Resenha - Sob a Redoma

Resenha feita pela Luh!
Título: Sob a Redoma
Título Original: Under the Dome
Livro Único
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Páginas: 960
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino // Americanas // Extra

Minha estreia com o King, e não foi dos melhores inícios.


Sinopse: Sob a Redoma - Na trama, em um dia como outro qualquer em Chester’s Mill, no Maine, a pequena cidade é subitamente isolada do resto do mundo por um campo de força invisível. Aviões explodem quando tentam atravessá-lo e pessoas trabalhando em cidades vizinhas são separadas de suas famílias. Ninguém consegue entender o que é esta barreira, de onde ela veio e quando — ou se — ela irá desaparecer.
Os moradores de Chester’s Mill percebem que terão de lutar por sua sobrevivência. Pessoas morrem, aparelhos eletrônicos entram em pane ao se aproximar da redoma e a situação fica ainda mais grave quando a cidade se vê exposta às graves consequências ecológicas da barreira. Para piorar a situação, James “Big Jim” Rennie, político dissimulado e um dos três membros do conselho executivo da cidade, usa a redoma como um meio de dominar a cidade.
Enquanto isso, o veterano da guerra do Iraque, Dale Barbara, é reincorporado ao serviço militar e promovido à posição de coronel. Big Jim, insatisfeito com a perda de autoridade que tal manobra poderia significar, encoraja um sentimento local de pânico para aumentar seu poder de influência. O veterano se une a um grupo de moradores para manter a situação sob controle e impedir que o caos se instaure. Junto a ele estão a proprietária do jornal local, uma enfermeira, uma vereadora e três crianças destemidas.
No entanto, Big Jim está disposto até a matar para continuar no poder, apoiado por seu filho, que guarda a sete chaves um segredo. Mas os efeitos da redoma e das manobras políticas de Jim Rennie não são as únicas preocupações dos habitantes. O isolamento expõe os medos e as ambições de cada um, até os sentimentos mais reprimidos. Assim, enquanto correm contra o pouco tempo que têm para descobrir a origem da redoma e uma forma de desfazê-la, ainda terão de combater a crueldade humana em sua forma mais primitiva.

A Trama: Primeiramente, quero mencionar que já vi a série de TV e ela não tem nada a ver com o livro. Agora, quanto à trama, ela começou com tanto potencial: uma redoma gigantesca caindo sobre a pequena cidade de Chester's Mill e separando a cidade do resto do mundo. A reação da população comum e a histeria coletiva foram muito interessantes. Entretanto, infelizmente, o livro focou nas ambições ridículas de Big Jim Rennie e achei fantasiosa a maneira como o homem simplesmente fazia o que desejava e continuava impune.
O livro foi me irritando aos pouquinhos conforme, capítulo após capítulo, o autor levava a estupidez humana à extremos e parecia querer mostrar apenas o pior lado das pessoas, o que tornou a trama cansativa. Gostei de algumas situações que quase pareciam karma, porém no geral o livro foi fantasioso demais. O final, é claro, foi a cereja no bolo, onde a explicação para a redoma era, em falta de uma palavra melhor, apenas ridícula.
Entretanto, preciso parabenizar o autor, pois me fez sentir um verdadeiro ódio por alguns dos personagens e apesar de eu ter sentido uma vontade muito grande de atirar o livro na parede, é admirável que Sob a Redoma tenha causado sentimentos tão fortes.

Os Protagonistas: Na minha opinião, haviam quatro personagens principais, Big Jim, Junior, Barbie e Julia. A única de quem gostei foi Julia, uma repórter destemida com uma mente rápida e língua afiada, seus furos jornalísticos eram muito divertidos. Barbie era um personagem muito passivo, estava sempre esperando por algo e seu maior papel era o de vítima das circunstâncias.
Big Jim e Junior faziam uma dupla de antagonistas digna de Oscar, considerando a quantidade de mortes e desgraça que os mesmos causaram. Enquanto Junior claramente tinha algum distúrbio mental, Big Jim era simplesmente um ser humano desprezível e foi um dos melhores vilões que já conheci, porém, como já disse, achei irreal que ele escapasse impune sempre.

Os Personagens SecundáriosA pequena cidade de Chester's Mill tinha cerca de 2 mil pessoas e, apesar de obviamente o autor não ter mencionado sequer 10% delas, ainda foi incrível a quantidade de personagens que foram lembrados. A verdade é que às vezes eu me perdia nas famílias e pessoas, já que haviam tantas, porém gostei de como elas foram incluídas na trama, e não apenas com um papel na trama dos protagonistas, mas com suas próprias histórias secundárias.

Capa, Diagramação e Escrita: Amo essa capa por ser, é claro, perfeita para o livro. A diagramação também está ótima, com a fonte um pouquinho menor que o normal, porém de tamanho ideal para um livro tão grande.
Tive problemas com a escrita do autor e, infelizmente, acho que o King não serviu pra mim. A linguagem tem palavrões demais, com descrições que deixam até as pessoas mais liberais com um pouco de vergonha. Falando nas descrições, algumas são enormes e tornam o ritmo maçante, além de serem absolutamente desnecessárias.

Concluindo: Pra mim, foi uma decepção, provavelmente porque esperava algo diferente do famoso Stephen King. É claro, pela fama do autor, que muita gente aprecia a escrita e criatividade dele, porém eu infelizmente não pretendo acompanhar outros trabalhos do autor em um futuro próximo.

Classificação: