Resenha - Quase Uma Rockstar

Resenha feita pela Maay!  
Título: Quase Uma Rockstar
Título Original: Sorta Like a Rock Star
Livro Único.
Autor: Matthew Quick
Editora: Intrínseca
Páginas: 256
Ano: 2015
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva // Extra // Submarino

Juro solenemente tentar ser imparcial - mas duvido conseguir.

Sinopse: Quase Uma Rockstar - Desde que o namorado da mãe as expulsou de casa, Amber Appleton, a mãe e o cachorro moram em um ônibus escolar. Aos dezessete anos e no segundo ano do ensino médio, Amber se autoproclama princesa da esperança e é dona de um otimismo incansável, mas quando uma tragédia faz seu mundo desabar por completo, ela não consegue mais enxergar a vida com os mesmos olhos. Será que no meio de tanta tristeza e sofrimento Amber vai recuperar a fé na vida? Com personagens cativantes e uma protagonista apaixonante, Matthew Quick constrói de forma encantadora um universo de risadas, lealdade e esperança conquistada a duras penas.

A Trama: Acredito que deixei de aproveitar grande parte da trama por ficar esperando um acontecimento que a sinopse adianta, então, se vocês me levam a sério: não leiam a sinopse.
Quanto à história, prefiro não falar demais, porque não quero elevar muito as expectativas de ninguém. Matthew Quick tem o dom de me deixar sem palavras e com os olhos brilhando, e admito que talvez eu tenha um olhar apaixonado demais e deixe os defeitos passarem despercebidos (propositalmente). 

A Protagonista: Amber me lembrou muito Pat (de O Lado Bom da Vida), mas preciso admitir que, no começo, a protagonista me irritou.
Na primeira parte do livro, ela faz praticamente o "jogo do contente" de Poliana, e honestamente, ela já passou um pouco da idade para ser tão ingênua assim. Porém, ao longo do livro, ela amadurece bastante e acabou me conquistando - tanto que até me fez chorar.

Os Personagens Secundários: Queria mais de Rick e Donna, queria mesmo. Adorei todos os personagens secundários que conheci, mas eu realmente queria mais de Rick e Donna. Soldado Jackson, Bobby Big Boy, Padre Chee - todos os personagens são extremamente bem construídos e cativantes. 
Agora, Rick tinha um potencial extraordinário, poderia facilmente ser coprotagonista dessa história e, infelizmente, teve menos destaque do que mereceu.

Capa, Diagramação e Escrita: Achei a capa e a diagramação uma graça, dá pra ver que o livro foi feito com muito capricho e carinho - ou são só meus olhos de apaixonada mais uma vez. 
Agora, a escrita... A narrativa repetitiva de O Lado Bom da Vida se repete - e isso pode até ser um problema para algumas pessoas, mas para mim é maravilhoso. 
A história em si segue mais ou menos o mesmo estilo também. E esse é outro ponto que me agrada. Gosto quando os autores conseguem criar obras completamente diferentes, mas que seguem uma mesma linha. Quando é possível identificar o autor apenas lendo uma ou outra página, sabem? Não sei se me fiz entender (haha). 

ConcluindoSabe quando você ama um livro, mas sabe que ninguém vai enxergar ele com os mesmos olhos que você? Se pudesse, guardaria Quase Uma Rockstar só para mim.
Preciso admitir que o livro não é perfeito. É rápido demais, tem partes meio fora da realidade, a protagonista não é das melhores... Mas é Matthew Quick, e tenho amor platônico assumido pelo autor. Eu amaria qualquer lista de mercado que ele escrevesse. 

Quotes:
- A vida continua - diz ele. - Não importa se escolhemos aproveitá-la ou não. Então é melhor você achar um jeito de aproveitar as partes que pode. Não dá para simplesmente desistir de viver, Amber.
[...] não importa quantas provas existam de que a vida não faz sentido, precisamos acreditar que sim, ela faz.

Classificação: