Resenha - A Casa Assombrada

Resenha feita pela
Título: A Casa Assombrada
Título Original: This House is Haunted
Livro Único.
Autor: John Boyne
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 296
Ano: 2015
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva // Submarino // Extra

Sinopse: Eliza Caine tem 21 anos e acaba de perder o pai. Totalmente sozinha e sem dinheiro suficiente para pagar o aluguel na cidade, ela se depara com o anúncio de um tal H. Bennet. Ele busca uma governanta para se dedicar aos cuidados e à educação das crianças de Gaudlin Hall, uma propriedade no condado de Norfolk – sem, no entanto, mencionar quantas são, quantos anos têm ou dar quaisquer outras explicações. Assim, ela larga o emprego de professora numa escola para meninas e ruma para o interior.
Chegando a Gaudlin Hall, Eliza se surpreende ao encontrar apenas Isabella, uma menina que parece inteligente demais para sua idade, e Eustace, seu adorável irmão de oito anos. Os pais das crianças não estão lá. Não se veem criados. Ela logo constata que não há nenhum outro adulto na propriedade, e a identidade de H. Bennet permanece um mistério.
A governanta recém-contratada busca informações com as pessoas do vilarejo, mas todos a evitam. Nesse meio tempo, fica intrigada com janelas que se fecham sem explicação, cortinas que se movem sozinhas e ventos desproporcionais soprando pela propriedade. E então coisas realmente assustadoras começam a acontecer.

A Trama: Não sou fã de terror e nem costumo ler livros do gênero, mas meu problema é que amo suspense e a linha que separa suspense de terror é finíssima. A sinopse de A Casa Assombrada chamou muito a minha atenção e o nome do autor também contribuiu muito pro meu interesse. Posso dizer que esse livro é um terror leve, então para quem também gosta de um suspense ou desvendar mistérios, está aí uma história bem legal. Já quem gosta de terror hardcore pode se decepcionar, pois não acredito que as situações apresentadas impressionem tanto a ponto de dar sustos e pesadelos.
Não vou falar sobre  a história da casa porque tiraria toda a graça e quem for ler merece passar pela mesma angústia que passei até descobrir junto da Eliza u.u. Gostei dessa experiência e fiquei com vontade de explorar mais o gênero em livros light assim.

A Protagonista: Foi bem fácil entrar na mente de Eliza e se imaginar passando pelo o que ela passou. Apesar de ter agido com impulsividade após a morte do pai, as ações de Eliza para proteger e cuidar de Isabella e Eustace a tornam uma heroína. Não sei se teria a força e resistência da personagem de continuar numa casa tão macabra com um fantasma tentando te matar a todo instante, sem ter outra pessoa com quem contar.

Personagens Secundários: O livro tem muitos personagens interessantes. Até saber o que aconteceu com os pais das crianças, não há em quem confiar. Desconfiei de várias pessoas até a última página e continuei desconfiando de outras mesmo após terminar o livro.
As crianças Westerley, Isabella e Eustace, são bem esquisitas, sendo que a menina é a mais sombria. Eustace é um menino fofinho e inocente, mas há momentos em que ele desmorona por conta do que já passou e por insegurança, já Isabella é séria e se comporta como uma adulta na maior parte do tempo, e em poucos momentos se permite se divertir como uma criança normal.

Capa, Diagramação e Escrita: Amei a capa, achei maravilhosa mesmo. A diagramação é comum, daquele jeito que todos gostam. Só havia lido O Menino do Pijama Listrado do mesmo autor, e como o tema desse livro é totalmente diferente, não sabia o que esperar. John Boyne realmente tem uma escrita muito boa e o que pude comprovar é que ele não precisa ficar preso a um gênero só, pois vai muito bem no tanto no drama quanto no terror. Como já disse, o terror aqui é leve, mas acredito que isso seja proposital e não uma falha de Boyne.

Concluindo: Não gostei do final do livro, especificamente do último capítulo. Prefiro me iludir e fingir que a trama acabou no penúltimo, onde mesmo com o suspense deixado, estava mais satisfeita. O livro deixa o final em aberto e apesar de na maioria das vezes eu não me importar com isso, aqui eu senti que algumas pontas mereciam ser amarradas e fiquei sentindo o gosto de quero mais.

Quotes:
Refletir sobre tudo em retrocesso é uma coisa maravilhosa. Quando penso naquele momento, vejo Alex e Madge Toxley ali na plataforma da estação Thorpe e quero gritar com eles, quero correr até os dois e sacudi-los, quero olhar diretamente em seus olhos e dizer: Vocês já sabiam, sabiam de tudo. Por que não disseram nada? Por que? Por que não me avisaram?

Como uma coisa daquelas poderia acontecer? Não tinha sido minha imaginação, pois meus machucados eram reais. Havia uma presença naquela casa, alguma coisa profana; uma noção que eu antes desprezara como fantasia tomou conta de mim e me disse que aquela era a verdade. Mas havia outro fator, algo que eu não tinha cogitado antes. Eram duas presenças.

"[...]Somos todos animais sob nossas peles, srta. Caine? Mascaramos nossos instintos com palavras bonitas, roupas e comportamento aceitável? Dizem que, se nos entregássemos aos nossos desejos verdadeiros, avançaríamos uns sobre os outros com uma sede de sague sem precedentes, todos nós."
                                  Classificação:
 
Classificação:
Classificação: