Resenha - Mão de Ferro

Resenha feita pela Tay!
Título: Mão de Ferro

Título Original: Iron Hand
Série: Coração de Pedra
1- Coração de Pedra (2007)
2- Mão de Ferro 
3- Silvertongue (2009 UK)
Autor: Charlie Fletcher
Editora: Geração
Páginas: 
384
Ano: 2014
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva 


Essa resenha não contém spoilers de Coração de Pedra.

Sinopse
Numa londres de pesadelo, estátuas de gárgulas e outros monstros ganham vida e perseguem um casal de crianças em ações frenéticas sucessivas Edie e George, tendo como companheiro o Artilheiro, deparam-se com novas ameaças, como o Touro Matador e as armadilhas perversas do Caminhante. Seus poderes terão que ser usados de modo mais consciente e suas personalidades terão que amadurecer. Conseguirão os dois sobreviver a tantos desafios e provas?

A Trama: A trama desse livro se foca mais nos motivos de o Caminhante estar atrás de George e Edie. Não falta ação e mistérios, mas eu senti que ele foi um pouco mais chatinho que o anterior, tanto que demorei bastante pra me determinar a terminar de lê-lo. Por outro lado, coisas que descobrimos a partir de certo ponto do livro são bem interessantes, e acho muito legal a história das fagulhas - mulheres que conseguem ver o passado das pedras só de tocá-las. O final do livro também foi bem bacana, me deixando curiosa para o que vai acontecer no desfecho da trilogia, sendo que agora um mal muito maior está a solta.

O ProtagonistaComo eu disse na resenha de Coração de Pedra, acho meio irreal a forma como George, um garoto de 12 anos, se tornou fodão em apenas um dia. Mão de Ferro também se passa num período de um dia, e mesmo assim não acho que deu tempo do garoto ficar daquele jeito, sendo que muitas vezes ele não age de acordo com sua idade. Acho que se o autor tivesse colocado o personagem com uns 15/16 anos, seria mais fácil para mim aceitar certas atitudes do menino. 

Personagens SecundáriosApesar de poder ser irritante às vezes, Edie, a fagulha, é uma personagem que eu gosto muito (por esse motivo de eu achar as fagulhas muito interessantes). O Artilheiro também é um personagem que eu gosto, mesmo que nesse livro ele não tenha tido muita chance de entrar em ação. Conhecemos personagens novos ao longo do livro (estátuas, claro), mas nenhuma tem uma participação muito impressionante, na minha opinião.

Capa, Diagramação e Escrita: A capa é legal, apesar de também passar aquele ar adulto da primeira capa, sendo que o livro é um infanto-juvenil. A diagramação é bem simples e encontrei poucos erros de revisão. A escrita do autor é bem simples e eu não tenho muitos problemas com ela, mesmo que em algumas partes que ele narra ela me incomode um pouco. Tirando isso, é bem rápida.

ConcluindoFoi uma boa continuação em termos de desenvolvimento de história, mas outros pontos na trilogia me incomodam (como o protagonista, como eu já disse antes). Honestamente, não são personagens que marcam, está mais para aquele livro que você pega quando não tem mais nada pra ler. Agora é esperar o último volume para avaliar se valeu a pena ou não ler essa trilogia.


Classificação: