Resenha - O Diário Secreto de Lizzie Bennet

Resenha feita pela
Título: O Diário Secreto de Lizzie Bennet
Título Original: The Secret Diary of Lizzie Bennet
Livro Único.
Autoras: Bernie Su e Kate Rorick
Editora: Verus
Páginas: 364
Ano: 2014
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva // Submarino // Fnac // Extra

Sinopse: Lizzie Bennet é uma jovem estudante de comunicação que resolve fazer um vlog como projeto para a faculdade, postando vídeos em que reflete sobre sua vida e a de suas irmãs. Quando dois amigos ricos e charmosos chegam à cidade, as coisas começam a ficar mais interessantes para as irmãs Bennet - e para os seguidores de Lizzie na internet.
De repente, Lizzie - que sempre se considerou uma garota bastante normal - se torna uma figura pública. Mas nem tudo acontece diante das câmeras. E, felizmente para nós, ela escreve um diário secreto...
Com reviravoltas que vão deliciar os fãs de Jane Austen, assim como novos leitores, O diário secreto de Lizzie Bennet expande o fenômeno da série de web que encantou quase dois milhões de espectadores e faz uma releitura inédita de Orgulho e Preconceito.

A Trama:  O livro nada mais é que a transcrição da websérie The Lizzie Bennet Diaries, que se trata de uma adaptação da obra Orgulho e Preconceito de Jane Austen, com mais detalhes sobre o que acontecia na vida da protagonista por trás das câmeras. A ideia de modernizar Orgulho e Preconceito foi do Hank Green (sim, o irmão do John Green), e deu certíssimo, pois a série chegou a ganhar importantes prêmios. Muitas vezes pegar uma história clássica e jogar numa rotina moderninha acaba não funcionando porque a deixa sem sentido e chega até a ofender a obra. Mas foi o contrário disso o que aconteceu aqui. Os redatores souberam usar a trama que a Jane Austen escreveu e transformaram na vida dessa Lizzie Bennet, de um jeito perfeito (o fato dos atores usados serem desconhecidos foi igualmente perfeito, fora a sintonia entre o elenco, mas esse é outro assunto).

A Protagonista: Me identifico com a Lizzie em alguns aspectos e apesar de ter achado a personagem mais insegura no livro, continuei gostando muito dela. A Lizzie só queria entender como funciona o mundo dos vlogs e a relação do vlogger com seus espectadores para sua tese de pós-graduação, mas acaba compartilhando toda rotina de sua família e acontecimentos da sua vida durante um ano, todas as alegrias, dramas e confusões. É muito legal ver o crescimento da personagem como pessoa e de certa forma aprender com ela que não se deve julgar ninguém pelo que se parece ser.

Personagens Secundários: Amo tanto o Darcy original quanto esse moderno. Descobrir o rapaz fofo, tímido e sem jeito por não saber demonstrar seus sentimentos por trás do riquinho que vive de boina, cachecol, gravata borboleta e suspensório foi divertido. Nessa adaptação, Lizzie tem duas irmãs, em vez das quatro no original, Jane, a mais velha e Lydia, a caçula. Jane trabalha com moda e é a fofura em pessoa. Bondosa com todos, isso chega a lhe atrapalhar e lhe cegar durante o livro, em relação a algumas pessoas e situações. Lydia é impulsiva, energética, namoradeira e também muito engraçada. Infelizmente, como no livro temos só os pensamentos da Lizzie, não são muitos os momentos de diversão com a Lydia, mas na série ela me fez rir em muitas ocasiões. As três irmãs Bennet amadurecem significativamente durante a trama e eu gostei muito da forma como adaptaram os dramas de Orgulho e Preconceito na vida dessas jovens do século XXI. Não vou falar de todos os personagens que tem papel importante no livro ou teria que falar de todos, mas tenho que deixar aqui por escrito que gostei muitíssimo da fofa da Gigi Darcy.

Capa, Diagramação e Escrita: A capa ficou bem legal e a diagramação está ótima. Os capítulos são separados por datas, já que se trata de um diário, e isso é bom para quem quiser ler o livro e assistir a websérie ao mesmo tempo. A escrita não é do tipo que te pega logo no começo, até porque você tem que situar na vida da Lizzie, mas quando você consegue entrar no ritmo do livro a leitura se torna bastante prazerosa. 

Concluindo: Para mim, o livro foi uma forma de matar saudades de The LBD e de saber ainda mais sobre os pensamentos de Lizzie e segredos que ela não expôs nos vídeos por serem íntimos demais. Sinceramente não sei se uma pessoa que não tem a intenção de assistir a série vai curtir tanto assim o livro. Várias vezes a Lizzie cita coisas que aconteceram durante os vídeos, descreve as cenas e eu não consigo imaginar que o leitor não queira dar nem uma olhadinha na Lizzie fantasiada com as roupas dos pais ou na imitação hilária do Darcy. A série está disponível no canal original, que só tem legenda em português em alguns episódios, e também no canal da Larissa Siriani que traduziu a série todinha e outras da mesma produtora. Os episódios são curtinhos, então eu digo: assistam! Que seja antes, durante, após a leitura, ou mesmo se você está em dúvida quanto ao livro, a adaptação é muito legal e nem toma tempo demais para assistir. Recomendo o livro e a série sem pensar duas vezes.

Quotes:
- Acho... que você não ia acreditar nos problemas que poderiam ser resolvidos se as pessoas simplesmente parassem para conversar umas com as outras.
                                  Classificação:
 
Classificação:
Classificação: