Resenha - Despedaçada

Resenha feita pela Luh!  
Título: Despedaçada
Título Original: Shattered
Série: Reiniciados
1- Reiniciados (2013)
2- Fragmentada (2013)
3- Despedaçada (2014)
Autor: Teri Terry
Editora: Farol Literário
Páginas: 400
Saiba mais: Skoob
Comprar: Cultura // Amazom

Emocionante.
Atenção: Essa resenha NÃO contém spoilers de Reiniciados ou Fragmentada (exceto na sinopse).

Sinopse: Kyla foi Reiniciada: sua memória foi apagada pelo Opressivo governo dos Lordeiros. Mas, quando lembranças proibidas de um passado violento começam a aparecer, surgem também dúvidas: ela pode confiar naqueles que passou a amar, como Ben? As autoridades querem a morte de Kyla. Com a ajuda de amigos no DEA, ela vai a fundo, sondando seu passado e fugindo. A verdade que ela busca desesperadamente, no entanto, é mais surpreendente do que ela poderia imaginar. Ao final do terceiro volume desta aclamada série, os mais profundos e imprevisíveis segredos serão revelados.

A Trama: Despedaçada é tão bom quanto o primeiro livro e muito melhor que o segundo. As reviravoltas realmente são imprevisíveis, amei demais aquelas envolvendo a família da protagonista, sempre que eu pensava ter compreendido tudo, a autora ia lá e acrescentava novos mistérios.
Esse livro foi uma ótima conclusão. Muitas perguntas são respondidas, o desfecho foi ótimo, principalmente por explorar melhor o mundo criado pela autora. Desde o início há um clima de perigo iminente que se mantém ao longo da trama e faz com que cada uma das cenas deixe o leitor muito ansioso para saber como tudo vai terminar.

A ProtagonistaKyla é uma das protagonistas mais complexas que eu já vi, sem exageros. No final da trilogia ela já é conhecida por vários nomes ou apelidos, e sinto que cada um representa uma Kyla totalmente diferente. A garota passa por uma crise de identidade enorme, o que é totalmente compreensível e tornou a personagem super interessante.
Kyla toma muitas decisões erradas, mas gostei de como ela se esforça para fazer o que acha certo, especialmente quando defende desconhecidos ou faz algo que vai dificultar sua situação, porém melhorar a vida de outra pessoa. A coragem da garota é do tipo que não se vê com frequência.

Os Personagens Secundários: Gosto muito dos personagens dessa série, eles conseguem me cativar de uma maneira extraordinária. Dessa vez, quem me ganhou foi Stella, a diretora de um lar para garotas que trata cada uma das meninas como se fossem suas filhas. Só houve um personagem que me irritou, porque Kyla era cega para seus defeitos e parecia ignorar a todos que tentavam alertá-la sobre ele.
Há também um triângulo amoroso que só começa nesse volume, e ouso dizer que muitos leitores se irritaram com as escolhas da protagonista em relação aos garotos. Eu não me importei muito porque o romance fica em segundo plano, o foco do livro está na política e nas injustiças sofridas pelo povo do Reino Unido.

Capa, Diagramação e Escrita: Apesar de eu realmente não gostar da expressão da modelo nas capas dessa série, gostei muito das cores e tenho que dar um destaque especial à lombada, que é linda. A diagramação interna é simples, porém encontrei alguns poucos errinhos de revisão.
O melhor elogio que posso dar à autora é que ela é muito realista. Adorei a maneira como as situações realmente não são fáceis para a protagonista e os outros personagens envolvidos, há muito sofrimento, algumas mortes e um preço a ser pago para cada boa ação.

Concluindo: Eu torci para que o terceiro livro fosse ótimo, e ele foi. Essa série tem seus defeitos, porém para quem gosta de distopias e muitas cenas de luta e ação, é uma ótima escolha.

Classificação: