted (2003 US)
5- Slightly Sinful (2004 US)
6- Slightly Dangerous (2004 US)
Autora: Mary Balogh
Editora: Arqueiro
Páginas: 288
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva // Submarino // Fnac

Sinopse: À beira da morte, o capitão Percival Morris fez um último pedido a seu oficial superior: que ele levasse a notícia de seu falecimento a sua irmã e que a protegesse -"Custe o que custar!". Quando o honrado coronel lorde Aidan Bedwyn chega ao Solar Ringwood para cumprir sua promessa, encontra uma propriedade próspera, administrada por Eve, uma jovem generosa e independente que não quer a proteção de homem nenhum. Porém Aidan descobre que, por causa da morte prematura do irmão, Eve perderá sua fortuna e será despejada, junto com todas as pessoas que dependem dela... a menos que cumpra uma condição deixada no testamento do pai: casar-se antes do primeiro aniversário da morte dele - o que acontecerá em quatro dias. Fiel à sua promessa, o lorde propõe um casamento de conveniência para que a jovem mantenha sua herança. Após a cerimônia, ela poderá voltar para sua vida no campo e ele, para sua carreira militar. Só que o duque de Bewcastle, irmão mais velho do coronel, descobre que Aidan se casou e exige que a nova Bedwyn seja devidamente apresentada à rainha. Então os poucos dias em que ficariam juntos se transformam em semanas, até que eles começam a imaginar como seria não estarem apenas ligeiramente casados... Neste primeiro livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos apresenta à família que conhece o luxo e o poder tão bem quanto a paixão e a ousadia. São três irmãos e três irmãs que, em busca do amor, beiram o escândalo e seduzem a cada página.

A Trama: Uma coisa que me agradou muito em Ligeiramente Casados, foi o fato do casal não ter se apaixonado instantaneamente. Incomodou a muitos leitores a aparente frieza que eles têm um pelo outro no começo do livro, mas eu gostei e achei mais real e palpável seus sentimentos irem crescendo conforme eles se conheciam, com seus pensamentos sendo desvendados. O que acontece com o casal no final é óbvio, mas a autora fugiu do clichê de colocar um dos dois para tentar chamar atenção e seduzir o outro, e eu aproveitei bem mais a leitura dessa forma.

O Protagonista: O coronel Aidan é um homem sério, imponente e que sempre honra sua palavra, mesmo que para isso ele tenha que passar por cima do próprio bem estar. E é isso o que ele faz ao se casar com uma desconhecida, apenas para cumprir uma promessa feita a um colega de trabalho. Aidan não sorri, não gosta de se abrir com facilidade, mas logo se sabe que ele não faz isso por mal, esse é o jeito dele, o jeito que a vida o forçou a ser. Mesmo com a pose de durão, Aidan é um homem sedutor. Seu jeito cavalheiro e estatura alta e forte acabaram seduzindo a Eve e a mim.

Personagens Secundários: Essa série é sobre os relacionamentos dos irmãos Bedwyn, mas a mocinha desse livro teve um papel tão importante ou até maior que o do coronel Aidan. Eve é extremamente bondosa. Entre seus funcionários ela têm uma ex-presidiária, uma mãe solteira que foi amante do ex-patrão, entre outros rejeitados pela sociedade, além de criar dois órfãos de 7 e 5 anos que tem parentesco somente com seu primo Cecil, que não os quis, como se fossem seus próprios filhos. Ela acreditava que poderia se casar por amor e por isso quase perdeu o prazo de um ano após a morte de seu pai para continuar dona das terras de Ringwood, mas seu amado John não retornou de sua viagem a Rússia para propô-la como ela queria, e pensando no que seria de todos os que dependiam dela se fossem jogados na rua, Eve aceita a proposta de Aidan. Eve é uma mulher forte, independente e decidida e eu gostei muito dela. Ela sofre preconceito por seu pai ter sido um mero mineiro de carvão, mas não abaixa a cabeça quando desafiada e prova a todos que é sim uma dama e deve ser respeitada.
Os irmãos de Aidan que mais aparecem nesse livro são Wulf (Wulfric), Freyja e Alleyne. Wulf teve que tomar o lugar do pai como líder da família e duque de Bewcastle muito jovem, e se tornou autoritário, sempre determinando o que seus irmãos mais novos deveriam fazer e por vezes ignorando as reais vontades deles. Freyja tem uma história bem interessante, e a mudança que a personagem sofre durante o livro, de abaixar o topete ao conhecer melhor a cunhada, me fez gostar dela e ficar curiosa por seu futuro. Alleyne mostra ter uma certa arrogância característica da família, mas é bem mais simpático e relaxado que seus irmãos. Ralf, sobre quem o próximo livro se trata, parece ser simpático como Alleyne, mas ele aparece brevemente no começo e no final do livro, então não dá para conhecê-lo muito bem.

Capa, Diagramação e Escrita: É até bonita a capa, mas não gostei de ver o rosto da modelo. A diagramação é simples. Achei bacana o detalhe dos capítulos serem numerados com números romanos. Notei uns errinhos de revisão, inclusive na sinopse que diz que os Bedwyn são três irmãos e três irmãs, porém na verdade são quatro irmãos e duas irmãs, mas nada que incomode demais. Gostei muito da escrita da autora, desde a descrição dos personagens e cenários ao desenvolver da trama.

Concluindo: Ao terminar essa leitura fiquei feliz de verdade por saber que lerei mais sobre a família Bedwyn e conhecerei melhor os irmãos que mais gostei. A autora deixa ganchos para contar mais sobre a história dos outros Bedwyn e instiga a nossa curiosidade com sucesso. A editora anunciou que a sequência será lançada em abril do próximo ano.

                                  Classificação:
 
Classificação:
Classificação: